Publicidade:

6 Coisas que nunca deve permitir que os seus filhos façam!

A atitude desafiadora das crianças não deve ser encarada como uma fase passageira, que não precisa de intervenção por parte dos pais. Não vai desaparecer de um dia para o outro. Há coisas que nunca deve permitir que os seus filhos façam. Vamos descobrir quais são e deixar dicas para extinguir esses comportamentos de uma vez.

6 Coisas que nunca deve permitir que os seus filhos façam!
Preparado para acabar com os maus comportamentos?

Sente-se cansado e sem energia após mais um dia a tentar corrigir os comportamentos dos seus filhos? Sente dificuldades em tentar que os seus filhos sejam mais obedientes? Os seus filhos desafiam a sua autoridade em público? Então este artigo é para si!

Vamos refletir acerca das coisas que nunca deve permitir que os seus filhos façam e delinear estratégias para acabar com os comportamentos indesejáveis.

Lidar com comportamentos indesejáveis e desafiadores é das maiores dificuldades que os pais enfrentam. Não está sozinho!

É preciso empenho, esforço e paciência da parte dos pais. As práticas educativas devem ser revistas de forma a ajudar a criança a encontrar alternativas para exprimir adequadamente as suas necessidades.

6 coisas que nunca deve permitir que os seus filhos façam


coisas que nunca deve permitir que os seus filhos facam e menina desobediente

Todas as crianças tentam resistir às ordens dos pais, em algum momento. Não é preocupante quando tal acontece de forma pontual. Quando se torna um padrão e quando os comportamentos indesejados são de maior gravidade, os pais não podem deixar de intervir.

Listamos de seguida algumas coisas que nunca deve permitir que os seus filhos façam:

  1. Ser agressivo: não pode ignorar quando o seu filho magoa alguém propositadamente, mesmo que tal aconteça no contexto de uma brincadeira; não pode deixar passar a imagem de que é aceitável magoar as outras pessoas;
  2. Ignorar os pais e os restantes adultos responsáveis constantemente: não passe a mensagem de que é permitido ignorar as instruções dos adultos;
  3. Não ser educado enquanto os pais conversam com outras pessoas: deve ajudar o seu filho a compreender que não deve interromper constantemente as pessoas quando estão a conversar ou ocupadas com alguma tarefa de grande importância;
  4. Ser desonesto: é importante confrontar as atitudes desonestas e não permitir que a criança aprenda a utilizar a mentira como forma de evitar alguma tarefa que não quer fazer ou ser chamada à atenção por algum comportamentos menos correto que teve;
  5. Ser desafiador: quando não aceita a autoridade dos pais ou outros adultos responsáveis, discutindo; quando se envolve em lutas de poder;
  6. Ser desrespeitador: quando recorrentemente é insolente, rude, mal criado.

 

Como acabar com os comportamentos indesejáveis?


mae impoem se perante filho

É preciso ajudar os pais a estarem preparados para aqueles momentos em que têm mesmo que reagir aos comportamentos indesejáveis dos filhos.

Vamos deixar aqui algumas dicas que pode utilizar para evitar problemas e não ceder às coisas que nunca deve permitir que os seus filhos façam:

  • Defina regras simples, claras e adequadas ao nível do desenvolvimento da criança;
  • Investigue a origem do mau comportamento do seu filho (consequência de um mal estar interno; para chamar a atenção dos pais);
  • Evite rir quando o seu filho diz ou faz alguma coisa que transgrida as regras definidas;
  • Confronte o comportamento agressivo na hora e no local;
  • Dê alternativas: ajude o seu filho a saber o que fazer quando fica irritado;
  • Não fale com seu filho do outro lado da divisão da casa onde se encontram: vá até à beira dele e diga; fale enquanto olha para ele; pegue na mão dele, chame pelo nome e desligue a televisão ou outros estímulos distratores;
  • Elogie de forma eficaz: imediatamente após ocorrer o bom comportamento; elogie com frequência e de forma entusiasmada; mantenha o contacto visual quando elogia; varie nos elogios;
  • Ignore: técnica em que nega ou retira a atenção e volta a dá-la quando a criança exibe o comportamento desejável; desvie o olhar; saia do contexto onde a situação está a acontecer; não interaja com a criança naquele momento; elogie quando a criança substituir o comportamento desadequado por um mais ajustado; um comportamento grave, perigoso e destrutivo nunca deve ser ignorado; nessas situações outras técnicas devem ser utilizadas;
  • Time-out/tempo de pausa: técnica útil em situações em que a criança revela estar a sentir dificuldades em gerir as emoções associadas ao comportamento desajustado; consiste em retirar temporariamente a criança do contexto onde o mau comportamento está a acontecer;
  • Pratique relaxamento com o seu filho: útil para um maior auto controlo nos momentos de tensão.

 

Em suma…


Algumas estratégias funcionam bem numa família e noutra nem tanto. Todas as famílias são diferentes.

Não desespere nem desanime. Seja persistente. As mudanças não acontecem da noite para o dia. Baseie a sua autoridade no diálogo, no amor e na compreensão.

Veja também:

Psicóloga Ana Graça Psicóloga Ana Graça

Mestre em Psicologia, pela Universidade do Minho, com a dissertação “A experiência de cuidar, estratégias de coping e autorrelato de saúde”. Especialização (Pós-Graduada) em Neuropsicologia Clínica, Intervenção Neuropsicológica e Neuropsicologia Geriátrica. Membro efetivo da Ordem dos Psicólogos Portugueses, com especialidade em Psicologia Clínica e da Saúde e Neuropsicologia. Para além da Psicologia é apaixonada por viagens, leitura, boa música, caminhadas ao ar livre e tudo o que proporcione felicidade!