Chufa: conheça o tubérculo maravilha

A chufa é um tubérculo com sabor semelhante ao da avelã, com inúmeros benefícios para a saúde que vão desde propriedades antioxidantes à redução do colesterol.

Chufa: conheça o tubérculo maravilha
Se ainda não conhece este tubérculo, apresentamos-lhe um alimento carregado de benefícios.

A Chufa (Cyperus esculentus) é um grão da família dos tubérculos, ainda pouco conhecido em Portugal, mas cujo consumo vai aumentando devido às propriedades nutricionais que possui, nomeadamente antioxidantes e redutoras de colesterol, sendo muito rica em vitamina E.

Benefícios da Chufa


chufa

Em poucas calorias, concentra uma elevada densidade nutricional, sendo um alimento rico em vitaminas, minerais e fibra, sendo ainda apto para diabéticos (não tem açúcar e é rico em fibra), para celíacos (não tem glúten) e para intolerantes à lactose.

Este alimento era já utilizado pelos antigos egípcios, como alimento curativo e regenerador, sendo atualmente muito cultivado em Espanha.

Segundo evidência científica recente, os benefícios deste alimento vão desde a prevenção de doenças coronárias, (efeitos positivos sobre o colesterol mau, colesterol LDL) à regulação do apetite e da motilidade intestinal, derivado do seu elevado conteúdo em fibras naturais.

Por ser uma ótima fonte de ferro, ajuda a repor naturalmente este mineral e a prevenir anemias, principalmente em mulheres com fluxo menstrual intenso. Outro mineral importante fornecido por este alimento é o magnésio, que auxilia na contração muscular e no equilíbrio do sistema nervoso central, assim como no controlo de desejos alimentares no período da TPM.

Por último, exerce ainda um efeito afrodisíaco e potencia o desempenho sexual.

Derivados do Grão de Chufa


1. Farinha de Chufa

Farinha de Chufa

Além do grão de chufa, este alimento pode ser consumido na versão de farinha, e como alternativa a outras farinhas com glúten, mantendo as suas propriedades nutricionais.

Atualmente este tipo de farinha é utilizado em produtos de pastelaria, cereais para pequeno-almoço (nomeadamente muesli) e outros produtos dietéticos, conferindo um sabor característico e inovador a estes produtos.

Além da farinha, pode também consumir a chufa em flocos.

2. Óleo de Chufa

Oleo de Chufa

Já o óleo de chufa é um produto com propriedades nutritivas únicas, tanto a nível da cosmética como para uso alimentar.

As suas propriedades benéficas para a saúde cardiovascular e para a pele destacam-se pelo:

  • Elevado conteúdo de ácido-oleico (ácido gordo monosaturado) que hidrata e prepara a pele contra as agressões externas e ajuda na redução do colesterol LDL;
  • Elevado conteúdo de ácidos gordos polinsaturados para manter e alimentar a camada lipídica da pele, cobrindo as suas necessidades diárias mínimas;
  • Elevado conteúdo vitamina E (alfa e gama-tocoferol) que tem ação antioxidante, prevenindo algumas doenças crónicas, como o cancro e o envelhecimento precoce.

3. “Leite” de Chufa

Leite de Chufa

Ainda através da chufa é possível obter uma bebida vegetal, o “leite”de Chufa. É uma bebida de sabor doce em alternativa ao leite de vaca e a outras bebidas vegetais, como a bebida de soja, amêndoa, aveia, etc.

À semelhança dos restantes derivados, contribui para a redução do colesterol e triglicerídeos, prevenção de doenças cardiovasculares, estabilidade da glicemia (visto que não contém açúcar adicionado) e boa digestibilidade, visto que não tem glúten nem lactose.

Como incluir na sua alimentação diária?


A chufa pode e deve ser consumida no contexto de uma alimentação equilibrada, sendo recomendado que não exceda uma ou duas colheres de sopa diariamente.

Pode ser consumida em qualquer refeição do dia, tanto de forma natural, como sob a forma de farinha num pão ou bolachas.

Deixamos-lhe uma receita que pode reproduzir para introduzir a chufa na sua rotina:

BOLINHAS DE PÃO DE TRIGO SARRACENO E CHUFA

BOLINHAS DE PÃO DE TRIGO SARRACENO E CHUFA

– Ingredientes –

  • • ½ Chávena de farinha de Trigo sarraceno
  • ½ chávena de farinha de Chufa
  • ½ chávena de coco ralado
  • 2 – 3 Ovos
  • 1 saqueta de fermento Bio sem glúten
  • 1 Colher de sopa de linhaça moída
  • 1 Colher. de sopa de sementes de Chia
  • 1 Colher de sopa de óleo de coco
  • Sal q.b.

– Modo de Preparação –

  1. Misturar os ingredientes secos e hidratar o fermento com num copo de água morna.
  2. Posteriormente, colocar os restantes ingredientes e mexer bem até obter uma massa homogénea.
  3. Num tabuleiro do forno, colocar folha de papel vegetal e manualmente formar bolinhas de pão para assar.
  4. Cozinhar a 100ºC cerca de 20 minutos.

Veja também:

Nutricionista Rita Lima Nutricionista Rita Lima

Rita Lima é nutricionista e trabalha, atualmente, nos ginásios Urban Fit de Ermesinde, Antas Prime Fitness e CulturaFit Club no Porto. Durante 2 anos colaborou no projeto Dragon Force do Futebol Clube do Porto e com o Boavista Futebol Clube. É licenciada em Ciências da Nutrição pela Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto e frequentou o Curso de Nutrição no Desporto na mesma faculdade.