Publicidade:

9 causas para o aparecimento de caspa em cães

A caspa em cães é um problema relativamente comum. Mas será uma situação preocupante ou algo a desvalorizar? Saiba quais as razões para acontecer.

9 causas para o aparecimento de caspa em cães
A descamação excessiva é um problema comum em cães

A caspa em cães é um problema comum que se carateriza pela descamação excessiva do couro cabeludo do animal, denominado também por seborreia. É normal que haja descamação na pele do cão, uma vez que as células vão regenerando e outras morrendo, denominando-se este processo por queratinização.

Se houver um defeito no processo de queratinização, pode ocorrer mais descamação, podendo observar-se a olho nu essa descamação, como uns “flocos de neve” sobre o pelo. As causas para esse defeito podem ser várias.

9 causas para o aparecimento de caspa em cães


1. Hereditária

golden retriever caspa em caes

Uma das causas de caspa em cães é a seborreia primária, apesar de ser a causa menos frequente. A seborreia primária tem uma forte componente genética, sendo mais frequente em determinadas raças como Cocker Spaniel, Springer Spaniel Inglês, Basset Hound, West Highland White Terrier, Dachshund, Labrador, Golden Retriever e Pastor Alemão.

Não existe tratamento para este tipo de seborreia, sendo que também não se trata de uma doença grave. No entanto, pode causar sintomas desconfortáveis como prurido intenso, comichão, devido à secura da pele, que pode levar o animal a coçar-se demasiado e fazer feridas.

Assim, apesar de não se tratar de uma doença de pele grave, deve ser realizado um controlo adequado da pele e pelo do animal para diminuir a intensidade da caspa e manter o animal confortável. O tratamento é por norma realizado à base de champôs de enxofre e ácido salicílico e medicamentos com retinoides.

2. Perda de pelo sazonal

Nas alturas de primavera e outono é normal que o seu cão sofra uma queda de pelo mais acentuado e também pode surgir caspa nessa altura.

As diferenças de temperatura podem ressequir a pele e fazer com que haja maior descamação. Também a redução de humidade do ar e diferenças de pressão podem ter influência na formação de caspa em cães.

3. Parasitas externos

cao com pulgas caspa em caes

As pulgas e carraças podem causar irritação na pele e provocar uma maior descamação da pele, provocando caspa em cães. Também os ácaros podem causar doenças como a sarna que levam a descamação da pele, entre outros sintomas.

Um determinado ácaro denominado de cheylettiela pode ser confundido com caspa em cães, por isso é também denominado por “caspa andante”, pois o próprio ácaro aparenta ser pele descamada, no entanto, olhando atentamente é possível distingui-lo de caspa verdadeira pois é possível observá-lo a mover-se.

De forma a manter o seu cão livre de caspa deve mantê-lo protegido contra os parasitas externos através de desparasitantes adequados e cumprindo com regularidade a desparasitação recomendada pelo seu médico veterinário.

4. Doenças endócrinas

Algumas doenças endócrinas como doença de Cushing e hipotiroidismo podem levar a um conjunto de sinais dermatológicos, entre eles a caspa em cães. Assim, este simples problema deve sempre ser avaliado pelo médico veterinário, pois aliado a outros sinais clínicos pode surgir uma suspeita de doença.

Caso o médico veterinário suspeite que o seu cão possa sofrer de uma destas patologias, pode recomendar a realização de exames sanguíneos complementares.

5. Má alimentação

ma alimentacao cao caspa em caes

A alimentação reflete-se no estado do pelo e pele do animal, pelo que deve sempre investir num alimento de qualidade e adequado às necessidades nutricionais do seu cão. Não só pelo aspeto da pele e pelo mas também de forma a evitar outros problemas de saúde.

A falta de hidratação do animal pode também levar ao ressecamento da pele levando a descamação excessiva e consequentemente caspa em cães.

6. Infeções da pele

Infeções bacterianas e fúngicas, nomeadamente por malassézia, podem levar ao aparecimento de caspa em cães. Normalmente estas doenças estão associadas a outros sintomas como prurido.

7. Alergias

alergia em caes caspa em caes

As alergias são uma das principais causas de caspa em cães, pois a própria pele fica irritada e ressequida, o que leva a uma descamação excessiva.

As alergias podem ser de causas variadas como alimentares, ambientais, como no caso dos pólens e ácaros, ou de contacto com determinada substancia. Cães com dermatite atópica também têm tendência ao desenvolvimento de descamação.

8. Má higiene

A falta de higiene do pelo, pele e ambiente onde o animal se encontra podem ser uma causa de caspa em cães. O ideal é ter cuidados como lavar o seu cão com champôs apropriados no máximo uma vez por mês, e fazer escovagens diárias ou semanais, consoante o tipo de pelo do seu animal.

Manter o ambiente onde o seu cão se encontra limpo também é uma medida para reduzir a probabilidade de o seu cão vir a sofrer com caspa, sendo que em ambientes sujos também é mais provável que se encontrem bactérias, fungos e parasitas que podem contaminar o animal.

9. Banhos em excesso

cao a tomar banho caspa em caes

Demasiado zelo também pode prejudicar o animal, como é o caso dos banhos em excesso, por exemplo. Os cães devem tomar banho no máximo uma vez por mês, com champôs adequados à espécie. Os cães têm uma barreira natural na pele que os protege contra as infeções e nutre a própria pele, conferindo também um aspeto brilhante ao pelo.

Demasiados banhos pode levar a uma perda de oleosidade dessa camada levando ao aparecimento de caspa e outros problemas como infeções recorrentes na pele.

Utilizar um champô desadequado também pode levar a irritação da pele, podendo originar descamação anormal da pele.

Veja também:

Fonte

1. White, S.D. (n.d.). Overview of Seborrhea. Disponível em:
https://www.msdvetmanual.com/integumentary-system/seborrhea/overview-of-seborrhea

Dra. Patrícia Azevedo Dra. Patrícia Azevedo

Patrícia Azevedo é médica veterinária natural de Braga. Desde a sua infância que é apaixonada por animais e sempre teve a ambição de ser médica veterinária. Trabalhou como voluntária em associações de proteção e ajuda a animais errantes desde os 11 anos de idade . Iniciou o seu percurso como estudante desta área na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro e concluiu os seus estudos no Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar. Tem três gatos e uma cadela retirados da rua. Trabalha atualmente na sua cidade natal, em medicina e cirurgia de pequenos animais.

O Vida Ativa disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento nutricional, de saúde ou de treino. O Vida Ativa não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui nem dispensa a assistência profissional qualificada e individualizada. Caso pretenda sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].