Publicidade:

O seu cão tem a barriga inchada? Saiba o que pode significar

Se reparou que o seu cão tem a barriga inchada, deve procurar o seu médico veterinário. As causas para esta situação podem ser variadas, mas importa saber o que pode estar a causar o inchaço.

 
O seu cão tem a barriga inchada? Saiba o que pode significar
Uma barriga inchada é sinal de preocupação?

Se o seu cão tem a barriga inchada pode tratar-se de uma situação perfeitamente normal. Todavia, dependendo do aumento de volume e de outros fatores, como a presença de outros sinais clínicos anormais, pode ser motivo de preocupação.

O seu cão tem a barriga inchada? 8 motivos para que isso aconteça


1. Parasitas

cão tem barriga inchada

Especialmente, em cachorros, é normal que o motivo do inchaço da barriga sejam parasitas. Isto, porque os parasitas intestinais nos cachorros podem ser transmitidos in útero pela cadela, e se não iniciarem o plano de desparasitação logo às duas semanas de idade, os parasitas tendem a crescer e a reproduzirem-se.

Muitas vezes, este sinal passa desapercebido aos tutores, que consideram o inchaço da zona abdominal devido à grande ingestão de comida. No entanto, estes animais quando estão parasitados, apesar de apresentarem uma grande barriga, estão magros no resto do corpo.

Os sintomas de parasitismo podem ser diarreia, vómitos, saída de parasitas nas fezes, anorexia (falta de apetite), letargia, entre outros. Para prevenir que o seu cachorro ou cão adulto sofram com parasitas deve seguir um plano de desparasitação adequado. Informe-se com o seu médico veterinário.

2. Dilatação/ Torção gástrica

A dilatação e a torção gástrica são uma condição aguda, ou seja, repentina, que afeta principalmente cães de raça grande e gigantes. A dilatação carateriza-se por um aumento de gás e/ou liquido no interior do estômago e a torção impede que esse conteúdo saia de forma normal.

Esta situação trata-se de uma emergência médica, pois ao contorcer-se, o estômago pode pressionar vasos importantes e aprisionar o baço, levando o organismo do animal a entrar em choque, uma situação grave que poe em risco a vida.

A única resolução deste problema é cirúrgica, reposicionando o estômago corretamente. No entanto, antes é necessário estabilizar o animal com fluidos e entubá-lo retirando todo o conteúdo gástrico.

Assim, se o seu cão tem a barriga inchada, esteja atento a outros sinais e à progressão desse mesmo inchaço. Se ocorrer de uma forma rápida e repentina, é provável que se trate de um problema mais grave.

3. Gases

cão tem barriga inchada

Se o seu cão tem a barriga inchada pode tratar-se de um problema simples como gases. Por vezes, devido à alimentação ou a problemas digestivos é possível que os cães fiquem com ar no estômago, dando um aspeto de “barrigudos”.

Se se confirmar, de facto, que a origem da barriga inchada são gases o tratamento pode envolver a mudança de dieta, probióticos e carvão vegetal.

4. Insuficiência cardíaca

A insuficiência cardíaca pode causar uma condição denominada por ascite, ou seja, acumulação de líquido anormal, na cavidade abdominal, que dá aspeto de que o seu cão tem a barriga inchada, normalmente com um aspeto caquético e com uma grande barriga.

Esta situação pode ser causada por várias doenças, uma das quais a insuficiência cardíaca. A insuficiência cardíaca, pode ter várias causas, inclusive doenças como a dirofilariose.

Outros sinais que podem estar associado a doença cardíaca são:

  • Tosse;
  • Dispneia, dificuldade respiratória;
  • Síncopes, desmaios;
  • Fadiga;
  • Intolerância ao exercício.

5. Problemas hepáticos

cão tem barriga inchada

Problemas hepáticos também pode causar ascite. Em pacientes com doença hepática, a ascite é causada por uma combinação de pressão alta no fígado, baixos níveis de proteína no sangue e um desequilíbrio no metabolismo do sódio e da água.

Para diagnosticar problemas no fígado podem ser necessários exames sanguíneos, radiografias abdominais e ecografia.

Para tratar a ascite é necessário primeiro identificar o problema primário e trata-lo. No entanto, uma dieta com restrição de sódio podem ajudar o animal a diminuir o inchaço abdominal. Em alguns casos, em que a ascite não cede com o tratamento, e está a causar desconforto ao abdominal é necessário que o médico veterinário realize periodicamente uma abdominocentese, um procedimento que consiste na remoção do líquido abdominal através de uma agulha.

6. Peritonite

A peritonite é uma inflamação das camadas serosas da cavidade peritoneal, na cavidade abdominal. Pode ser primária, ou secundária a outro problema. Pode também ser classificada de acordo com o seu conteúdo em séptica (contendo bactérias) ou não séptica.

A peritonite pode dever-se a doenças infeciosas, rutura de órgãos como o útero em casos de piómetras (infeções uterinas), abcessos em órgãos como o fígado, perfurações do trato intestinal, tumores.

Os sinais clínicos variam de acordo com a origem da peritonite, no entanto, em casos mais graves os cães pode sofrer toxémia, septicemia, choque, dor abdominal aguda.

7. Gordura

cão tem barriga inchada

Cães gordos tendem a ter um aspeto compacto de todo o corpo, no entanto, é possível que em alguns cães a acumulação de gordura seja mais notória na zona abdominal.

Se não tem nenhum sintoma fora do normal e come bem, e ultimamente o seu cão a barriga inchada, então pode apenas tratar-se de um problema de obesidade. No entanto, em caso de dúvida é sempre bom contactar o seu médico veterinário, e planear uma dieta adequada para o animal voltar ao seu peso ideal.

8. Gravidez

Esta situação aplica-se exclusivamente às fêmeas, especialmente se a sua cadela esteve em cio recentemente e esteve em contacto com machos.

A gestação da cadela demora cerca de 2 meses, no entanto, é durante o ultimo mês que ocorre um maior crescimento do perímetro abdominal.

Se existe suspeita de gravidez leve a sua cadela ao médico veterinário, fazendo analises ao sangue, e mais tarde, ecografia é possível diagnosticar uma gravidez na cadela, e convém que a fêmea seja seguida durante toda a gravidez para evitar que haja complicações na gravidez e no parto.

O seu cão tem a barriga inchada? Conclusão


Se o seu cão tem a barriga inchada deve levá-lo ao médico veterinário assistente para que seja avaliado. O médico veterinário irá questionar o tutor acerca de alguns comportamentos do animal, de forma a fazer a sua história clínica, e se necessário realizar alguns exames complementares que considere pertinentes.

Um cão com a barriga inchada tanto pode ser um problema simples e sem gravidade, como um sinal de doença severa, portanto deve estar atento ao perímetro abdominal do seu cão.

Veja também:

Fontes

Worm Control in Dogs and Cats – ESCCAP Guideline. Disponível em: https://www.esccap.org/uploads/docs/0x0o7jda_ESCCAP_Guideline_01_Third_Edition_July_2017.pdf
MSD Veterinary Manual – Gastric Dilation and Volvulus in Small Animals. Disponível em: https://www.msdvetmanual.com/digestive-system/diseases-of-the-stomach-and-intestines-in-small-animals/gastric-dilation-and-volvulus-in-small-animals?query=gastric%20dilatation

Dra. Patrícia Azevedo Dra. Patrícia Azevedo

Patrícia Azevedo é médica veterinária natural de Braga. Desde a sua infância que é apaixonada por animais e sempre teve a ambição de ser médica veterinária. Trabalhou como voluntária em associações de proteção e ajuda a animais errantes desde os 11 anos de idade . Iniciou o seu percurso como estudante desta área na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro e concluiu os seus estudos no Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar. Tem três gatos e uma cadela retirados da rua. Trabalha atualmente na sua cidade natal, em medicina e cirurgia de pequenos animais.

O Vida Ativa disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento nutricional, de saúde ou de treino. O Vida Ativa não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui nem dispensa a assistência profissional qualificada e individualizada. Caso pretenda sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].