Publicidade:

Costuma ver o seu cão a pressionar a cabeça na parede? Saiba o que significa

Um cão a pressionar a cabeça na parede é sinal de preocupação pois o sistema nervoso está afetado. Saiba como identifica-lo e conheça as principais causas.

 
Costuma ver o seu cão a pressionar a cabeça na parede? Saiba o que significa
Saiba identificar este sinal de problema neurológico.

Quando os donos têm um cão a pressionar a cabeça na parede devem ficar preocupados e agir o quanto antes pois este é um sinal clínico indicativo de que há um problema ao nível do sistema nervoso.

Cão a pressionar a cabeça na parede: descrição


Um cão a pressionar a cabeça na parede, ou head pressing em inglês, é um termo que descreve um ato compulsivo do animal em estar parado e virado para uma parede, esquina ou objeto, com a cabeça cabisbaixa e a pressionar (ou não) contra esse mesmo objeto, sem qualquer motivo aparente. É uma condição que afeta cães de qualquer raça e idade.

Cão a pressionar a cabeça na parede: sinais associados


cao a fazer xixi

Um cão a pressionar a cabeça na parede é usualmente indicativo de lesão no sistema nervoso, nomeadamente ao nível do córtex cerebral, e crê-se que possa ser uma tentativa de aliviar alguma pressão sentida na cabeça. Como tal, é possível que esta alteração se faça acompanhar de outros sinais clínicos aos quais deve estar atento:

  • Marcha em círculos;
  • Perda de comportamentos aprendidos;
  • Comportamentos bizarros (apanhar moscas “invisíveis”, alheamento);
  • Micção ou defecação em locais inapropriados;
  • Convulsões;
  • Alteração de “feitio” e dos reflexos;
  • Andar “sem rumo”.

 

Cão a pressionar a cabeça na parede: causas


cao a pressionar a cabeca na parede e traumatismo

Existem diversos motivos para que esta alteração neurológica ocorra. A lesão no sistema nervoso pode ser causada por:

1. Traumatismo

Traumatismos cranianos, devido a acidentes de tráfego, quedas etc., podem causar hemorragias e lesões com consequências no sistema nervoso.

2. Alterações metabólicas

– Encefalopatia hepática: Certas doenças que provoquem alterações no fígado podem, em última instância, levar a uma acumulação de amónia e outras substâncias prejudiciais para o organismo devido ao facto de o fígado não estar a ser capaz de as eliminar. Estas substâncias em excesso funcionam como toxinas para o sistema nervoso.

– Desequilíbrios no sódio: O défice ou o excesso de sódio no sangue provocam alterações na irrigação do cérebro e consequentemente alteram o seu funcionamento.

– Infecção: Há inúmeros agentes que podem causar infecção do sistema nervoso, nomeadamente os vírus da Esgana canina e da Raiva e os fungos da Criptococose.

– Neoplasia: Os tumores podem causar alterações, tais como a invasão e compressão de regiões do cérebro, perturbações vasculares secundárias, mudanças nas estruturas adjacentes ao cérebro.

– Intoxicação: Devido à natureza curiosa do cão, o envenenamento ou o consumo de substâncias tóxicas é outra das grandes causas de alterações neurológicas. A intoxicação por chumbo, presente nas baterias e lubrificantes dos carros, tintas e inseticidas, e por etilenoglicol (presente no líquido anti-congelante do carro) são comuns e muitas vezes negligenciadas por parte dos proprietários por falta de conhecimento. A ingestão acidental de etilenoglicol é uma das causas mais comuns de intoxicação em animais domésticos.

Cão a pressionar a cabeça na parede: diagnóstico


diagnostico medico veterinario

Tratando-se de uma manifestação/consequência de uma causa primária, o diagnóstico consiste em, através de meios específicos, tentar descobrir o que está a provocar o ato do cão a pressionar a cabeça na parede.

Em qualquer dos casos, mal o proprietário detete o comportamento do seu cão a pressionar a cabeça na parede, este deve levá-lo de imediato ao médico veterinário. É importante referir que o sucesso do diagnóstico depende muito da informação fornecida pelo dono do animal, nomeadamente do acesso que este tem a determinadas substâncias que são consideradas tóxicas. Um exame físico será realizado para identificar se há mais sinais neurológicos presentes.

O exame do fundo do olho para avaliar a retina e as estruturas adjacentes, pode indicar a presença de alterações inflamatórias ou infeciosas, assim como irregularidades no sistema nervoso.

No caso de haver suspeita de intoxicação, uma recolha de sangue será realizada para analisar as alterações presentes e possível deteção de toxinas.

A medição da pressão arterial para determinar se há alterações da vascularização e perfusão, assim como análise à urina e ao líquido cefalorraquidiano são possíveis exames a realizar.

Em casos mais avançados em que haja suspeitas de afeção cerebral, poderá ser necessário realizar uma ressonância magnética ou uma tomografia axial computorizada (TAC), de forma aos veterinários terem acesso a imagens detalhadas do cérebro que possam evidenciar a presença de alguma massa ou outras alterações.

Cão a pressionar a cabeça na parede: tratamento


cao em tratamento no veterinario

O tratamento para um cão a pressionar a cabeça na parede varia consoante a patologia primária.

Nos casos mais agudos de intoxicação, é necessária uma estabilização do paciente através de soro e de medicação para inativar as toxinas e impedir que o organismo as absorva.

No caso de um tumor, é necessário avaliar a sua localização, tipo e progressão, e o tratamento pode passar pela cirurgia e quimio/radioterapia.

Caso se trate de uma infeção, o procedimento vai variar de acordo com o agente em causa.

O prognóstico varia consoante o grau de severidade da causa primária e sobre se já há ou não lesões permanentes. De qualquer dos modos, quanto mais depressa o cão é visto por um especialista, maiores são as suas possibilidades de recuperar.

Veja também:

Drª Rita Campilho Drª Rita Campilho

Rita Campilho é médica veterinária. Apesar de viver na cidade, sempre teve contacto com animais e desde cedo que percebeu a importância destes como parte integrante do ecossistema. Tornou-se médica veterinária no Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar da Universidade do Porto e atualmente trabalha com cavalos, cães e gatos. Também com cães na família, acredita que é através da educação e do conhecimento sobre comportamento e saúde animal que se consegue o melhor para os animais e para quem vive com eles.

O Vida Ativa disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento nutricional, de saúde ou de treino. O Vida Ativa não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui nem dispensa a assistência profissional qualificada e individualizada. Caso pretenda sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].