Publicidade:

Cancro da próstata: sintomas, diagnóstico e tratamento

O cancro da próstata é o cancro mais comum nos homens. Que precauções deve tomar para tentar evitar o seu aparecimento? A que sintomas deve estar atento?

 
Cancro da próstata: sintomas, diagnóstico e tratamento
Um dos problemas que mais afeta os homens.

O cancro da próstata é anualmente diagnosticado a cerca de 4000 homens, havendo uma taxa de mortalidade de cerca de 1000 doentes por ano, tornando-o assim na segunda causa de morte por cancro, em Portugal, logo trás do cancro do pulmão. Números preocupantes e que nos levam a referir que a consciencialização para esta doença é muito importante.

Atualmente, à medida que a idade avança, muitos homens têm tendência a sofrer de problemas relacionados com a próstata. Esta é uma glândula específica do aparelho reprodutor masculino que é responsável pela produção de sémen. A sua localização situa-se entre a bexiga e o reto.

De forma praticamente invariável no ser humano, a próstata aumenta de tamanho à medida que o indivíduo envelhece, acabando por contrair a uretra trazendo dificuldade na função urinária. Precisamente aqui podem surgem diversos problemas tais como a hiperplasia benigna da próstata ou mesmo o cancro da próstata que iremos perceber ao longo do artigo.

Quais os principais sintomas de cancro da próstata?


cancro da prostata dor pelvica

Tal como em diversos outros tipos de cancros, o cancro da  próstata é assintomático na sua fase inicial, não causando sintomas. Mas numa fase mais avançada pode mesmo causar problemas urinários graves ou disfunção erétil. Por isso mesmo é importante conhecer os sintomas a que tem que estar atento para saber quando deve consultar um médico.

  • Sensação de dor ou ardor ao urinar;
  • Jato mais fraco ao urinar;
  • Necessidade de acordar diversas vezes durante a noite;
  • Demora ao iniciar a micção;
  • Urina ou esperma com sangue;
  • Fluxo intermitente de urina;
  • Sensação de não conseguir esvaziar a bexiga;
  • Dor na região pélvica;
  • Ejaculações dolorosas;
  • Perda de peso inexplicável.

 

5 exames que deve fazer para o diagnóstico de cancro da próstata


cancro da prostata medico e paciente

Se tem mais de 40 anos e/ou suspeita que pode ter um problema na próstata, deve marcar uma consulta de urologia a fim de poder tirar todas as dúvidas. O cancro da próstata pode ser diagnosticado através de uma combinação de procedimentos:

  1. Exame físico: Através do toque retal, o médico tenta detetar a existência de alguma área irregular e dura que possa indicar cancro;
  2. Análise à urina: Avalia-se a qualidade da urina e a presença de sangue;
  3. Análise ao sangue: esta análise serve para detetar níveis anormais de PSA (antigénio prostático específico), uma proteína produzida pela próstata;
  4. Ecografia transretal: Através de uma sonda é possível visualizar a próstata num monitor, em busca de anomalias;
  5. Biopsia da próstata: Este é o único meio que confirma o cancro da próstata a 100%. Consiste na extração e análise de parte do tecido do órgão.

No entanto, antes de qualquer um destes exames, é importante insistir na prevenção. Logo, uma vigilância adequada a partir dos 50 anos (40 anos se existir história familiar de cancro ou homens de raça negra) deteta a doença numa fase inicial permitindo assim um tratamento mais adequado com menos consequências a longo prazo.

Como é feito tratamento de cancro da próstata?


cancro da prostata cirurgia

Uma vez confirmado o diagnóstico pelo médico, é hora do mesmo decidir o melhor tratamento para o doente tendo como base a gravidade do tumor, o desenvolvimento deste bem como o próprio doente.

De todas as opções existentes destacam-se a cirurgia (com remoção da glândula prostática), radioterapia, crioterapia, hormonoterapia e quimioterapia.

Como pode prevenir o aparecimento de cancro da próstata?


cancro da prostata alimentacao saudavel

Todos os homens podem sofrer de cancro da próstata, uma vez que esta doença é conhecida por ser tão comum como imprevisível. Apesar de não haver um fator que leve ao desenvolvimento deste tumor, existem alguns fatores que aumentam essa possibilidade.

Os dois fatores mais importantes são a idade, uma vez que quanto mais velho for, maior e mais sensível fica a próstata, e o historial familiar.

Precisamente em relação a estes dois fatores é importante dizer que nem todos os homens sabem os benefícios que uma simples consulta no urologista pode fazer. E por isso mesmo, se tem mais de 50 anos, deve marcar uma para saber se está tudo bem ou se deve alterar alguma coia no seu estilo de vida de forma a evitar esta doença.

Em relação ao seu estilo de vida, o exercício físico é essencial como na prevenção de inúmeras outras doenças. O praticar exercício físico vai permitir que o seu organismo se mantenha mais saudável, mas também a sua saúde mental fique mais jovem. Por isso mesmo é importante que realize pelo menos caminhadas diárias de 30 minutos, ou aulas de hidroginástica, corrida ou mesmo acompanhamento num ginásio.

Por último, e a somar a todos estes fatores que deve ter em consideração, está a alimentação que pode ter um papel fundamental no (não) desenvolvimento desta doença.

Assim, manter uma dieta variada, pobre em gorduras saturadas e rica em frutas e legumes é importante, bem como introduzir os seguintes alimentos:

  • Salmão, sardinhas e atum (peixes ricos em ómega-3 que ajudam o sistema imunitário);
  • Cenoura (rica em vitamina A e antioxidantes, ajuda a prevenir diversos tipos de cancro);
  • Soja, feijão, amendoim e lentilhas (leguminosas ricas em fitoestrogénios que combatem as células cancerígenas);
  • Tomate (rico em licopeno, um poderoso antioxidante);
  • Brócolos e couve-flor (ricos em sulfurafano, responsável por combater células cancerígenas, preservando as células-boas);
  • Romã (alguns estudos indicam o elagitanino ajuda a reduzir os níveis de PSA bem como prevenir o aparecimento de recidivas).

 

Veja também:

Farmacêutica Rita Teixeira Farmacêutica Rita Teixeira

Licenciada em Estudos Básicos de Ciências Farmacêuticas pela Faculdade de Farmácia da Universidade do Porto e a terminar o mestrado em Ciências Farmacêuticas na mesma Universidade. É apaixonada pela escrita, por viagens e pela organização de eventos de saúde.

O Vida Ativa disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento nutricional, de saúde ou de treino. O Vida Ativa não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui nem dispensa a assistência profissional qualificada e individualizada. Caso pretenda sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].