8 Dicas essenciais para acabar com a baixa autoestima: valorize-se!

Duvidamos de nós mesmos e deixamos que o nosso amor-próprio seja afetado pela opinião alheia. Estas dicas vão ajudar a acabar com a sua baixa autoestima!

8 Dicas essenciais para acabar com a baixa autoestima: valorize-se!
Está na hora de aumentar a sua autoconfiança!

A insegurança e as dúvidas em relação às nossas qualidades e potencialidades fazem parte da vida de todos nós. Em alguns momentos das nossas vidas sentimo-nos menos confiantes e seguros de nós mesmos. O perigo espreita quando os pensamentos negativos relativos a nós mesmos persistem no tempo, nos causam sofrimento e afetam o nosso amor-próprio. Se acredita pouco em si e se duvida de tudo aquilo que faz, este artigo é para si! Ponha em prática estas 8 dicas e acabe de uma vez com a baixa autoestima.

Mas afinal, o que é a autoestima?


mulher feliz com ela mesma

Passamos a vida a ouvir falar em autoestima e todos nos dizem que devemos melhorar a nossa autoconfiança, mas afinal o que é a autoestima e o significa ter uma baixa autoestima? Vamos descobrir!

A autoestima é a avaliação que fazemos de nós mesmos, e pode ser positiva ou negativa. É a soma de dois componentes essenciais: o autorrespeito e a autoconfiança. É um dos principais segredos para o nosso sucesso ou para o nosso fracasso, já que reflete a nossa capacidade de entender e enfrentar os desafios que a vida nos coloca.

De forma simplificada, diz respeito à forma como nos vemos, ao que pensamos de nós e ao valor que nos damos enquanto pessoa. Pode ter vários níveis:

  • Autoestima elevada: a pessoa sente-se confiantemente adequada à vida. Sente-se competente e bem-sucedida;
  • Autoestima média: a pessoa flutua entre sentir-se adequada ou inadequada, certa ou errada;
  • Baixa autoestima: a pessoa sente-se inadequada à vida e fracassada. Pode ter um tremendo impacto negativo em vários domínios da vida. Pessoas com baixa autoestima tendem a desvalorizar-se, a criticar-se, a duvidar delas mesmas e a não reconhecer as qualidades que têm e os sucessos que alcançam.

 

É urgente acabar com a baixa autoestima!


baixa autoestima e mulher triste

A baixa autoestima é extremamente incapacitante e pode interferir gravemente no dia-a-dia, afetando o desempenho académico/profissional, as relações pessoais, as interações sociais e a saúde.

Pessoas com baixa autoestima acreditam que são pouco capazes, evitam situações de desafio e vivem com medo constante de não serem capazes de enfrentar as tarefas diárias. São também menos capazes de se defenderem diante das críticas e abusos cometidos pelos outros e fazem um esforço desmedido para lhes agradar. Mais ainda, tendem a evitar atividades e situações sociais com receio de serem avaliadas ou julgadas.

Não é difícil de compreender que conviver diariamente com pensamento negativos, com autocrítica e com insegurança, potencia o surgimento de alguns problemas de saúde, nomeadamente depressão, ansiedade, fobia social ou até perturbações do comportamento alimentar.

8 dicas essenciais para acabar com a baixa autoestima


amigas felizes

A baixa autoestima pode ser muito prejudicial, no entanto, há solução! Se convive diariamente com uma baixa autoconfiança e se não se valoriza tanto quanto devia, estas 8 dicas são para si:

1. Avalie a sua autoestima. Faça o seguinte exercício: escreva um pequeno texto que reflita a sua personalidade, as suas qualidades e os seus defeitos. Repare se o texto reflete uma imagem positiva ou negativa de si.

2. Reflita de que forma a baixa autoestima afeta o seu dia. Evita determinados eventos? A ansiedade e o receio de falhar são uma constante? Perceba que chegou a hora de mudar!

3. Assuma o papel de detetive e atente a todos os pensamentos negativos. Questione a sua veracidade e tente substitui-los imediatamente por pensamentos mais positivos.

4. Liste as suas habilidades e competências e repare que são bem mais que aquelas que julgava.

5. Ao final do dia faça o exercício de recordar todas as coisas boas que aconteceram durante o dia e faça uma retrospetiva geral de tudo de bom que existe na sua vida.

6. Não viva em função da opinião dos outros! Se as pessoas que estão ao seu redor são demasiado críticas e pouco compreensivas, talvez esteja na hora de estabelecer novas relações, mais felizes e mais saudáveis;

7. Não seja demasiado perfecionista! Erra é humano. Permita-se errar de vez em quando;

8. Se a baixa autoestima afeta demasiado a sua vida e não está a conseguir controlar a situações, talvez deva considerar a hipótese de recorrer a ajuda especializada.

Veja também:

Psicóloga Ana Graça Psicóloga Ana Graça

Mestre em Psicologia, pela Universidade do Minho, com a dissertação “A experiência de cuidar, estratégias de coping e autorrelato de saúde”. Especialização (Pós-Graduada) em Neuropsicologia Clínica, Intervenção Neuropsicológica e Neuropsicologia Geriátrica. Membro efetivo da Ordem dos Psicólogos Portugueses, com especialidade em Psicologia Clínica e da Saúde e Neuropsicologia. Para além da Psicologia é apaixonada por viagens, leitura, boa música, caminhadas ao ar livre e tudo o que proporcione felicidade!