Atraso no desenvolvimento da fala: 11 sinais de alerta

Sabe quando é que se deve preocupar com o atraso no desenvolvimento da fala? Neste artigo vamos enumerar 11 sinais importantes de alerta! Conheça-os.

Atraso no desenvolvimento da fala: 11 sinais de alerta
As alterações da fala e da linguagem são comuns na idade pré-escolar

A linguagem é a nossa principal forma de comunicação. É através dela que expressamos as nossas necessidades, desejos e sentimentos, que nos relacionamos com os outros, que desenvolvemos e que temos acesso à informação e ao conhecimento. A maioria das crianças adquire e desenvolve as competências linguísticas sem grande esforço, no entanto, há crianças que apresentam dificuldades na compreensão, expressão e uso da linguagem.

Através deste artigo, vamos tentar compreender melhor as situações de atraso no desenvolvimento da fala.

O desenvolvimento da linguagem


atraso no desenvolvimento da fala menino sem falar

A linguagem pode ser definida como um sistema ajustado de símbolos arbitrários que são combinados de modo sistemático e orientado para armazenar e trocar informações.

A linguagem chega ao nosso cérebro através dos sistemas visual e auditivo, enquanto o sistema motor produz o discurso falado e escrito.

Apesar de o hemisfério esquerdo ser usualmente dominante para a linguagem, o hemisfério direito é importante para a compreensão da linguagem.

A linguagem verbal oral adquire-se natural e espontaneamente e manifesta-se pela aquisição de uma língua. Naturalmente, para que tal aconteça, a criança tem de estar exposta a essa língua.

O desenvolvimento da linguagem inicia-se no contexto restrito da família e, com a entrada na escola, há a participação em novos e mais estimulantes ambientes sociais e linguísticos, tendo lugar um enriquecimento linguístico.

As aquisições e os marcos de desenvolvimento ocorrem aproximadamente na mesma idade em todas as crianças e, já antes de começar a falar, a criança utiliza o olhar, as expressões faciais, o choro e o gesto para comunicar com os outros, no entanto, nem sempre estas aquisições ocorrem de acordo com o esperado e, por vezes, surgem situações de atraso no desenvolvimento da fala.

Marcos do desenvolvimento da linguagem


atraso no desenvolvimento da fala mae e bebe

Existem importantes marcos do desenvolvimento da linguagem que importa conhecer:

Nacimento: reflexo de orientação e localização da fonte sonora. Preferência pela voz materna. Choro e som vegetativo;

1-2 semanas: distinção entre voz e outros sons;

1-2 meses: discriminação na base do fonema. Sorriso social. Choro com intenção comunicativa;

2 meses: discriminação entre vozes que expressam ternura ou zanga (até aos 4 meses). Palreio e risos. Começa o domínio da regra básica da conversação;

3 – 9 meses: palreio e lalação. Identificação de padrões de entoação e ritmo (5-6 meses);

9 – 13 meses: compreensão das sequências fonológicas em contexto. Por exemplo, quando perguntamos “Onde está o pai?” ou “Onde está a mãe?” a criança vira-se na direção correta ou dá os braços.

12 meses: diz as primeiras palavras. Entende muitas palavras familiares e ordens simples associadas aos gestos;

18 meses: conhece algumas partes do corpo. Acha objetos a pedido. Realiza brincadeira simbólica com miniaturas. Poderá produzir 30 a 40 palavras. Começa a combinar duas palavras;

24 meses: segue instruções envolvendo dois conceitos verbais. Possui um vocabulário de cerca de 150 palavras. Combina duas ou três palavras;

30 meses: entende os primeiros verbos. Entende instruções envolvendo até 3 conceitos. Usa habitualmente a linguagem telegráfica;

36 meses: conhece diversas cores. Reconhece plurais, pronomes que diferenciam os sexos e adjetivos. Inicia o uso de artigos, plurais, preposições e verbos auxiliares;

48 meses: começa a aprender conceitos abstratos (duro, mole). Entende “se”, “porque”, “quanto”. Compreende 1500 a 2000 palavras. Formula frases corretas, faz perguntas, usa a negação, fala de acontecimentos no passado e antecipa eventos no futuro.

Perturbações da linguagem na infância


As habilidades básicas da linguagem desenvolvem-se de forma rápida e sequencial e, aos 6 anos de idade a maioria das crianças são hábeis no uso da mesma, no entanto, nem sempre o desenvolvimento da linguagem ocorre com sucesso.

As principais alterações da linguagem podem ser divididas em 2 grandes grupos:

  1. O atraso de desenvolvimento da linguagem (situações em que a aquisição das habilidades linguísticas se faz de forma típica, seguindo a sequência desenvolvimental esperada, embora mais tarde do que a idade habitual para cada etapa de desenvolvimento);
  2. A perturbação específica do desenvolvimento da linguagem (o desenvolvimento da linguagem processa-se de modo atípico, revelando um desenvolvimento irregular nos diversos componentes linguísticos, sem qualquer perda da linguagem já adquirida, nem lesões cerebrais observáveis).

Estas alterações limitam a capacidade da criança para comunicar e estão muitas vezes na origem de perturbações do comportamento, isolamento social e insucesso escolar.

Atraso no desenvolvimento da linguagem

O atraso de desenvolvimento da linguagem engloba os atrasos na aquisição e /ou desenvolvimento da linguagem, sem que existam sintomas de défices intelectuais, sensoriais ou motores.

As crianças que apresentam esta problemática não adquirem nem desenvolvem a linguagem nas etapas consideradas normais. Este atraso pode ser ligeiro, moderado ou grave e ter como causa fatores sócio-ambientais (casos de abandono, maus tratos, falta de estimulação), ou fatores orgânicos (cegueira, surdez e défices intelectuais).

Atraso no desenvolvimento da fala: 11 sinais de alerta


atraso no desenvolvimento da fala menina mais sossegada

São várias as caraterísticas que se podem assinalar nas crianças com atraso no desenvolvimento da linguagem:

  1. Aparecimento das primeiras palavras depois dos 2 anos de idade;
  2. A associação de palavras não aparece até por volta dos 3 anos de idade;
  3. Vocabulário ainda reduzido aos 4 anos;
  4. Desinteresse em comunicar: pouca iniciativa na comunicação, com dificuldades em iniciar e manter uma conversa;
  5. Compreensão da linguagem superior à expressão;
  6. Importante desenvolvimento do gesto como meio de comunicação;
  7. Não palrar por volta dos 3-4 meses e não apontar aos 12 meses;
  8. Não contar uma história aos 3 anos;
  9. Apenas utilizar a 3ª pessoa, o presente e formas impessoais até aos 5 anos;
  10. Omissão de sílabas em palavras compridas, bem como usar maioritariamente frases simples e curtas, conhecendo apenas objetos familiares;
  11. Presença de alterações emocionais.

A presença destes sinais pode sugerir a presença de atraso no desenvolvimento da fala e pode justificar uma intervenção multidisciplinar adaptada à criança.

Veja também:

Psicóloga Ana Graça Psicóloga Ana Graça

Mestre em Psicologia, pela Universidade do Minho, com a dissertação “A experiência de cuidar, estratégias de coping e autorrelato de saúde”. Especialização (Pós-Graduada) em Neuropsicologia Clínica, Intervenção Neuropsicológica e Neuropsicologia Geriátrica. Membro efetivo da Ordem dos Psicólogos Portugueses, com especialidade em Psicologia Clínica e da Saúde e Neuropsicologia. Para além da Psicologia é apaixonada por viagens, leitura, boa música, caminhadas ao ar livre e tudo o que proporcione felicidade!