Publicidade:

Antiparasitas: pipeta, coleira, comprimidos, spray antiparasitário

Existem vários métodos antiparasitas como as pipetas, coleiras, comprimidos e sprays. Para garantir uma maior eficácia é importante que use o mais adequado.

Antiparasitas: pipeta, coleira, comprimidos, spray antiparasitário
Proteja o seu animal contra os parasitas externos

Os antiparasitas são medicamentos que deve administrar ao seu cão ou gato, com regularidade, de forma a evitar que este fique contaminado com parasitas externos, como pulgas, carraças e mosquitos.

Existem vários princípios ativos que podem ser utilizados para proteção contra diversos parasitas externos e em cada espécie, por isso é importante saber qual o produto mais adequado para o seu animal.

Dependendo de cada produto a duração do seu efeito é variável, por isso deve informar-se com o seu médico veterinário acerca do período de duração de cada produto.

Antiparasitas: parasitas externos


antiparasitas cao com pulgas

Os parasitas externos são aqueles que vivem ou invadem a pele ou pêlo do seu animal, como por exemplo as pulgas, carraças e mosquitos.

A importância destes parasitas externos é grande devido aos problemas que podem causar. As pulgas, carraças e mosquitos podem causar grandes irritações na pele e também podem ser vetores de doenças graves com caraterísticas zoonóticas, ou seja, transmissíveis entre as pessoas e os animais.

Devido ao risco associado a estes parasitas e à fácil disseminação, é importante utilizar antiparasitas adequados para cada animal.

Tipos de antiparasitas


Existem diferentes tipos de antiparasitas, com diferentes formas de aplicação, duração e princípios ativos diferentes. Para cada situação e indivíduo há um tipo de antiparasita mais indicado, portanto deve informar-se com o seu médico veterinário acerca do produto mais indicado para o seu animal.

Tendo em conta os princípios ativos, deve ter em consideração duas coisas importantes: para que espécie é indicado e que parasitas abrange. Nunca deve colocar produtos para cães em gatos nem o contrário, pois pode causar severas intoxicações no animal.

Se procura um desparasitante que abranja os mosquitos ou carraças, deve também ter o cuidado de se informar se o que está a pensar adquirir é o mais indicado, pois, na sua maioria abrangem as pulgas, mas nem todos são repelentes de carraças e mosquitos.

A maioria das pipetas só pode ser utilizada a partir de 1 kg ou 2 meses de idade, portanto, antes de administrar estes produtos no seu animal deve questionar o seu médico veterinário se é indicado.

1. Pipetas

antiparasitas veterinaria a colocar pipeta em cao

A pipeta spot-on é talvez o tipo de desparasitante mais indicado e mais utilizado pela maioria dos tutores, tanto em cães como em gatos. Existem pipetas para pulgas, pulgas e carraças e para pulgas carraças e mosquitos.

A duração do efeito repelente da maioria das pipetas é de cerca de 1 mês, no entanto existem determinados princípios ativos que aguentam até 3 meses.

É importante ter em consideração o efeito de repelente de cada produto, pois mesmo fazendo as desparasitações se não cumprir rigorosamente o período de aplicações o animal pode apanhar parasitas externos.

A pipeta spot-on coloca-se na zona do dorso do animal, na parte de trás do pescoço. Deve afastar o pêlo de forma a desenhar uma linha, e colocar o conteúdo da pipeta nessa mesma linha. Deve ter cuidado para que o animal não consiga chegar ao local onde colocou o produto.

Depois de colocar a pipeta deve ter cuidado para não tocar na zona do produto até secar, pois é perigoso para as pessoas, especialmente crianças, se ingerirem.

O animal não deve ser molhado 3 dias antes e depois da colocação da pipeta, pois o produto perde o seu efeito. Se o seu animal vai com muita frequência à água este pode não ser o método ideal para o seu melhor amigo.

2. Spray antiparasitário

Os sprays antiparasitas devem ser utilizados apenas para cães e gatos com idade inferior a 2 meses ou menos de 1 kg, uma vez que é o único método que pode ser utilizado nestes animais.

Em cães e gatos bebés é necessário ter cuidado ao administrar este medicamento considerando a quantidade administrada, pois é muito fácil intoxicá-lo acidentalmente. O melhor nestas idades é pedir ao seu médico veterinário que o faça, para não correr riscos desnecessários.

3. Coleira

antiparasitas cao com coleira anti pulgas

As coleiras têm o benefício de ter duração de efeito repelente durante 6 meses a 1 ano. No entanto, alguns animais, especialmente os que vivem com outros, não toleram as coleiras, pois a brincar, conseguem retirá-las uns aos outros. Isto acaba por ser perigoso uma vez que se ingeridas, podem causar intoxicações.

Existem umas coleiras que funcionam como protetores de coleiras antiparasitas. Estas coleiras têm uma espécie de rede no seu interior para colocar a coleira antiparasitas, e portanto, tornar mais difícil a sua destruição.

Gatos que têm acesso ao exterior também não é recomendável que usem coleiras, mesmo as coleiras com efeito antiparasitas, uma vez que podem ficar presos e por em risco a sua vida.

Animai com problemas de alergias ou sensibilidade dermatológica podem desenvolver uma alergia à própria coleira, e portanto nessas situações o seu uso é contraindicado.

4. Comprimidos

Existem comprimidos com diversos efeitos, e deve informar-se acerca das utilizações de cada um. Alguns comprimidos apenas têm efeito imediato de matar as pulgas, sem o efeito de repelente, portanto, se optar por esse tipo de comprimido deve utilizá-lo em simultâneo com outro tipo de produto antiparasitas com efeito repelente.

Outros comprimidos têm também efeito repelente, variável entre 1 a 3 meses, no entanto a sua maioria apenas serve apenas contra pulgas ou pulgas e carraças, não prevenindo a leishmaniose e a dirofilariose.

Este é um bom método para animais que se molham com frequência. No entanto, é recomendável que seja utilizado em conjunto com uma coleira ou pipeta spot-on.

Veja também:

Fonte

1. Control of Ectoparasites in Dogs and Cats, 2018. Disponível em:
https://www.esccap.org/uploads/docs/v5sc2etz_0720_ESCCAP_Guideline_GL3_update_v8_1p.pdf

Dra. Patrícia Azevedo Dra. Patrícia Azevedo

Patrícia Azevedo é médica veterinária natural de Braga. Desde a sua infância que é apaixonada por animais e sempre teve a ambição de ser médica veterinária. Trabalhou como voluntária em associações de proteção e ajuda a animais errantes desde os 11 anos de idade . Iniciou o seu percurso como estudante desta área na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro e concluiu os seus estudos no Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar. Tem três gatos e uma cadela retirados da rua. Trabalha atualmente na sua cidade natal, em medicina e cirurgia de pequenos animais.

O Vida Ativa disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento nutricional, de saúde ou de treino. O Vida Ativa não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui nem dispensa a assistência profissional qualificada e individualizada. Caso pretenda sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].