Publicidade:

Como identificar e tratar um aneurisma

Um aneurisma, seja cerebral ou da aorta, é um problema grave que o pode acompanhar toda a vida. Saiba como se desenvolve e como o pode prevenir.

 
Como identificar e tratar um aneurisma
Um problema mais comum em mulheres do que em homens.

Um aneurisma é uma palavra forte que, para a maior parte das pessoas, está associado a uma doença grave. Mas será que sabe tudo sobre este problema?

Este começa por ser uma dilatação de uma artéria que pode evoluir para um problema bem mais grave. Ao longo da vida existem duas opções para o doente que vive com um aneurisma: ou este rebenta e causa uma hemorragia interna ou permanece sem rebentar durante toda a vida.

O ideal é a segunda opção, no entanto torna-se difícil para um paciente viver com esta dúvida para sempre. Vamos descobrir tudo sobre este problema.

O que é um aneurisma?


aneurisma cerebral

Um aneurisma é uma protuberância na parede de uma artéria. Sempre que se encontra uma dilatação anormal numa artéria, fazendo com que se forme uma espécie de balão muito frágil que não consegue resistir à pressão arterial elevada, estamos na presença de um aneurisma.

As artérias saudáveis têm paredes musculares que resistem à força exercida pelo sangue a circular. É quando perdem resistência num ponto, e cedem, que se forma o aneurisma.

Este é muito comum na população em geral, e nem sempre causa sintomas ou problemas graves. No entanto, torna-se grave quando este balão rebenta e provoca uma hemorragia ou uma isquemia dos tecidos irrigados pela artéria atingida.

O risco é consideravelmente maior quando o paciente é fumador ou tenha histórico familiar de doenças vasculares, problemas renais ou hipertensão. Esta situação pode acabar por se tornar num problema muito grave.

Zonas onde normalmente ocorrerem aneurismas


aneurisma zonas afetadas

Os aneurismas podem ocorrer em qualquer artéria. Acaba por ser mais comuns na aorta, que é a artéria principal que transporta sangue do coração para o corpo, mas também podem ocorrer noutras artérias, incluindo:

  • Pernas (artérias femorais das coxas, artérias poplíteas atrás dos joelhos);
  • Coração (artérias coronárias): sendo estes muito raros;
  • Pescoço (artérias carótidas);
  • Cérebro (artérias cerebrais);
  • Intestino (artérias mesentéricas);
  • Baço (artéria esplénicas).

 

Tipos de aneurisma existentes


aneurisma situado na cabeca

1. Aneurisma da aorta abdominal

A aorta abdominal é a parte da aorta que passa pela cavidade abdominal e estes aneurismas podem surgir em qualquer idade, porém são mais frequentes em homens depois dos 50 anos. Cerca de 205 destes apresentam rutura ao longo do tempo.

2. Aneurisma da aorta torácica

É uma saliência com sangue numa parte da aorta que passa pelo peito. Este aneurisma é considerado grave uma vez que a saliência na aorta torácica pode tornar-se fraca e a força da pressão sanguínea normal pode fazer com que esta se rompa. O que por sua vez, pode levar a uma hemorragia interna grave.

3. Aneurisma cerebral

Este aneurisma ocorre nas artérias do cérebro. Sempre que há uma rutura deste tipo de aneurisma, verifica-se uma hemorragia no tecido cerebral resultando muitas vezes num acidente vascular cerebral (AVC).

Como os aneurismas cerebrais estão próximos do cérebro e geralmente são pequenos, são de difícil diagnóstico e o tratamento difere dos de outros aneurismas.

Quais são os sintomas mais comuns da presença de um aneurisma?


aneurisma dor de cabeca

Os sintomas dependem unicamente do local e gravidade do aneurisma. Normalmente os mais pequenos costumam ser assintomáticos. Mas quando crescem podem comprimir parte da estrutura do cérebro ou abdómen e provocar sintomas mais graves.

Se ele ocorrer perto da superfície do corpo, o paciente pode apresentar dor e inchaço nessa região, bem como uma espécie de caroço visível.

Se ele ocorrer dentro do corpo, especialmente no cérebro, não existem sintomas visíveis – apenas quando rebentam. Se isso acontecer, então já pode haver:

  • Dor;
  • Pressão arterial baixa;
  • Dores de cabeça súbitas;
  • Náuseas;
  • Vómitos;
  • Vertigens;
  • Perda de consciência;
  • Aumento da frequência cardíaca.

O risco de morte após a rutura é elevado.

Quais são as principais causas para o aparecimento de um aneurisma?


aneurisma medicao da tensao arterial

O aneurisma surge pelo enfraquecimento da parede arterial. Este enfraquecimento pode ser congénito, devido a uma mal formação numa artéria à nascença e pode afetar qualquer pessoa, ou então pode-se desenvolver ao longo da vida. Neste último ponto a aterosclerose acaba por ser uma das principais causas, juntamente com infeções bacterianas ou fúngicas após o uso de drogas ou devido a ferimentos graves na pele.

No entanto, as causas para a sua ocorrência ainda não são 100% claras no mundo da medicina, apesar de já se conhecerem alguns fatores que acabam por ser prejudiciais.

Principais fatores de risco para o aparecimento de um aneurisma


aneurisma fumar

Dentro dos fatores mais comuns temos a hipertensão que, quando não controlada através de medicação, pode ser prejudicial à formação de um aneurisma. Também o tabagismo, e correspondente fumo, e o aparecimento de traumatismos, sejam golpes ou ferimento penetrantes, são propícios ao desenvolvimento deste tipo de problemas.

A somar a estes fatores de risco, temos ainda o colesterol alto, aterosclerose, uso de drogas (especialmente a cocaína), infeções específicas e ingestão de grandes quantidades de álcool.

De salientar ainda que os adultos do sexo feminino têm uma maior probabilidade de desenvolver este problema, do que crianças e homens.

Formas de prevenção da formação de um aneurisma


aneurisma seniores passadeira

De uma forma geral, as formas de prevenção passam por contrariar os fatores de risco. Pelo menos aqueles que dependem de cada pessoa e do seu estilo de vida.

Assim, ir controlando os valores de pressão arterial é uma medida importante para prevenir alguns tipos de aneurisma. Seguir uma dieta saudável, rica em vegetais e fruta, fazer exercício físico regular e manter os níveis de colesterol normais também ajuda a evitar este problema bem como as suas complicações.

Por último, se fuma, deixe de o fazer o mais brevemente possível. Fumar continua a ser um vício prejudicial à saúde.

Veja também:

Farmacêutica Rita Teixeira Farmacêutica Rita Teixeira

Licenciada em Estudos Básicos de Ciências Farmacêuticas pela Faculdade de Farmácia da Universidade do Porto e a terminar o mestrado em Ciências Farmacêuticas na mesma Universidade. É apaixonada pela escrita, por viagens e pela organização de eventos de saúde.

O Vida Ativa disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento nutricional, de saúde ou de treino. O Vida Ativa não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui nem dispensa a assistência profissional qualificada e individualizada. Caso pretenda sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].