"Amamentar ajuda a emagrecer": mito ou realidade?

Sempre ouvimos dizer que amamentar ajuda a emagrecer. Mas quantas calorias se gastam, afinal, e que cuidados é necessário ter? Tire todas as suas dúvidas!

A amamentação tem custo energético para o organismo e pode ajudar a retornar à sua forma física antiga.

Após o nascimento do bebé, a prioridade para a maioria das recém mamãs é voltar ao peso que tinham antes de engravidar. E como desde sempre ouvimos falar, amamentar ajuda a emagrecer. No entanto, há alguns fatores a considerar para este pressuposto ser verdade.

Ainda que a maioria do peso que se ganha durante a gravidez seja devido ao bebé em si, por vezes, uma ingestão alimentar redobrada sem necessidade, associada ao sedentarismo, fazem com que ganhe mais quilos do que os previstos, tornando a missão de voltar ao peso habitual mais difícil.

Vejamos então como é que amamentar ajuda a emagrecer.

Como é que amamentar ajuda a emagrecer?


amamentar ajuda a emagrecer

Como já explorado anteriormente, a amamentação traz inúmeros benefícios tanto à mãe como ao bebé. O leite materno é o alimento mais adequado às necessidades nutricionais da criança, sendo também importante para proteção imunológica, a para prevenção da obesidade a longo prazo, assim como de algumas formas de alergias, linfoma, diabetes, doenças cardiovasculares e do aparelho digestivo.

Segundo a recomendação da Organização Mundial de Saúde, a prática da amamentação exclusiva durante seis meses, contribui para uma perda de peso por parte da mãe, de forma mais rápida e saudável: cerca de 500g por semana entre a 4.ª e a 14.ª semana pós-parto, o que equivale a uma perda de até 5kg.

Com efeito, a amamentação nos primeiros quatro a seis meses tem um custo energético adicional para o organismo da mãe de cerca de 500-800 calorias diárias, dependendo do peso e do grau de atividade física, pressupondo que esta não fica mais sedentária.

Como tal, existindo este gasto energético adicional, é mais fácil criar um balanço energético negativo (mais calorias gastas do que do ingeridas) e, consequentemente, ocorre uma perda de peso mais rápida e fácil.

Amamentar ajuda a emagrecer? Nem sempre…


mulher com apetite

Apesar de amamentar facilitar o emagrecimento, é importante salientar que há fatores externos que podem interferir com este equilíbrio, nomeadamente o facto de o apetite aumentar.

Como referido anteriormente, apenas se conseguirá emagrecer caso o balanço energético seja negativo. No entanto, se responder a todos os impulsos alimentares que provavelmente sentirá nesta fase, a amamentação pode deixar de ser uma aliada e passar a ser uma inimiga do emagrecimento.

A ideia de que a amamentação gasta muitas calorias pode fazer com que a mãe acabe por comer o dobro, ultrapassando facilmente as suas necessidades energéticas diárias.

Cuidados necessários para conseguir emagrecer


alimentos saudaveis

1. Tenha cuidado com a alimentação, rodeie-se de alimentos saudáveis e de baixo valor energético

Não ataque alimentos açucarados e/ou ricos em gordura. Evite inclusive ter estes últimos na sua dispensa / frigorífico.

2. Coma apenas até se sentir saciada

Este processo torna-se mais fácil se comer devagar, mastigar bem os alimentos e fizer algumas pausas durante a refeição, visto que o seu corpo precisa de tempo para se sentir cheio e ativar os mecanismos da saciedade.

3. Fazer pequenas refeições regulares ao longo do dia

Outro aspeto importante para controlar melhor o apetite ao longo do dia e não comprometer o emagrecimento é, fazer pequenas refeições regulares ao longo do dia, de modo a manter a glicemia estável e evitar picos de açúcar que promovem a fome.

4. Leia os rótulos dos produtos

Por último, quando for comprar alimentos, tenha atenção aos rótulos alimentares dos produtos embalados. Não deve olhar apenas para o valor energético do produto, mas também para o teor de açúcar, gordura e sal.

Leia todo o rótulo e a lista de ingredientes e verifique qual é o componente que existe em maior percentagem. Se for açúcar ou gordura, exclua.

De uma forma geral, deverá evitar a ingestão de alimentos processados, incluindo bebidas gaseificadas e comidas pré-cozinhadas.

Além desta questão do apetite, também é importante que alie a alimentação a uma prática regular de exercício físico, pois o sedentarismo e as noites mal dormidas também podem limitar o efeito da amamentação no emagrecimento.

Neste caso, tenha apenas em atenção o tempo de descanso necessário após o parto para a prática de exercício: três semanas no caso do parto normal ou seis semanas para a cesariana.

Em suma, amamentar ajuda a emagrecer?


Sim, visto que promove um gasto energético adicional que facilita a perda de até cerca de 5kg, nos primeiros 3 meses.

No entanto, esta teoria é facilmente deitada a baixo se os seus hábitos alimentares se tornarem mais desequilibrados ou se começar a ingerir quantidades exageradas de alimentos e se se tornar mais sedentária.

Assim sendo, e para que a amamentação a ajude a emagrecer, consulte um nutricionista para obter ajuda e saber qual a alimentação mais adequada para si.

Veja também:

Nutricionista Rita Lima Nutricionista Rita Lima

Rita Lima é nutricionista e trabalha, atualmente, nos ginásios Urban Fit de Ermesinde, Antas Prime Fitness e CulturaFit Club no Porto. Durante 2 anos colaborou no projeto Dragon Force do Futebol Clube do Porto e com o Boavista Futebol Clube. É licenciada em Ciências da Nutrição pela Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto e frequentou o Curso de Nutrição no Desporto na mesma faculdade.