Publicidade:

3 alimentos que podem prender o intestino

A obstipação é um problema gastrointestinal comum. O baixo consumo de fibra e a baixa ingestão de água são as causas mais comuns.

 
3 alimentos que podem prender o intestino
Fique a conhecer alguns alimentos que podem agravar a obstipação

A obstipação é um problema gastrointestinal comum e é descrita como uma complicação na passagem das fezes que pode ser desconfortável e dolorosa. Existem vários fatores que podem estar envolvidos nesta condição, incluindo o tipo de dieta (baixo consumo de fibras), a ingestão insuficiente de água e a inatividade física (1, 2, 3). A sensibilidade individual faz com que dois indivíduos diferentes apresentem respostas distintas a nível intestinal quando expostos ao consumo de determinado tipo de alimento. No entanto, existem alimentos que podem prender o intestino com maior probabilidade.

A prevalência deste problema é maior em adultos com idade igual ou superior a 65 anos, uma vez que com o avanço da idade os movimentos intestinais (peristálticos) diminuem, a ingestão hídrica e a dieta podem estar desajustados, ocorre uma diminuição da mobilidade e da atividade física e um aumento da probabilidade de desenvolver patologias e consequente uso de fármacos (1,2).

Também durante a gravidez, especialmente no último trimestre, o risco de obstipação é elevado devido ao aumento das hormonas sexuais, da diminuição dos movimentos intestinais e da pressão mecânica exercida pelo feto nos intestinos (1).

Alimentos que podem prender o intestino


Como já referido, a ingestão de alguns alimentos está associada a maior probabilidade de desenvolver obstipação. Destacamos os seguintes:

1. Álcool

Alimentos que podem prender o intestino

O álcool é apontado frequentemente como um dos maiores potenciadores de obstipação, uma vez que o seu consumo excessivo pode causar desidratação devido ao efeito provocado no aumento da perda de fluidos pela urina (efeito diurético). A baixa ingestão ou a perda aumentada de líquidos leva consequentemente a um estado de obstipação.

2. Produtos que tenham como base cereais refinadas

Alimentos que podem prender o intestino

Os alimentos provenientes de cereais refinados, como o pão branco, o arroz branco e a massa branca, são tipicamente menos nutritivos e apresentam menor quantidade de fibra uma vez que aquando o processamento lhes é removido a casca, o farelo e o gérmen, local onde se encontram a maioria da fibra e micronutrientes.

No entanto, em alguns casos o consumo destes alimentos na forma integral podem levar ao agravamento da obstipação e ao consequente aumento da sintomatologia (4).

3. Alimentos processados e Fast Food

Alimentos que podem prender o intestino

O consumo excessivo de processados pode levar ao aumento do risco de obstipação, uma vez que são tipicamente ricos em açúcar, sal, gordura e pobres em fibra, levando a uma diminuição da digestão.

Obstipação, dieta e ingestão de fibra


O baixo consumo de fibra, devido à inadequação da ingestão de fruta e vegetais, juntamente com a baixa ingestão de água são a causa mais comum de obstipação (2, 3). Quando se verifica esta situação, o aumento da ingestão de água e o ajuste dos hábitos alimentares e de estilo de vida são suficientes para a resolução do problema.

A questão do aumento da ingestão de fibra é muito controversa. Estudos indicam que uma dieta que apresente na sua constituição fibras solúveis pode melhorar o estado de obstipação e dos sintomas associados, resultando em menor tempo de trânsito do cólon, enquanto a dieta pobre em fibras induz este estado. No entanto, o consumo excessivo de fibra, nomeadamente através de suplementos alimentares, pode piorar o estado de obstipação (1, 3).

O aumento da ingestão de fibras deve ser sempre acompanhado por uma ingestão adequada de água.

As fibras insolúveis não são fermentáveis no intestino, passando pelo aparelho gastrointestinal praticamente intactas e têm como função o aumento do volume fecal, e o aumento dos movimentos intestinais.

Por sua vez, as fibras solúveis são fermentadas pelas bactérias intestinais, e ajudam no controlo do esvaziamento gástrico e promovem a absorção de água tornando as fezes mais volumosas, moles e mais fáceis de expulsar. As funções descritas de ambas as fibras contribuem para a prevenção da obstipação.

Conclusão


Em suma, o consumo de alimentos processados leva a uma diminuição do consumo de alimentos benéficos para o intestino, tipicamente ricos em fibra, como a fruta e os vegetais, aumentando assim a probabilidade de desenvolver obstipação.

É ainda de referir que a toma de suplementos de cálcio e ferro podem causar obstipação.

Uma dieta equilibrada juntamente com um bom estado de hidratação e com a prática de atividade física são a melhor forma de evitar e solucionar um estado de obstipação. Mais do que excluir alimentos que podem prender o intestino é preciso aprender a escolher o que comer e analisar a reação após a sua ingestão.

Veja também:

Fontes

1. Forootan, M et al. (2018). Chronic constipation. A review of literature. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/29768326
2. Shah, BJ et al. (2015). Constipation. Disponível em: https://annals.org/aim/article-abstract/2218050/constipation
3. Annells, M et al. (2003). Constipation and the preached trio: diet, fluid intake, exercise. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/14568365
4. Ho, Kok-Sun et al. (2012). Stopping or reducing dietary fiber intake reduces constipation and its associated symptoms. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3435786/

Nutricionista Luís Cristino Nutricionista Luís Cristino

Luís Cristino (CP. 3994N), é nutricionista licenciado em Ciências da Nutrição pela Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto em 2018. Atualmente exerce funções nas áreas da nutrição clínica e da otimização da performance desportiva.

O Vida Ativa disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento nutricional, de saúde ou de treino. O Vida Ativa não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui nem dispensa a assistência profissional qualificada e individualizada. Caso pretenda sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].