5 Alimentos que não devia comprar para dar às suas crianças

De entre os alimentos que não devia comprar para dar às crianças, estão alguns bem conhecidos dos papás. Se tem filhos, vai querer de saber quais são.

5 Alimentos que não devia comprar para dar às suas crianças
Deixe de comprar estes alimentos para os mais novos.

É fundamental e necessário ter cuidado com a alimentação infantil e por isso deve conhecer os alimentos que não devia comprar para dar às suas crianças.

Há muito que se debate a importância da alimentação no crescimento e desenvolvimento saudável de uma criança. Mas cada vez mais os pais são deparados com uma oferta alimentar enorme, muitas das vezes de alimentos altamente processados e pobres do ponto de vista nutricional.

Neste artigo, reunimos uma lista de alimentos que as crianças não devem comer para que comece e ter mais atenção no supermercado.

Conheça os alimentos que não devia comprar para dar às suas crianças


1. Barras de cereais

Barras de cereais e alimentos que nao devia comprar para dar as suas criancas

A maioria das barras de cereais disponíveis nos supermercados não são saudáveis para as crianças. Contudo há algumas exceções, pelo que é muito importante ler sempre os rótulos e fazer boas escolhas.

As barras de cereais escondem um problema chamado açúcar. Uma única barra de cereais publicitada para crianças pode ter, por exemplo, 7g de açúcar que é mais do que um pacote de açúcar que vem a acompanhar o café.

Mas não é só o açúcar que aparece em grandes quantidades, existe também o problema da gordura e, particularmente, da gordura saturada, que numa barra para crianças pode ser cerca de 3g.

2. Bolachas

bolachas acucaradas

As bolachas são um dos alimentos presentes nas marmitas de muitas crianças, seja para o lanche da manhã ou para o meio da tarde. Mas tal como os cereais de pequeno-almoço, são muitas vezes mal escolhidas.

As bolachas são ricas em açúcar e farinhas refinadas (na sua maioria) e têm um elevado índice glicémico, ou seja, o seu açúcar é rapidamente absorvido para a corrente sanguínea. Esse pico glicémico causará desconforto, fome, necessidade de açúcar, mal-estar, desconcentração, entre outros.

As gorduras saturadas e trans são também um ingrediente usual nas bolachas.

Ao escolher bolachas, certifique-se que os nível de açúcares é inferior a 6g/100g; as gorduras totais inferiores a 15g/100g ou conter essencialmente gorduras insaturadas; e o sódio inferior a 1mg/100g.

 3. Cereais de pequeno-almoço

varios cereais de pequeno almoco

Existe uma variedade enorme de cereais de pequeno-almoço presentes no supermercado. São os cereais de chocolate, de frutos vermelhos, de mel, de canela… Sabores e formas diferentes não faltam.

De facto, só cereais de pequeno-almoço são a principal escolha dos mais novos para começar o dia. Mas será essa a melhor opção? Depende.

Por trás de uma caixa colorida, com ar saudável e desenhos chamativos de cereais de pequeno-almoço, repleta de alegações nutricionais, há uma grande quantidade de açúcar e de sal que muitas vezes passam despercebidos aos olhos dos pais.

Por isso, ao escolher estes alimentos para os seus filhos, prefira os cereais com menor teor de açúcar e sal ou cereais integrais, que por não terem sofrido processo de refinação conservam quase a totalidade da sua estrutura e todos os nutrientes, sendo assim mais ricos do ponto de vista nutricional.

4. Pães de leite

paes de leite

Os pães de leite são muitas vezes uma alternativa ao pão normal que os pais oferecem às suas crianças. Essa troca, contudo, não é equilibrada.

Por mais irresistíveis que sejam, estes pãezinhos possuem um teor de açúcar e de gordura muito superior ao do pão e comer um pão de leite diariamente não é uma prática muito saudável para os mais novos, que em Portugal já apresentam níveis elevados de excesso de peso e obesidade.

Escolha sempre pães integrais ou de cereais para complementar a lancheira das crianças, e em casa, evite ter estes pãezinhos de leite nas prateleiras.

5. Papas industrializadas

papa de bebe

Embora nem sempre possuam conservantes e açúcares adicionados, mas tenham leite, as papinhas industrializadas possuem menos nutrientes, menos diversidade de sabores e textura e são mais doces que as caseiras, ou seja, não são consideradas como um alimento completo.

A diferença que ocorre entre as papas industrializadas e as caseiras é que as possuem sabor e consistência mais adequados, suprindo a necessidade da criança passar a discriminar sabores e desenvolver a mastigação com alimentos com mais pedaços, passando a aceitar a comida da família, respeitando os hábitos regionais, que podem se diferenciar do padrão imposto pelas papas industrializadas.

Em suma…


O consumo destes alimentos não será grave se for feito esporadicamente e os seus malefícios podem ser muito reduzidos com uma confeção caseira mais cuidada.

Obviamente, os cuidados devem ser tanto maiores quanto menor for a idade da criança.

Veja também: