7 Alimentos que não deve comer depois de ir ao ginásio

Leia o nosso artigo e fique a conhecer 7 alimentos que não deve comer depois do treino para não prejudicar os seus objetivos.

7 Alimentos que não deve comer depois de ir ao ginásio
Os alimentos que come depois do treino influenciam o seu rendimento desportivo e a recuperação.

A refeição pós-treino é de extrema importância para o aumento da massa muscular e para a recuperação plena em termos musculares e de reservas energéticas.

Como já foi amplamente discutido o que deve comer, hoje falamos-lhe dos alimentos que não deve comer depois de ir ao ginásio, algo que é fundamental saber para impedir erros alimentares que possam prejudicar a sua performance e atrasar o alcance do objetivo.

Importância da alimentação pós-treino


Como referido anteriormente, os alimentos consumidos antes e após o treino são de primordial importância e influenciam, em larga escala, o rendimento desportivo.

Efetivamente, depois de um treino, o organismo precisa de ser ‘reabastecido’, de modo a restaurar as reservas gastas e a reparar os micro danos que o exercício físico provoca no tecido muscular.

Como neste período pós-treino o organismo está mais recetivo aos nutrientes, ocorre uma absorção otimizada dos nutrientes e uma regeneração muscular mais eficaz. Portanto, optar pelos alimentos errados neste momento tão importante, pode potenciar a absorção de nutrientes indesejados (como a gordura) e o aumento da massa gorda ou o atraso no aumento da massa muscular.

Estes “alimentos errados” mencionados anteriormente, podem simplesmente corresponder a alimentos saudáveis mas que, por substituírem outros alimentos mais interessantes para o objetivo, influenciam negativamente o alcance do mesmo.

7 Alimentos que não deve comer depois de ir ao ginásio


1. Alimentos fornecedores de proteína vegetal (leguminosas, cereais integrais)

Alimentos fornecedores de proteina vegetal

Como é do conhecimento geral, após um treino, deve ser consumida proteína para alimentar o músculo. O que muitas vezes é desvalorizado é que os alimentos que fornecem proteína não são todos iguais para este objetivo.

De facto, as proteínas vegetais, nomeadamente a das leguminosas (feijão, grão, ervilhas) ou de cereais como o arroz, são incompletas, ou seja, não possuem todos os aminoácidos essenciais, necessários à recuperação muscular.

Como tal, opte antes por uma proteína de elevado valor biológico (de origem animal), como as carnes magras, o peixe, os lacticínios, a proteína Whey ou o ovo.

2. Proteínas de digestão lenta (caseína ou soja)

Proteinas de digestao lenta

As proteínas de digestão e absorção lenta, como a caseína ou soja, ao contrário da proteína Whey ou da proteína do ovo dificultam a recuperação muscular, visto que demoram muito tempo a serem absorvidas e a chegar ao músculo.

Como tal, fazem também parte do leque de opções a ingerir noutros momentos, nomeadamente em situações de jejum prolongado, como a noite.

3. Alimentos com elevado teor de açúcar adicionado (doces, bolachas, cereais açucarados)

Alimentos com elevado teor de acucar

É normal que, por se sentir fatigado depois de um treino, tenha a tentação de comer um “alimento conforto” como um doce, ou fazer uma refeição mais rica em açúcar.

No entanto, este tipo de alimentos é, na verdade, um excelente exemplo do que não comer depois do treino. Em primeiro lugar, porque não possuem proteína, que, ou seja não contribuem para a síntese de nova massa muscular; em segundo lugar, porque não permitem sequer a manutenção da massa muscular que possui atualmente e estimulam a produção de células gordas.

Por outro lado, é verdade que sentirá um pico de energia, mas essa irá dissipar-se rapidamente, fazendo com que acabe por querer repetir a dose.

Importa, contudo, salientar, que os alimentos que possuem açúcares naturais, nomeadamente a fruta, os sumos de fruta naturais, marmelada, compotas de fruta, cereais integrais, entre outros, não estão incluídos no grupos de alimentos a excluir depois do treino.

4. Alimentos ricos em hidratos de carbono complexos e fibra (aveia, pão e outros cereais integrais)

Alimentos ricos em hidratos de carbono complexos e fibra

Alimentos como a aveia, pão e outros cereais integrais, são fonte de hidratos de carbono complexos e fibra, que atrasam a digestão e absorção de outros nutrientes, como a proteína, e não promovem um restabelecimento das reservas de glicogénio tão eficaz.

Nesta refeição deve, por isso, dar prioridade aos hidratos de carbono de absorção rápida, ou seja, com um índice glicémico mais elevado.

Fruta, pão branco, batata ou arroz/massa bem cozidos, sobremesas como a aletria, o leite-creme ou a gelatina, constituem uma estratégia mais eficaz para o pós-treino.

5. Alimentos com muita gordura (fritos, manteiga, carnes gordas)

Alimentos com muita gordura

A refeição pós-treino não deve incluir muita gordura, de modo a não atrasar a absorção de proteína e a não potenciar o aumento da massa gorda.

Neste sentido, carnes com elevado teor de gordura, alimentos fritos, lacticínios não magros não serão boas opções. É preferível optar por uma carne magra, como o frango sem pele ou pelo peixe magro.

6. Frutos secos oleaginosos e Sementes

Frutos secos oleaginosos e sementes

Pelo facto de serem alimentos ricos em gordura (embora boa) e fibra, os frutos secos oleaginosos e as sementes devem ser consumidos noutras alturas do dia, precisamente para não atrasar a absorção da proteína.

7. Bebidas alcoólicas ou com cafeína

Bebidas alcoolicas ou com cafeina

Outro grande objetivo a alcançar após o treino, é repor a hidratação. Sendo o álcool e a cafeína substâncias com efeito diurético, são promotoras da desidratação.

Assim, a bebida de eleição será a água, de preferência alcalina para remover o lactato gerado pelo exercício, ou chá sem adição de açúcar, pois são as bebidas mais facilmente absorvidas e que, consequentemente, hidratam com maior eficácia.

A sopa de legumes e os sumos de fruta naturais são também boas opções para depois do treino, visto que para além da água fornecem também muitas vitaminas e minerais.

O leite é também uma excelente bebida de recuperação, pois tem a composição nutricional ideal para o pós-treino: proteína, hidratos de carbono, água, vitaminas e minerais nas proporções adequadas.

Veja também:

Nutricionista Rita Lima Nutricionista Rita Lima

Rita Lima é nutricionista e trabalha, atualmente, nos ginásios Urban Fit de Ermesinde, Antas Prime Fitness e CulturaFit Club no Porto. Durante 2 anos colaborou no projeto Dragon Force do Futebol Clube do Porto e com o Boavista Futebol Clube. É licenciada em Ciências da Nutrição pela Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto e frequentou o Curso de Nutrição no Desporto na mesma faculdade.