Alimentos para o Coração: 5 exemplos que fazem a diferença

5 Alimentos para o coração, conhecidos pelo seu efeito protector ao nível cardiovascular e que deve incluir regularmente na sua alimentação.

Alimentos para o Coração: 5 exemplos que fazem a diferença
Saiba mais sobre estes alimentos para o coração, conhecidos pelos seus benefícios para a saúde.

Damos-lhe 5 exemplos de bons alimentos para o coração: conhecidos, com base na evidência científica, por terem um efeito protector ao nível das doenças cardiovasculares. O seu consumo revela-se benéfico não só ao nível do coração como também ao nível arterial e todo o sistema cardiovascular.

O coração é o orgão responsável por bombear o sangue até às restantes partes do organismo, sendo indispensável e vital.

A alimentação está diretamente relacionada com a saúde do seu coração e poderá ser também uma forma de promover a saúde do mesmo. Damos-lhe alguns exemplos.

5 Exemplos de alimentos para o coração


1. Azeite

azeite

Por algum motivo se tem vindo a falar que a adopção de uma alimentação com base na dieta mediterrânica tem benefícios ao nível cardiovascular.

O azeite faz parte da dieta mediterrânica e é considerado uma gordura saudável, rico em ácidos gordos monoinsaturados conhecidos pelo seu papel anti-inflamatório e por ter uma ação direta na prevenção e redução do risco de acidente vascular cerebral, como tem vindo a ser comprovado em publicações científicas.

Além dos ácidos gordos, é rico em vitamina E e K, com carácter antioxidante, nomeadamente na prevenção da oxidação do colesterol, processo inicial de diversos acidentes vasculares.

O consumo de azeite tem vindo ainda a ser correlacionado com a diminuição dos valores de colesterol LDL (o conhecido “mau colesterol”) e também na redução dos valores da pressão arterial, ambos fatores responsáveis por diversos problemas cardíacos.

2. Salmão

salmao

Tanto o salmão como todos os peixes gordos em geral, são considerados bons alimentos para o coração.

O salmão é rico em ácidos gordos ómega-3, nomeadamente EPA e DHA, conhecidos por terem ação anti-inflamatória e terem ação na manutenção da integridade e bom funcionamento das artérias. Tem ainda ação na redução da pressão arterial.

O salmão é ainda rico em potássio, selénio e um antioxidantes chamado astaxantina que, segundo estudos realizados, diminuem o risco de doença cardíaca, contribuem para a redução dos níveis de LDL e para o aumento dos níveis de HDL, conhecido também por “bom colesterol”.

3. Vinho tinto

vinho tinto

O vinho tinto é protetor cardiovascular até determinadas doses. Valores excessivos poderão ter o efeito precisamente inverso ou ser ainda uma agravante.

Um copo de vinho tinto por dia tem efeitos na saúde do seu coração, permitindo o aumento do colesterol HDL e reduzindo os danos oxidativos provenientes do colesterol LDL. Tem ainda efeitos na redução da pressão arterial e reduz o risco de acidente cardiovascular. Pessoas que bebem 150 mL de vinho tinto diariamente têm um risco 32% menor neste âmbito.

Informe-se sempre junto do seu médico, esta recomendação não se aplica a pessoas com contra-indicações associadas ao consumo de qualquer bebida alcoólica.

4. Frutos secos

frutos secos

Nozes, avelãs, amêndoas, amendoins, cajus, pistachios são exemplos de frutos secos.

Os frutos secos são bons alimentos para o coração na medida em que são uma fonte rica em antioxidantes, fibras e gorduras saudáveis. Os seus benefícios com implicação cardiovascular são vários, tais como:

  • Propriedades anti-inflamatórias
  • Reduzem os níveis de colesterol e triglicéridos no sangue
  • Reduzem os níveis de colesterol LDL e aumentam os níveis de bom colesterol, o HDL (considerado protetor cardiovascular).
  • Previnem o stress oxidativo.

Ainda que sejam alimentos saudáveis, têm um elevado teor de gordura pelo que o seu consumo deve ser feito com moderação.

5. Chocolate Negro

chocolate negro

O chocolate negro é rico am nutrientes e antioxidantes. Ainda que deva ser consumido com moderação, porque não deixa de ser chocolate, tem se verificado o seu benefício para a saúde do coração, nomeadamente quando o teor de cacau é superior a 70%.

Contem flavonoides que estimulam o revestimento das artérias a produzir óxido nítrico. Este composto permite o relaxamento das artérias e a redução da pressão arterial.

Contribui ainda para o aumento do HDL e, pela sua capacidade antioxidantes, evita ainda a oxidação do colesterol nas artérias. O chocolate negro tem ainda ação redutora na resistência à insulina, condição esta que pode dar origem a doenças cardiovasculares.

Veja também:

Nutricionista Margarida Beja Nutricionista Margarida Beja

Margarida Beja é Nutricionista (1859NE) e trabalha atualmente no Reino Unido na área da gestão de peso. Anteriormente, trabalhou também no âmbito da nutrição comunitária e nutrição clínica e esteve envolvida em projetos ligados à prevenção da obesidade infantil, coaching e marketing nutricional. É licenciada em Dietética e Nutrição pela Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa.