Publicidade:

6 alimentos para combater o mau hálito que tem de conhecer

Os alimentos para combater o mau hálito podem ser uma boa estratégia para combater ou atenuar um problema ainda muito prevalente na sociedade atual.

 
6 alimentos para combater o mau hálito que tem de conhecer
O impacto dos alimentos no hálito é uma realidade, sendo cada vez mais comum situações de halitose

A melhor forma de combater a halitose é adotar uma boa e mais frequente rotina de higiene oral. Além desta medida, pode também apostar em alguns alimentos para combater o mau hálito, que poderão ajudar a atenuar os maus odores (1).

A halitose é também conhecida como mau hálito e é uma condição médica que se caracteriza pelos odores desagradáveis provenientes da boca. É um distúrbio muito comum (estima-se que quase 50% dos portugueses sofra de halitose) com importante impacto social e na autoestima das pessoas afetadas.

Como surge a halitose?


alimentos para combater o mau halito mulher com halitose

O hálito humano possui uma composição complexa, onde se incluem múltiplos compostos voláteis com odores mais ou menos agradáveis.

Neste contexto, sabe-se que são diversos os fatores que determinam a sua composição e a presença destes compostos, nomeadamente o estado de saúde geral, a condição física, diversas doenças, a ingestão alimentar e medicamentos, fatores ambientais e o estilo de vida.

1. Má higiene oral

Uma das causas mais comuns de halitose é a acumulação da placa bacteriana entre e à volta dos dentes. Esta acumulação de placa bacteriana resulta de um processo de degradação de restos de alimentos pelas bactérias da boca, podendo libertar gases com mau odor.

Além da halitose, a placa bacteriana também pode facilitar o desenvolvimento de cáries e inflamação nas gengivas.

2. Alimentos consumidos

Assim como existem alimentos para combater o mau hálito, também há outros que potenciam esta condição, nomeadamente a cebola, alho, especiarias, café e álcool, depois de digeridos passam para a corrente sanguínea e atingem os pulmões, afetando o hálito.

3. Tabaco

O tabaco também tende a gerar mau hálito, quer diretamente, quer pela indução de doença gengival que liberta mau odor.

4. Outros Problemas de saúde ou determinados medicamentos

Em situações de mau hálito persistente, procure um dentista ou o seu médico de modo a saber se a halitose se deve a algum problema de saúde mais grave, nomeadamente infeções gastrointestinais, de garganta ou respiratórias.

A saliva é importante para a limpeza da boca e para a remoção de partículas. Quando a boca está seca, pode ocorrer halitose. Alguns medicamentos podem contribuir para a menor produção de saliva, como os inibidores da bomba de protões, os ansiolíticos e os anti-histamínicos. (1)

Como tratar a halitose?


alimentos para combater o mau halito escovar os dentes

A melhor forma de combater o mau hálito causado pela placa bacteriana é adotar uma boa rotina de higiene oral:

  • Escove os dentes pelo menos duas vezes ao dia usando um pasta de dentes com flúor. Utilize todos os dias para manter a sua boca limpa e fresca;
  • Escove a sua língua suavemente para remover quaisquer bactérias presas na sua superfície;
  • Use o fio dentário para remover a placa bacteriana e restos de alimentos presos em zonas de difícil acesso entre os dentes;
  • Visite o seu médico dentista regularmente para avaliar a saúde dos seus dentes e gengivas e para uma limpeza profissional que remove quaisquer depósitos mais persistentes de placa bacteriana;
  • A escova de dentes deve ser mudada com regularidade, em média a cada 2-3 meses.

Além destas rotinas, deixe de fumar, beba muita água para manter a hidratação e ajudar a escoar as bactérias e células mortas da boca que podem causar o mau hálito, e evite o consumo de alimentos açucarados, pois o açúcar é o nutriente preferencial da fermentação bacteriana.

6 alimentos para combater o mau hálito


alimentos para combater o mau halito alimentos ricos em vitamina C

Além das medidas indicadas anteriormente, pode, então apostar em alimentos para combater o mau hálito, que devido às suas propriedades refrescantes e ou antimicrobianas, podem ajudar no combate à halitose (2).

1. Ervas aromáticas

As ervas aromáticas têm propriedades refrescantes bem documentadas, pois concedem frescura ao hálito e mascaram os maus odores.

Uma das ervas mais conhecidas para essa finalidade é a salsa, mas aposte também em coentros, hortelã, alecrim e manjericão. Para tal, pode mastigá-las, bochechar e /ou mesmo consumi-las num chá.

2. Alimentos com textura crocante

Frutas e hortícolas com textura crocante ajudam na produção de saliva, o que torna a higienização natural da boca mais fácil e eficaz, evitando a acumulação de bactérias que possam causar mau hálito.

3. Gengibre

O gengibre é comummente usado para aliviar sintomas de problemas digestivos, mas também pode ser uma boa arma contra o mau hálito, devido às suas propriedades anti-inflamatórias e antimicrobianas. Pode consumi-lo de diversas formas, incluindo num preparado com água e limão para bochechar.

4. Alimentos ricos em vitamina C

A vitamina C tem como principal função reforçar o sistema imunitário e impedir a ação a acumulação bacteriana. Laranjas, kiwis e outras frutas cítricas são ótimas opções, assim como pimentos, batata e couve portuguesa.

5. Chá verde

O chá verde além das suas propriedades refrescantes, possui também flavonoides e outros antioxidantes que ajudam no reforço do sistema imunitário e minimizam o mau hálito.

6. Iogurte

O iogurte é um alimento que pode ajudar a diminuir o nível de sulfureto de hidrogénio produzido no processo de fermentação bacteriano, que é um dos causadores do mau hálito.

Além disso, e pelo facto de possuir bactérias benéficas (probióticos), ajuda a equilibrar a flora presente na boca e a reduzir a quantidade de bactérias responsáveis pelo mau odor.

No entanto, importa realçar que é importante escolher versões com baixo teor de açúcar pois o açúcar potencia o surgimento de maus odores (3).

Além destes alimentos para combater o mau hálito, as tradicionais pastilhas elásticas, por norma, com sabor a mentol ou outro sabor fresco, são também bons aliados para combater esta condição. Também neste caso, devem ser utilizadas as versões sem açúcar (4).

Veja também:

Fontes

1. Crispian, Scully. et al (2014). “Halitosis”. Disponível em:
https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4168334/
2. Orenstein, B. W.  (2012). “Foods That Mask Bad Breath”. Disponível em:
https://www.everydayhealth.com/dental-health/foods-that-mask-bad-breath.aspx
3. Janczarek, M. et al (2016). “The role of probiotics in prevention of oral diseases”. Disponível em:
https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/27594560

4. Muniz, F.W. et al (2017). “The impact of chewing gum on halitosis parameters: a systematic review”. Disponível em:
https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/28212110

Nutricionista Rita Lima Nutricionista Rita Lima

Rita Lima é nutricionista, licenciada em Ciências da Nutrição pela Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto em 2016 e frequentou o Curso de Nutrição no Desporto na mesma faculdade. É membro efetivo da Ordem dos Nutricionistas.

O Vida Ativa disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento nutricional, de saúde ou de treino. O Vida Ativa não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui nem dispensa a assistência profissional qualificada e individualizada. Caso pretenda sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].