Alimentos Biológicos: vantagens e desvantagens

Os alimentos biológicos estão na moda e é mais fácil encontrá-los hoje em dia. Saiba se deve ou não inclui-los na sua alimentação e escolha o melhor para si.

Alimentos Biológicos: vantagens e desvantagens
Tudo o que precisa de saber sobre estes produtos

De acordo com dados recentes, cerca de dois terços dos portugueses preferem consumir alimentos biológicos, mas apenas um quinto diz saber que a agricultura biológica também utiliza pesticidas (tanto naturais como sintéticos permitidos).

De facto, os alimentos biológicos apresentam vantagens e desvantagens que deve conhecer para fazer uma escolha mais informada.

O que são alimentos biológicos?


alimentos biologicos vantagens e desvantagens

A agricultura biológica pode definir-se como um sistema agrícola alternativo que surgiu no início do século XX, que proíbe a utilização de fertilizantes e pesticidas sintéticos, baseando-se apenas em fertilizantes e pesticidas de origem orgânica, como o adubo orgânico, que ocorrem naturalmente.

Por outras palavras, alimentos biológicos são aqueles que são produzidos sem recurso a produtos químicos.

Neste tipo de agricultura, os organismos geneticamente modificados, reguladores de crescimento de plantas, hormonas e uso de antibióticos na pecuária são também proibidos.

São promovidas técnicas como a rotação de culturas e o plantio de espécies sinérgicas para diminuir o impacto ambiental, sendo o controlo biológico de pragas um aspeto base deste tipo de agricultura.

Quem escolhe este tipo de alimentos fá-lo, normalmente, por preocupações de saúde e ambientais, além de questões de índole organolética (sabor mais genuíno).

Alimentos biológicos: vantagens


1. Valor nutricional

alimentos biologicos vantagens e desvantagens nutricionista e alimentos

Apesar de, de acordo com a evidência científica, as diferenças a nível nutricional entre os alimentos biológicos e convencionais não serem muito significativas, os alimentos biológicos são, por norma, alimentos de elevada densidade nutricional (fruta, legumes, leguminosas, azeite, entre outros), estando a maior diferença a nível do teor de antioxidantes, importantes na prevenção de inúmeras doenças.

No entanto, e sobre o perfil nutricional dos alimentos, também convém salientar que as diferenças variam de acordo com vários fatores, nomeadamente fatores regionais locais, estações do ano e precipitação, estado de maturação no momento da colheita e época da mesma, sendo que esta variação pode ir de 100% a 200% e influenciar mais do que a origem (biológica ou não) do alimento.

2. Menor impacto na biodiversidade

alimentos biologicos vantagens e desvantagens biodiversidade

Quanto mais intensiva a agricultura, maior o impacto na biodiversidade, seja o sistema orgânico ou convencional. Dado que a agricultura convencional tende a ser mais intensiva, é provável que o impacto deste tipo de agricultura seja maior na biodiversidade.

3. Criação de mais postos de trabalho

alimentos biologicos vantagens e desvantagens homem agricultor

Pelo facto de ser um tipo de agricultura mais natural e original, a agricultura biológica estimula a criação de mais postos de trabalho e de melhores condições de vida nas zonas rurais.

Alimentos biológicos: desvantagens


1. Os pesticidas naturais utilizados na agricultura biológica podem ser mais perigosos do que os sintéticos

alimentos biologicos vantagens e desvantagens laboratorio pesticidas

Bactérias, fungos, plantas, insetos e animais produzem constantemente pesticidas naturais para matar outras espécies.

Bactérias e fungos produzem antibióticos naturais para matar outras bactérias. As plantas produzem pesticidas como a cafeína e a nicotina, para matar insetos que se alimentam delas.

Mas mais importante do que a origem dos pesticidas é a sua toxicidade. Por defeito, presume-se que os pesticidas de origem natural são menos nocivos para a saúde. Mas na realidade, alguns destes demonstraram ser muito mais tóxicos e nocivos para a saúde e o ambiente do que os sintéticos. Ou seja, tanto os pesticidas orgânicos como convencionais são tóxicos a partir de uma determinada dose.

E na agricultura biológica, a utilização de pesticidas e estrume como adubo orgânico poderá ser numa quantidade superior à agricultura convencional, pois os compostos orgânicos tendem a ser menos eficazes na eliminação de pragas e na fertilização do solo.

2. A agricultura biológica tem um impacto ambiental elevado

alimentos biologicos vantagens e desvantagens meio ambiente

Na verdade, os alimentos biológicos requerem 25% a 110% a mais de uso da terra, apesar de usarem menos 15% energia do que os sistemas convencionais por unidade de alimento. Sendo o uso da terra um fator muito relevante, este é um dos pontos da agricultura biológica que mais impacta o ambiente.

Além disso, sistemas orgânicos e convencionais não diferiram significativamente nas suas emissões de gases de efeito estufa ou potencial de acidificação.

Relativamente ao efeito de estufa, os resultados variam dependendo do tipo de alimento (menor para as leguminosas e fruta e maior para os produtos de origem animal), embora a maioria seja equivalente entre culturas biológicas e convencionais.

3. Preço elevado

alimentos biologicos vantagens e desvantagens alimentos no supermercado

Como é do conhecimento geral, os alimentos biológicos têm um preço mais elevado do que os convencionais, até porque demoram mais tempo a ser produzidos e têm custos mais elevados de produção.

No entanto, e tendo em conta que nem o impacto ambiental nem o valor nutritivo destes alimentos difere de forma significativa em relação aos alimentos convencionais, deve questionar-se se vale a pena estar a pagar mais pelo facto de serem biológicos.

4. Tempo de vida mais reduzido

alimentos biologicos vantagens e desvantagens alimentos em fim de vida

Por norma, os alimentos biológicos frescos têm uma durabilidade menor do que os convencionais, o que no estilo de vida atarefado da sociedade atual, pode constituir uma grande desvantagem.

Veja também:

Nutricionista Rita Lima Nutricionista Rita Lima

Rita Lima é nutricionista, licenciada em Ciências da Nutrição pela Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto em 2016 e frequentou o Curso de Nutrição no Desporto na mesma faculdade. É membro efetivo da Ordem dos Nutricionistas.

O Vida Ativa disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento nutricional, de saúde ou de treino. O Vida Ativa não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui nem dispensa a assistência profissional qualificada e individualizada. Caso pretenda sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].