Alheira de Mirandela: o sabor da tradição

A alheira de Mirandela faz parte da vasta lista de enchidos tipicamente portugueses e adeptos desta iguaria não faltam. O que poucos saberão é que além de fazer parte da cultura gastronómica nacional, a alheira de Mirandela tem uma rica história e serviu mesmo para salvar judeus nos tempos da inquisição. Ficou curioso?

Alheira de Mirandela: o sabor da tradição
Além do sabor, a alheira de Mirandela tem mais história do que possa pensar.

Se há iguaria bem portuguesa são os enchidos. Do chouriço à morcela de arroz, passando pelo salpicão, paio, farinheira ou linguiça, sem esquecer claro a alheira, são várias as opções ao dispor dos apreciadores destas delícias. E se receitas de alheiras há muitas, é a alheira de Mirandela a que granjeia mais fama.

O sabor que lhe é característico vale-lhe uma verdadeira legião de apreciadores, mas poucos saberão a verdadeira história por detrás desta delícia, que serviu até para salvar judeus nos tempos da inquisição.

Receitas com alheira de Mirandela


Se é apreciador desta iguaria, certamente delicia-se com uma bela alheira no forno ou frita acompanhada com legumes e salada. Mas há mais formas de as consumir. Aqui ficam algumas ideias.

1. Ovos mexidos com cogumelos e alheira de Mirandela

Ovos mexidos com cogumelos e alheira de Mirandela

Uma ideia simples, para os dias mais apressados.

– Ingredientes –

  • 250g de cogumelos frescos brancos laminados
  • ½ alheira de Mirandela de boa qualidade
  • 6 ovos grandes
  • Azeite, sal, pimenta (pode usar mistura de várias pimentas) e salsa fresca picada q.b.

– Modo de preparação –

  1. Leve ao lume uma frigideira com um fio de azeite. Junte os cogumelos e deixe fritar até perderem todo o líquido e começarem a ficarem dourados.
  2. Tempere com sal e pimenta.
  3. De seguida, acrescente a alheira já sem a pele e cortada aos pedaços. Deixar fritar mais uns dez minutos, mexendo cuidadosamente. Depois, retire e reserve mantendo quente.
  4. Coloque mais um pouco de azeite na frigideira e deixe aquecer.
  5. Adicione os ovos e mexa bem até coagularem (deve deixar mais húmidos ou secos conforme o gosto).
  6. Tempere os ovos com sal e pimenta e, por fim, junte os ovos com os cogumelos e a alheira.
  7. Polvilhe com salsa fresca picada e acompanhe com pão torrado.

2. Alheira à Brás

Uma ideia que leva o sabor da alheira de Mirandela a um dos incontornáveis pratos da gastronomia portuguesa.

– Ingredientes –

  • 1 alheira de Mirandela de boa qualidade
  • 400g de grelos (previamente bringidos)
  • 1 ovo
  • ½ cebola média
  • 1 dente de alho
  • 1 folha de louro
  • Azeite, pimenta preta, sal, batata palha e azeitonas cortadas q.b.

– Modo de preparação –

  1. Leve ao lume um sauté com o azeite e a cebola picada e deixe cozinhar levemente. Quando estiver a ficar translúcida, junte o alho também picado.
  2. Depois, remova a pele da alheira, junte-a no sauté cortada em pedaços pequenos e deixe cozinhar um pouco.
  3. Junte depois os grelos e um pouco de batata palha.
  4. À parte, bata o ovo, e acrescente à mistura da alheira. Se necessário, retifique os temperos.
  5. Quando o ovo estiver cozinhado, mas ainda cremoso, junte mais um pouco de batata palha, envolva e retire do lume.
  6. Envolva as azeitonas e sirva.

3. Tortilha de alheira

Tortilha de alheira

Mais uma ideia que combina a tradição da alheira em pratos simples e muito saborosos.

– Ingredientes –

  • 1 cebola pequena picada
  • 5 batatas médias
  • 1 alheira de Mirandela
  • Pimento vermelho e verde cortado às tiras q.b.
  • 6 ovos
  • Azeite, sal e pimenta (moída na hora) q.b.

– Modo de preparação –

  1. Descasque as batatas e corte-as em rodelas. De seguida, frite-as em óleo bem quente. Tenha atenção para não fritar demasiado (devem ficar mais cozidas do que fritas).
  2. Retire a pele à alheira e frite-a numa frigideira, sem adicionar gordura nenhuma.
  3. Quando a alheira estiver bem douradinha, retire do lume e deixe arrefecer.
  4. Pique a cebola e coloque na frigideira juntamente com um pouco de azeite.
  5. Junte os pimentos cortados às tiras e deixe saltear até a cebola estar mole.
  6. De seguida, junte as batatas e a alheira cortada em pedaços.
  7. À parte, bata os ovos bem batidos e tempere com sal e pimenta.
  8. Adicione os ovos na frigideira e deixe cozinhar um pouco, até os ovos estarem coagulados. Vire a tortilha e deixe cozinhar do outro lado.
  9. Sirva acompanhada de uma salada mista.

> As receitas apresentadas neste artigo foram adaptadas das páginas O meu tempero, Flavors and Senses e 7 Gramas de ternura, respetivamente.

Alheira de Mirandela: mais do que um sabor, uma história


alheira de mirandela e alho

Muitos dos apreciadores que consomem e se deliciam com uma saborosa alheira de Mirandela, não estarão a par da origem deste enchido tipicamente nortenho.

A verdade é que a história da famosa e tão apreciada alheira de Mirandela é de tal forma curiosa que despertou até o interesse de uma jornalista da BBC, Theodora Sutcliffe, que passou por terras lusas, provou a alheira de Mirandela, ficou curiosa com a iguaria e não resistiu a partilhar a história daquela que apelidou da “salsicha portuguesa que salvou judeus”.

Ora, reza a história que a origem da alheira de Mirandela remonta a finais do século XV, inícios do século XVI , em plena época da inquisição espanhola. Segundo a investigação da jornalista britânica, por volta de 1492, Fernando de Aragão e a rainha Isabel de Castela, conquistam Granada e invadem Palácio da Alhambra. Como exímios católicos, deram início a uma verdadeira perseguição aos judeus, a inquisição espanhola.

Por essa altura foram vários os judeus que fugiram de Espanha em busca de abrigo em Portugal, mas não tardou até que a inquisição chegasse ao nosso país. Ora, ainda que os judeus se tivessem visto obrigados a esconderem-se por entre os católicos. Muitos formaram comunidades e tentavam fazer-se passar por cristãos por forma a evitar serem capturados. No entanto, em Trás-os-Montes, a criatividade foi um pouco mais longe.

Como não comiam carne de porco, tornavam-se facilmente identificáveis pelos perseguidores. Mas, por terras do norte, houve alguém que decidiu trocar-lhes as voltas e acabaram por criar um enchido em que as carnes de porco eram substituídas por outros tipos de carnes (como frango, vitela, coelho, peru, pato ou perdiz, por exemplo), juntamente com massa de pão, num enchido que era em tudo semelhante aos tradicionais, mas que não continham as carnes de porco, proibidas pelas religião judaica.

… e factos?

Claro que como em todas as histórias há quem duvide. Há quem defenda que esta não passa de uma ideia popular e que não há factos que suportem esta teoria. Há até quem diga que a origem da alheira se deve apenas ao ciclo de produção de fumeiros caseiros e à necessidade de conservação das carnes dos diversos animais criados e para consumo próprio. Mas a ser verdade, a história da origem da alheira de Mirandela é, sem dúvida, notável.

Certo é que, com o passar do tempo evoluiu de um “disfarce” de fuga à inquisição, para um dos pratos mais típicos e apreciados da gastronomia portuguesa e, com o passar dos tempos, atualmente há diversas variações da receita original, havendo alheiras de carne de porco, bacalhau, vegetarianas ou carne de caça, por exemplo.

Bom apetite!

Veja também: