Publicidade:

A agressividade nos cães tem relação com as raças?

A agressividade nos cães pode ter várias causas, mas será que a raça do animal está relacionada com o seu grau de agressividade? Saiba tudo sobre este tema.

 
A agressividade nos cães tem relação com as raças?
A raça do cão determina se é dócil ou agressivo?

A agressividade nos cães é um tema que preocupa os tutores e no geral toda a sociedade. As causas de agressividade podem ser várias, no entanto, pensa-se que algumas raças possam ser mais perigosas do que outras. Será mito ou verdade?

Agressividade nos cães: tipos de agressividade


agressividade nos cães

A agressividade nos cães funciona como um instinto para a sua própria sobrevivência, e foi este instinto que provavelmente permitiu que chegassem até aos dias de hoje. Existem vários tipos de agressividade que podem ser classificados de acordo com o instinto biológico que motivou o ato.

No entanto, é muito difícil classificar a agressividade nos cães de uma forma generalizada, uma vez que cada caso é um caso, e perceber o contexto em que o cão se demonstrou agressivo e qual o estimulo que desencadeou esse comportamento.

Por isso, é tão importante recorrer a um profissional habilitado como um treinador certificado ou um médico veterinário especialista em comportamento animal, que muitas vezes atuam em conjunto para identificar o problema e resolve-lo.

Agressão relacionada à posse de recursos

Geralmente este tipo de agressividade está relacionada com a falta de socialização dos cães enquanto cachorros, restringidos a um determinado espaço durante muito tempo, ou em casos em que o animal é treinado com o propósito de defender o seu território.

Agressão por medo

A agressão por medo, é talvez a causa mais comum de agressividade em cães. Resulta de uma socialização e treinos errados, como é o exemplo de treino com reforço negativo, ou seja, com punições.

Agressão causada por dominância

Alguns cães estão mais predispostos a liderarem, esta é uma caraterística genética hereditária, e estes cães em especial, exigem um treino mais firme, que muitas vezes não é dado aos cães numa fase inicial da sua vida, e mais tarde pode vir a ter repercussões.

Agressividade nos cães: causas


Agora que já vimos quais os tipos de agressividade mais frequentes, é importante também perceber quais as possíveis causas de agressividade nos cães.

Genética

agressividade nos cães

A genética tem um papel importante no que se relaciona a agressividade em cães, no entanto, por si só não determina se um cão será agressivo ao não.

Muitas raças que conhecemos hoje foram criadas pelo homem, através de cruzamentos entre outras raças, de forma a tentar criar cães com as melhores caraterísticas. Muitos foram criados com o intuito de guardarem as propriedades e as pessoas e alguns para, lutas.

Então, as caraterísticas que prevaleceram nestes animais foram os seus instintos de proteção territorial, menos timidez e maiores níveis de agressividade.

Sociabilização

A sociabilização é uma das coisas mais importantes para a vida do seu cão, pois este período em cachorro vai ser responsável por moldar o seu cão e torna-lo num cão adulto saudável.

Este processo ocorre desde cedo, entre as 3 e as 12 semanas, podendo estender-se até aos 6 meses de idade, e envolve o contacto com pessoas, outros animais, espaços e objetos, para que o cão se sinta confortável com o máximo de coisas.

Também é durante este período que os medos e traumas se podem transformar em fobias para a vida, e no futuro desencadearem agressividade, por isso é tão importante o período de sociabilização ser feito corretamente, e muitas vezes com ajuda de profissionais.

Treino

agressividade nos cães

O treino deve começar logo em cachorro e vai condicionar o comportamento do cão no futuro. E importante que haja uma boa comunicação e que o cão compreenda o que o tutor lhe está a ensinar, e essencialmente, que esse treino seja feito de forma positiva, ou seja, com reforços positivos, utilizando recompensas, em vez de castigos.

O treino com reforço negativo, à base de castigos, que podem ou não ser físicos, levam a que o cão não saiba comunicar sem ser com agressividade, pois foi ensinado dessa forma.

Doença física

Alguns cães podem começar a manifestar agressividade devido a problemas de saúde que causam dor em algum local do seu corpo. Por vezes, a agressividade é o único sinal de que algo está errado com o seu animal, e pode ser interpretada de uma forma incorreta.

Se o seu cão começar a manifestar comportamentos agressivos é melhor levá-lo ao médico veterinário para descartar uma causa física, antes de qualquer outra.

Agressividade nos cães: raças potencialmente perigosas


agressividade nos cães

Uma vez que a genética desempenha um papel importante na tendência para a agressividade do cão, existe legislação que procura controlar o problema da agressividade em cães.

A legislação portuguesa considera raças potencialmente perigosas, aquelas que, devido às caraterísticas da espécie, comportamento agressivo, tamanho ou potência da mandíbula possam causar lesão ou morte a pessoas ou a outros animais, englobando todas as seguintes raças e cruzamentos de raças entre estas:

Ou seja, estas raças são consideradas, não perigosas, mas sim potencialmente perigosas, devido às suas caraterísticas físicas. Estes cães, devem sofrer um treino e sociabilização corretas, de forma a evitar comportamentos agressivos. No entanto, por si só a raça não os define como agressivos.

A legislação portuguesa distingue os cães potencialmente perigosos dos cães perigosos, e neste ultimo grupo qualquer cão de qualquer raça se pode inserir, desde que tenha mordido uma pessoa ou outro animal ou tenha sido considerado como tal pela entidade competente devido ao seu comportamento agressivo ou especificidade psicológica.

Assim, apesar de certas raças terem propensão para ser mais agressivas, a genética não é um fator decisivo no comportamento do cão, mas sim o seu treino, estímulos, sociabilização e interações durante o seu crescimento, especialmente durante o seu período de sociabilização.

Veja também:

Fontes

DGAV. Disponível em: http://www.dgv.min-agricultura.pt/portal/page/portal/DGV/genericos?generico=7605253&cboui=7605253
Characteristics and risk factors of dog aggression in the Slovak Republic. Disponível em: https://pdfs.semanticscholar.org/7881/f1c0dd8bef30ce99931073f52366be7c907c.pdf
Genetic mapping of canine fear and aggression: Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4977763/

Dra. Patrícia Azevedo Dra. Patrícia Azevedo

Patrícia Azevedo é médica veterinária natural de Braga. Desde a sua infância que é apaixonada por animais e sempre teve a ambição de ser médica veterinária. Trabalhou como voluntária em associações de proteção e ajuda a animais errantes desde os 11 anos de idade . Iniciou o seu percurso como estudante desta área na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro e concluiu os seus estudos no Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar. Tem três gatos e uma cadela retirados da rua. Trabalha atualmente na sua cidade natal, em medicina e cirurgia de pequenos animais.

O Vida Ativa disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento nutricional, de saúde ou de treino. O Vida Ativa não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui nem dispensa a assistência profissional qualificada e individualizada. Caso pretenda sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].