Sabe o que pode acontecer se sofrer afasia?

A afasia desenvolve-se após uma lesão cerebral e pode ter diversas implicações no dia-a-dia. Venha descobrir quais os sintomas e as suas principais causas.

Sabe o que pode acontecer se sofrer afasia?
Problemas na linguagem ou na compressão?

A afasia provém do grego (ἀφασία, a+fasia) e considera-se uma perturbação na linguagem, seja na parte de compreensão como formulação. Mas como e porque se desenvolve?

Este problema pode associar-se a dificuldades em ações no dia-a-dia, na observação de algo, na concentração, na iniciativa para falar, na memória e pode ainda causar dificuldade na realização de 2 tarefas ao mesmo tempo. Este problema é tão vasto que não existem dois doentes que sofram de afasia da mesma forma.

É um distúrbio mais comum do que, por exemplo, a doença de Parkinson ou Paralisia cerebral. Só nos EUA existem cerca de 100.000 novos casos por ano, com um total de 1 milhão de doentes.

Por isso, é necessário dar a conhecer este distúrbio para que toda a população fique ciente dos problemas associados e esteja atenta a possíveis sinais.

Em que consiste a afasia?


afasia como acontece

A afasia é um distúrbio da comunicação que acaba por interferir na capacidade de processamento da linguagem, sem nunca afetar a inteligência. Prejudica a capacidade de fala e de compreensão e, muitas vezes, pode também afetar a parte da escrita e leitura. Acontece após um problema neurológico, uma lesão cerebral, que pode levar a que uma ou mais partes do cérebro deixem de funcionar apropriadamente.

A sua gravidade e extensão vai depender sempre de diversos fatores como a localização, gravidade da lesão cerebral, da capacidade linguística anterior ao acidente ou mesmo da própria personalidade do doente.

Por esses motivos é que se diz que a afasia vai depender de cada pessoa, e existem doentes que podem entender a linguagem, mas têm problemas na fala enquanto que outros podem não conseguir compreender, mas falam na perfeição.

Afeta sobretudo a população idosa, apesar de ser possível acontecer em qualquer idade, independentemente da raça ou género.

Que tipos de afasia existem?


afasia idoso a falar com homem

A classificação das afasias não é uma classificação fácil. Esta é feita baseando-se em provas de avaliação específica que avaliam vários parâmetros como o discurso, a capacidade de compreensão, repetição e nomeação. O processamento da linguagem pode ainda ocorrer a nível fonético, sintático, semântico ou pragmático.

Hoje em dia, através da neuropsicologia, é possível distinguir dois grandes grupos de afasias: as de expressão e as de receção (ou sensoriais).

1. Afasia de expressão

A fala, ou seja, a capacidade de formar e produzir palavras, é afetada. No entanto a compreensão e a capacidade de formar um conceito são praticamente preservadas a 100%. Pode ainda provocar perda da capacidade de escrever bem, como da leitura oral.

Este distúrbio localiza-se na parte frontoparietal, parte frontal esquerda do cérebro, que inclui a área de broca. Dependendo dessa mesmo área, surgiu a afasia de Broca, em 1861 por Paul Broca, que se carateriza então pela perturbação da expressão oral e escrita e uma alteração ligeira na parte de compreensão que tende a melhorar com o tempo.

A caraterística típica é o discurso hesitante, tendência à repetição de frases e gramática desordenada.

2. Afasia de receção

A capacidade afetada é a de compressão das palavras, levando os pacientes a não entenderem o que lhes é dito bem como a não reconhecerem sinais auditivos, visuais ou táteis. Por vezes também existe perda da capacidade de leitura.

Este distúrbio localiza-se na parte posterofrontal do hemisfério dominante para a linguagem.

Neste tipo, destaca-se a Afasia de Wernicke onde há um discurso fluente, sem pausas e sem repetições, no entanto, muitas vezes, sem lógica e com um uso pouco adequado das palavras.

As principais causas da afasia


afasia exame avc

Uma afasia normalmente deriva de um acidente vascular cerebral. Cerca de 25 a 40% de doentes que tiveram um AVC desenvolvem-na posteriormente.

Existem outras causas possíveis como traumatismos crânio-encefálicos, tumores cerebrais, epilepsia, doenças infeciosas (como meningite), uso de anti-dopaminérgios ou diversos outros problemas neurológicos. Mas resumidamente, desenvolve-se após uma lesão cerebral.

Sempre que esta lesão afeta uma parte do cérebro responsável pela linguagem e compreensão, desenvolve-se a afasia.

Como se diagnostica a afasia?


afasia senhora a pintar

Existem cinco testes necessários para o diagnóstico deste distúrbio. A análise do discurso, a nomeação de objetos por observação direta, repetição de palavras, a compreensão de ordens muito simples e ainda a leitura/escrita.

1. Discurso

É avaliada a fala espontânea através da fluência, numero de palavras, capacidade de iniciar o discurso, presença de erros e ainda as pausas para encontrar as palavras.

2. Nomeação

É solicitada a nomeação de objetos ou leitura das horas para ver se sabe a orem dos números.

3. Repetição

É solicitado que repitam frases gramaticamente complexas.

4. Compreensão

É solicitado aos que apontem objetos nomeados pelo médico, executem comandos com uma etapa e múltiplas etapas e respondam a perguntas simples e complexas “sim ou não”.

5. Leitura/escrita

É solicitado que escrevam espontaneamente e leiam em voz alta de forma a ser avaliada a compreensão da leitura e da escrita.

Além de todos estes testes é essencial que se faça a identificação da lesão cerebral, podendo ser necessário recuso a uma ressonância magnética.

Medidas pós-afasia


afasia terapeuta da fala

O objetivo do tratamento é tornar a comunicação melhor e mais percetível. A maior parte dos pacientes estiveram hospitalizadas por algum tempo, devido à lesão cerebral, e depois da alta hospitalar muitas pessoas com afasia ainda necessitarão de tratamento.

Esta é uma das sequelas mais incapacitantes para o doente e para a a sua família. Este distúrbio obriga a modificações dramáticas a nível profissional, social e económico, e gera dificuldades de comunicação e distúrbios emocionais por vezes graves.

O seu tratamento é quase sempre realizado por terapeutas da fala e a duração depende, entre outras coisas, do tempo de recuperação da afasia.

Veja também:

O Vida Ativa disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento nutricional, de saúde ou de treino. O Vida Ativa não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui nem dispensa a assistência profissional qualificada e individualizada. Caso pretenda sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].