Adotar um animal de estimação: saiba se está preparado para o fazer

Seja um cão, gato ou outro animal, adotar um animal de estimação é uma decisão que deve ser bem ponderada para ser bem tomada. Saiba quais os seus deveres.

Adotar um animal de estimação: saiba se está preparado para o fazer
Tempo, atenção e cuidados de saúde: o que pode esperar.

Compartilhar uma casa com um amigo de quatro patas pode ser uma das maiores alegrias da vida, porém há várias questões a ter em conta antes de adotar um animal de estimação e que devem ser devidamente ponderadas antes de tomar uma decisão por impulso.

Seja pelas necessidades do cão ou gato, seja pelas responsabilidades do dono, adotar um animal de estimação é um fator decisivo na vida de uma pessoa ou família, que passará a contar com um amigo para a vida toda.

Os animais domésticos foram, então, conquistando o seu espaço no seio familiar e hoje já não nos imaginamos sem eles. Mas antes disso, atente a tudo o que deve ter em conta.

6 aspetos a ter em conta antes de adotar um animal de estimação


adotar um animal de estimacao

Cuidar de um animal de estimação vai muito além do providenciar comida, água e abrigo. É preciso pesquisa e planeamento cuidadoso para trazer o animal de estimação certo para a sua casa, e para garantir que o seu estilo de vida seja compatível com o animal de estimação que decide adotar. Atente às nossas dicas sobre o que tem de saber antes de adotar um cão.

Compromisso

Apaixonar-se por um animal é fácil. Não tão simples pode ser tudo o resto, pois não deixa de ser um ser vivo que, tal como os humanos, precisa de tempo, carinho, atenção e cuidados de saúde para ser feliz.

Seja compromisso com as tarefas diárias, que incluem comida, água, escovagem, brincadeira, ensinamentos e passeios; seja com os compromissos mais esporádicos como visitas regulares ao veterinário, desparasitação e vacinação, é importante perceber que ter um animal de estimação não é sempre um mar de rosas de latidos felizes. Está preparado para tal?

Despesas

Os donos dos animais têm a obrigação de cuidar dos seus amigos peludos na saúde e na doença. E é realmente neste ponto que muitas famílias se vêm em dificuldades, pois não é barato cuidar de um animal, seja em termos preventivos, seja quando alguma coisa corre mal.

Estes custos incluem despesas iniciais únicas, como castração, vacinas, aquisição de materiais para o dia-a-dia como coleira, trela, cama, malga de comida e água e brinquedos; bem como o custo anual com visitas de rotina ao veterinário e alimentação adequada.

Os custos são bem menores se estivermos a falar de animais como peixes, coelhos ou porquinhos da Índia, por exemplo.

Espaço

Tem espaço e acomodações adequadas para adotar um animal de estimação? No caso dos cães, é importante, ainda que não imprescindível, que haja uma zona exterior. Patos e galinhas implica obrigatoriamente um espaço exterior para os ter, além disso. Outro tipo de animais, como gatos, contentam-se com o seu espacinho dentro de casa, pelo que as necessidades não são extravagantes.

Todavia, e principalmente se viver numa zona onde existe condomínio deverá, primeiramente, atentar às regras para se certificar de várias questões:

  • Se pode ter animais de estimação;
  • Existe limite ao tipo de animais de estimação que pode adotar;
  • Quantos animais de estimação que pode ter.

Definir o papel de cuidador

Se está apensar em adotar um animal de estimação e se houver mais do que uma pessoa no agregado familiar é importante definir quem será o cuidador principal do animal ou, então, dividir bem as tarefas, para que nada relacionado com o animal seja protelado e negligenciado.

Treino básico

Independentemente da raça ou personalidade do animal a adotar, e claro que este ponto se relaciona mais com os cães, é importante perceber que deverá sempre que dedicar algum tempo ao treino do patudo, seja para comandos simples, seja para comandos mais complexos. Tudo isso depende se é um mero cão da família ou se é, por exemplo, um cão guia.

Assim que o animal chega à nova casa, há um período de adaptação de várias semanas, durante o qual haverá desafios para todos os envolvidos: para o animal que tem que perceber, ou ser dado a perceber, qual o seu papel e quais as regras a cumprir; e para os donos que devem respeitar o tempo necessário de habituação do animal e encontrar a melhor forma de o fazer compreender quais os limites e os comandos que querem que ele aprenda.

Na ausência do dono

Se costuma estar frequentemente ausente de casa, seja ao longo de várias horas durante o dia ou até mesmo durante vários dias, é importante ter um plano B de quem cuidará do seu animal, resolvendo questões como dar comida, água e atenção, e, no caso dos cães, quem os levará a passear.

O animal não pode ficar tempo em excesso sozinho. Atualmente há várias soluções, como contratar um pet sitter ou colocar o animal num hotel especializado. Mas tal implica mais um esforço financeiro, por isso, deverá ponderar esta situação antes de decidir adotar um animal de estimação.

Veja também: