Varizes e derrames: existem diferenças?

Varizes e derrames não são a mesma coisa. Apesar de terem as mesmas causas e sintomas, a manifestação visual é diferente em cada caso.

Varizes e derrames: existem diferenças?
Duas manifestações diferentes da mesma doença venosa, apesar das mesmas causas.

É muito comum as pessoas, principalmente os mais idosos, sofrerem de varizes e derrames. Com o passar da idade as veias perdem força e elasticidade, ficando mais propícias a sofrer dessas doenças.

Serão varizes e derrames a mesma coisa?


varizes e derrames

As varizes e derrames são duas consequências diferentes da mesma doença. As varizes são veias dilatadas e tortuosas, de localização subcutânea, que devido à idade se tornaram mais frágeis, e consequentemente ficaram mais propícias a outras ameaças. Os derrames por sua vez são dilatações de capilares (vasos sanguíneos muito pequenos), os quais estão localizados à superfície da pele.

A diferença visual é que os derrames são pequenos fios à flor da pele, e as varizes são veias dilatadas (mais grossas), as quais se encontram um pouco mais profundas. Em ambos os casos a cor que apresentam pode ser vermelha, azulada ou mesmo rôxa.

Os sintomas são iguais para ambos os casos?


inchaco nas pernas e pes

Tanto nas varizes como nos derrames os sintomas mais comuns são:

  • Sensação de peso nas pernas;
  • Sensação de ardência ou latejar;
  • Inchaço (principalmente nas pernas e pés);
  • Comichão na zona à volta das veias afetadas;
  • Inflamação da pele ou úlceras de pele.

 

Quais são as causas mais comuns?


mulher de idade com varizes e derrames

As causas mais comuns para o aparecimento de varizes e derrames são a idade, o sedentarismo e o excesso de peso.

As nossas veias trabalham o dia todo para ajudar o coração na circulação sanguínea, a qual é mais custosa no caminho de retorno ao coração, devido à ação da gravidade. As veias perdem algumas das suas suas características tais como força e elasticidade, promovendo dessa forma o aparecimento da doença. Isto acontece naturalmente com a idade, mas o sedentarismo e excesso de peso também contribuem muito.

Ao manter um estilo de vida sedentário não está a promover nem a tonificação dos seus músculos (os quais também ajudam na circulação do sangue) nem a circulação sanguínea em si. Este estilo de vida aliado ao excesso de peso faz com que seja cada mais difícil para o seu corpo promover uma circulação normal, livre de complicações, pois o esforço necessário é superior ao devido, fazendo com que aumente o risco de aparecimento de qualquer uma das manifestações da doença.

Que tratamentos estão disponíveis?


No caso das varizes o método habitualmente usado para casos menos graves é a escleroterapia, e nos casos mais graves é a cirurgia, a qual consiste na remoção parcial ou mesmo total da veia. Em alguns casos pode também ser utilizado um cateter eletromagnético ou um laser intravascular. Ambas as técnicas são recentes, havendo por isso ainda pouca utilização.

Para os derrames também a escleroterapia é a mais utilizada havendo como alternativa a terapia com laser. A escleroterapia consiste na injeção de uma substância química na veia danificada, provocando a esclerose (o endurecimento da veia) e levando ao desaparecimento do derrame. A terapia a laser tem o mesmo objetivo mas é feita através de uma reação térmica.

Há formas de prevenir as varizes e derrames?


vigilancia do peso

Não há uma fórmula milagrosa para prevenir completamente as varizes e derrames, mas existem diversas técnicas que podem ser utilizadas para reduzir o risco de aparecimento, ou até mesmo reduzir a existência de varizes e derrames. Entre essas técnicas estão:

  • Praticar exercício físico, ajudando a melhorar a circulação sanguínea e a tonificar os músculos;
  • Manter um peso saudável, reduzindo dessa forma o esforço necessário do corpo para que a circulação aconteça normalmente;
  • Elevar as pernas sempre que possível, ajudando assim a que sangue suba mais facilmente em direção ao coração;
  • Mudando regularmente de posição, evitando a mesma posição durante largos períodos de tempo;
  • Evitando exposições prolongadas a fontes de calor muito elevado tal como acontece na sauna.

Veja também:

Isabel Silva Isabel Silva

Isabel Silva é enfermeira por paixão, licenciada pela Escola Superior de Enfermagem do Porto. Sempre quis seguir a área da saúde e acredita que a informação é uma ferramenta essencial para a saúde da população, e que cabe aos profissionais de saúde transmiti-la de forma relevante e fidedigna para que cada indivíduo seja capaz de tomar decisões importantes relativamente à sua saúde e ao seu bem-estar.