Tudo sobre a dieta da proteína

Tudo sobre a dieta da proteína

Uma dieta saciante que promete ajudá-lo a perder até 5 quilos num mês.

A dieta da proteína tem tanto de polémica como de eficaz. Venha conhecer um pouco mais sobre uma das dietas do momento.

Hoje em dia encontramos mil e uma dietas na internet, em revistas e até na televisão com promessas de emagrecimento e mudanças incríveis no corpo.

Umas funcionam, outras nem tanto. 

Neste artigo, vamos falar um pouco sobre uma das dietas do momento, que dá pelo nome de dieta da proteína. 

A dieta da proteína tem demonstrado ser uma forma rápida de perder peso, prometendo perdas de 4 a 5 kg por mês. 


Em que se baseia a dieta da proteína?


Tal como o nome indica, é uma dieta que tem como base alimentos ricos em proteína, mais precisamente carnes magras, ovos, peixe, lacticínios e proteína Whey
Tudo para manter a forma
Tenha acesso às melhores dicas de nutrição! Receba já conteúdo exclusivo!

O seu fundamento é simples. Permite o consumo quase ilimitado de proteínas e restringe os hidratos de carbono, com o objetivo de controlar a libertação de insulina, uma hormona envolvida no processo de armazenamento de gordura. 

A dieta da proteína provoca a perda de peso rápida graças a uma situação chamada cetose. A cetose dá-se quando o organismo deixa de obter energia proveniente de hidratos de carbono e começa a gastar as suas reservas de gordura, o que reduz a gordura corporal e o peso, com resultados visíveis logo nos primeiros dias.

A dieta de Atkins é, talvez, a versão mais famosa da dieta da proteína.
 

Como fazer a dieta da proteína?


Basicamente, esta dieta elimina os hidratos de carbono, nomeadamente os açúcares simples e os alimentos que se transformam em açúcares simples, pois estes funcionam como calorias “vazias” na sua dieta, não fornecendo nutrientes mas sim muitas calorias. 

Por outro lado, permite alimentos ricos em proteína de elevada palatabilidade e produtos hortícolas.
 

1. Alimentos Permitidos

  • Todas as carnes (de preferência as magras), peixe e ovos;
  • Lacticínios magros, principalmente queijo fresco e iogurte magro;
  • Todo o tipo de hortícolas; 
  • Frutos secos/oleaginosos, azeite e vários tipos de sementes em quantidades moderadas;
  • Abacate e limão;
 


2. Alimentos Proibidos

  • O açúcar, incluindo o açúcar amarelo, é o principal hidrato de carbono que tem de eliminar da sua dieta. Leia os rótulos, porque muitos alimentos embalados, como molhos e outros alimentos preparados, contêm açúcar na sua composição. Se não conseguir prescindir do açúcar, substitua-o por adoçante;
  • As fontes de hidratos de carbono, como pão, massa, batata, arroz, cereais, bolachas estão proibidas;
  • Leguminosas, como grão, feijão, ervilhas, lentilhas, estão também proibidas;
  • Fruta e sumos de fruta.


Benefícios da dieta da proteína 


perda de peso


1. Perda de peso

Claro que este é o principal objetivo desta dieta, e seguindo as regras alimentares estabelecidas, irá notar uma grande diferença no peso e volume.
 
 


2. Saciedade

Vai sentir que o seu apetite vai andar mais controlado e a vontade de fugir da dieta vai ser bem menor.

 


3. Variedade

As opções alimentares disponíveis são imensas, evitando que se torne uma dieta monótona. Assim, a vontade de abandonar não surgirá com tanta facilidade.

 


4. Aumenta o metabolismo 

Sendo uma dieta rica em proteína, vai promover um aumento do metabolismo corporal e o gasto de mais calorias e, consequentemente, um emagrecimento mais rápido.

 


5. Manutenção da massa muscular

Como assegura um aporte constante de proteína ao organismo, impede o catabolismo (degradação) muscular, promovendo a síntese da mesma.

Como tal, a perda de peso não será resultante da perda de massa muscular, mas sim da perda de massa gorda.
 

Exemplo de um dia com esta dieta


 
  • Pequeno-almoço: 1 abacate + 1 queijo fresco magro
  • Lanche da manhã: 1 iogurte líquido magro
  • Almoço: 150g de peito de frango + salada variada
  • Lanche da tarde: 2 ovos cozidos + 1 mão de frutos secos/oleaginosos 
  • Jantar: 150g de peixe grelhado + brócolos cozidos

Finalmente, deve beber muita água diariamente, para ajudar a eliminar as toxinas geradas pelo excesso de proteínas no organismo. 

Além disso, uma vez que a fibra consumida será baixa (visto que esta está maioritariamente presente nos alimentos ricos em hidratos de carbono), a ingestão de água melhora o funcionamento do trânsito intestinal. 

Paralelamente à dieta, a prática de exercício físico é fundamental para o sucesso na perda de peso.
 

Quanto se emagrece?


Isso depende do seu peso e da quantidade de massa gorda iniciais. À partida, quanto maior for o seu peso inicial e a percentagem de massa gorda, mais irá perder e com mais facilidade. 

No entanto, não há uma regra definida, pois cada pessoa é individual e como qualquer outra dieta, esta também não resulta da mesma forma para toda a gente.
 

A dieta da proteína afeta a saúde?


Apesar de ser saudável evitar hidratos de carbono refinados e açúcar, não convém restringir por completo a ingestão de fruta, leguminosas e cereais integrais, pois estes alimentos fornecem o mínimo de glicose necessária para o cérebro funcionar e contêm fibra (para prevenir a prisão de ventre e o cancro do cólon), vitaminas, minerais e antioxidantes, que garantem o funcionamento do todo o organismo. 

Assim, embora este tipo de dieta tenha uma boa taxa de eficácia em termos de perda de peso, apresenta, contudo, deficiências em termos de macro e micronutrientes, pelo que deve ser acompanhada pela ingestão de suplementos alimentares, devidamente prescritos pelo nutricionista.

Por fim, importa salientar que esta dieta está contraindicada em pessoas com doença renal, pelo excesso de proteína que aporta.

Saiba as melhores dicas para ficar em forma !

 

Veja também:

Rita Lima Rita Lima

Rita Lima é nutricionista e trabalha, atualmente, no Boavista FC e nos ginásios Welldomus Fitness and SPA e CulturaFit Club no Porto. Durante 2 anos colaborou no projeto Dragon Force do Futebol Clube do Porto. É licenciada em Ciências da Nutrição pela Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto e frequentou o Curso de Nutrição no Desporto na mesma.