Tratamento da fibromialgia: que opções existem?

O tratamento da fibromialgia ainda intriga bastante a comunidade médica, pois os mecanismos que originam as manifestações ainda não se encontram bem claros.

Tratamento da fibromialgia: que opções existem?
Apesar da evolução nas pesquisas, a fibromialgia permanece uma condição desafiadora.

As estratégias de tratamento da fibromialgia consistem sobretudo em reduzir os principais sintomas e incluem uma variedade de terapias farmacológicas e não farmacológicas.

A fibromialgia é uma síndrome que se caracteriza pela presença de dor crónica generalizada, fadiga, insónias e distúrbios psicológicos.
As pessoas com fibromialgia geralmente respondem melhor a um plano de tratamento individualizado e orientado por uma equipa multidisciplinar que incorpore médicos, profissionais de reabilitação física, psicólogos, entre outros.

É igualmente essencial que a pessoa adote uma postura ativa no processo de tratamento. Quanto mais souber acerca da doença, dos seus sintomas e das diversas opções de tratamento que existem e o que funciona para si, mais ferramentas terá para aprender a gerir o seu dia-a-dia.

Tratamento da fibromialgia: terapia farmacológica


tratamento da fibromialgia e tratamento farmacologico

As pessoas com fibromialgia têm dificuldade em tolerar doses regulares da maioria dos medicamentos prescritos, experimentando diversas vezes efeitos adversos. Para prevenir este problema deverá ser usada a menor dose recomendada, respeitando sempre as indicações do médico.

A FDA, sigla de Food and Drug Administration que significa administração de alimentos e medicamentos, aprovou três medicamentos para o tratamento da fibromialgia: pregabalina (Lyrica), duloxetina (Cymbalta) e milnaciprano (Savella).

A pregabalina é usada para reduzir a dor e melhorar a qualidade do sono. A duloxetina e o milnaciprano são antidepressivos usados para aliviar igualmente a dor, a fadiga e as insónias, e são geralmente prescritos em doses mais baixas do que para o tratamento da depressão.

Outros anticonvulsivantes e antidepressivos, como os tricíclicos, são frequentemente utilizados para controlar os sintomas da fibromialgia. Existem algumas provas dos seus benefícios, mas também de alguns efeitos colaterais que podem limitar o seu uso. Os corticosteroides e anti-inflamatórios não esteroides (AINEs) poderão também ser prescritos na presença de algum processo inflamatório, no entanto não são recomendados como terapias de primeira linha.

Tratamento da fibromialgia: terapias não farmacológicas


caminhadas

O tratamento da fibromialgia deverá ser sempre iniciado através de uma adequada educação da pessoa sobre a natureza dos seus sintomas e opções de tratamento. Os profissionais de saúde deverão ser empáticos, honestos e não deverão demonstrar atitudes negativas.

Abordagens psicológicas e comportamentais

A depressão, ansiedade, stress, distúrbios de sono, crenças acerca da dor e as estratégias que a pessoa usa para lidar com a mesma, têm a capacidade de influenciar muito a forma como a pessoa vivencia a dor. Portanto, é fundamental dar uma atenção especial a estes aspetos.

A psicoterapia é uma ferramenta poderosa nestes casos, em que poderá ajudar a pessoa a aceitar a sua nova condição.

Fisioterapia / Abordagens físicas

Muitas pessoas com dor crónica temem que a atividade física agrave a dor e a fadiga e dessa forma tornam-se sedentárias. No entanto, a falta de atividade física e mesmo o abandono da atividade profissional deverão ser evitados. Caminhadas, hidroginástica e hidroterapia, pilates, bicicleta estática, são alguns exemplos de atividades de baixo impacto que podem ser incluídas no tratamento da fibromialgia.

Os programas de exercício devem começar gentilmente e avançar gradualmente para o treino de resistência e força. Deverá evitar-se o exercício físico prolongado e excessivamente extenuante, sobretudo quando a pessoa se encontra na fase de adaptação ao exercício físico.

Vários estudos comprovam os benefícios do exercício físico nas pessoas com fibromialgia, sobretudo no alívio da dor e em relação à sensação geral de bem-estar.

Qigong ou Chi Kung, uma prática tradicional chinesa caracterizada como movimento meditativo, também demonstrou alguns benefícios ao nível da dor, sono, função mental e física.

As aplicações de calor, massagem e outros tratamentos também são úteis na gestão da dor. No entanto, não se deverá encorajar a excessiva administração destas modalidades de forma a evitar que a pessoa perca a auto-eficácia no controlo dos seus sintomas.

A obesidade, má postura e atividades de sobrecarga no trabalho e em casa deverão igualmente ser abordadas e geridas.

Considerações finais


Apesar de não ter cura, o tratamento da fibromialgia deverá incluir uma correta educação da pessoa e as adequadas mudanças no estilo de vida. Dessa forma é possível ajudar a pessoa a recuperar o controlo e obter uma melhoria significativa.

Veja também:

Ana Vicente Ana Vicente

Ana Vicente é fisioterapeuta, instrutora de pilates clínico e pós graduada em terapia assistida por animais no papel. Na realidade é apaixonada por pessoas, animais, palavras e pelas maravilhas da natureza. Motivada a deixar uma marca positiva no seu mundo e no dos outros, compromete-se a contribuir para o conhecimento e bem-estar das pessoas.