Porque será que o stress engorda?

Se também quer descobrir porque é que o stress engorda, leia o nosso artigo. Explicamos-lhe tudo sobre este tema.

Porque será que o stress engorda?
Existem indícios crescentes de uma associação positiva entre os níveis de stress e o ganho de peso.

A questão “ será que o stress engorda ” tem ganho cada vez mais ênfase na sociedade contemporânea, visto que a prevalência de excesso de peso e obesidade é cada vez maior, assim como o stress e os estímulos stressores.

O que é o stress e de onde provém?


stress

O trânsito, a pressão no trabalho, as tarefas domésticas, as questões financeiras e as poucas horas de sono são os principais impulsionadores do stress, sendo situações dais quais dificilmente se pode fugir atualmente.

Troque uma caipirinha por uma ida ao ginásio
Treine no Solinca por apenas 3,99€ por semana e volte a ficar em forma. Aproveite já!

Explicando de forma simples, o stress consiste numa resposta do organismo a diferentes situações, por norma situações negativas encaradas como “perigos”, que podem ser provocadas por múltiplas causas.

Quando este stress aumenta e ganha proporções mais exacerbadas, pode refletir-se no peso. Na verdade, e apesar de se associar o stress excessivo à perda de peso (algo que também pode acontecer), a consequência mais comum é precisamente a inversa: engordar.

Porque é que o stress engorda?


Apesar de o stress, por si só, não engordar, pode provocar um aumento de apetite, que, por sua vez, faz com que a pessoa coma mais, sendo este aumento da ingestão alimentar que pode provocar o aumento de peso. Daí que se diga que, indiretamente, o stress engorda.

Este aumento de apetite derivado do stress deve-se ao aumento da produção de cortisol pelas glândulas suprarrenais. O cortisol é conhecido como a hormona do stress, sendo uma hormona produzida pelo organismo em resposta a momentos de maior pressão, a poucas horas de sono, traumas, dietas demasiado restritivas e exercício físico de grande intensidade.

Neste contexto, o cortisol provoca o aumento da pressão sanguínea e do açúcar no sangue, promovendo um aumento do apetite para que o organismo consiga lidar com estas situações.

Fome emocional

fome emocional

Para agravar ainda mais a situação, além deste aumento de apetite, o mais comum é que aumente a vontade de comer doces e alimentos com elevada densidade energética quando estamos mais stressados, com intuito de melhorar o estado emocional.

Existem já diversos estudos publicados que fazem referência a um aumento da ingestão alimentar, principalmente no caso das mulheres, para se livrarem do stress. Nestas situações, um dos alimentos preferidos é o chocolate.

Como resultado desta desregulação hormonal, a gordura não tende a espalhar-se uniformemente sobre o corpo, mas sim a acumular-se na zona abdominal, promovendo o armazenamento da gordura visceral.

Naturalmente que este aumento da gordura visceral não se deve apenas ao cortisol, mas também ao excesso de calorias provenientes de uma ingestão alimentar desadequada.

Além disso, o stress pode ainda desacelerar o metabolismo de algumas pessoas, devido à diminuição da produção de hormonas tiroideias, potenciando o aumento do peso.

> Saiba mais aqui sobre a fome emocional.

O que fazer para minimizar a situação?


1. Minimizar os níveis de stress e descansar

stress engorda e descanso

Apesar de ser impossível uma vida sem qualquer stress, o que pode e deve fazer para que o stress não o engorde é reduzir os seus níveis, procurando manter um estilo de vida ativo, saudável, com períodos de descanso adequados.

2. Praticar Exercício Físico com regularidade

stress engorda e exercicio fisico

A American Psychological Association aponta a prática de exercício físico com regularidade como um dos métodos mais eficazes para aliviar o stress.

Além de ajudar a acalmar e a libertar tensão acumulada, o exercício físico ajuda a aumentar o seu gasto energético diário e a dormir melhor, contribuindo, diretamente, para a perda de peso.

3. Relaxar e fazer atividades recreativas

stress engorda e relaxar e fazer atividades recreativas

A par do exercício físico, sugerem ainda atividades recreativas relaxantes, como ler, ouvir música, passear, passar tempo com os amigos ou família, apanhar sol, entre outras.

4. Organizar a alimentação e fazer pequenas refeições ao longo do dia

stress engorda e organizacao da alimentacao

Por último, importa ter cuidado com a alimentação, e evitar momentos de fome emocional potenciada pelo stress. Neste sentido, vá fazendo pequenas refeições regulares ao longo do dia, de modo a evitar sentir fome, a qual compromete o seu equilíbrio, tanto físico como emocional.

Privilegie alimentos de baixa densidade energética, como fruta, hortícolas, gelatina sem adição de açúcar, ovos, lacticínios magros, entre outros.

5. Manter-se bem hidratado

stress engorda e hidratacao

Mantenha-se bem hidratado ao longo do dia. Muitas vezes a sensação de sede é confundida com a sensação de fome, podendo promover uma ingestão alimentar desnecessária.

Beba pelo menos 1,5l de água ou chá sem açúcar ao longo do dia.

Em suma…


Em suma, o stress engorda de forma indireta e muito por consequência de um estilo de vida pouco saudável.

Portanto, analise o seu estilo de vida – veja como pode relaxar um pouco mais, ter uma alimentação mais saudável, dormir um pouco melhor e ser mais ativo para minimizar os níveis de stress. Vai ver que o seu peso e a sua saúde agradecem.

Troque uma saída à noite por uma ida ao ginásio. Inscreva-se já no Solinca por apenas 3,99€ por semana!

Veja também:

Ler mais
Rita Lima Rita Lima

Rita Lima é nutricionista e trabalha, atualmente, nos ginásios Urban Fit de Ermesinde, Antas Prime Fitness e CulturaFit Club no Porto. Durante 2 anos colaborou no projeto Dragon Force do Futebol Clube do Porto e com o Boavista Futebol Clube. É licenciada em Ciências da Nutrição pela Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto e frequentou o Curso de Nutrição no Desporto na mesma faculdade.