Sintomas da menstruação: quais os mais comuns?

É normal sentir algum desconforto nos dias que antecedem a menstruação e no primeiro ou segundo dia de sangramento, embora também haja mulheres que afortunadamente não o sintam. Para a maioria das mulheres os sintomas da menstruação são facilmente ultrapassados e não interferem com o seu dia-a-dia. Saiba reconhecer os sintomas normais.

Sintomas da menstruação: quais os mais comuns?
Conheça os sintomas mais comuns na menstruação.

Os sintomas da menstruação são comuns na grande maioria das mulheres. No entanto, variam muito de pessoa para pessoa relativamente à intensidade e duração dos sintomas.

QUAIS OS MAIS COMUNS SINTOMAS DA MENSTRUAÇÃO?


sintomas da menstruacao e dor no fundo da barriga

A maioria das mulheres apresenta sintomas leves nos dias anteriores à menstruação e no primeiro ou segundo dia do início desta quando o fluxo de sangue é mais intenso. Existem mais de cem sintomas que foram atribuídos à menstruação, e estes podem mudar ao longo do tempo e de ciclo para ciclo.

Normalmente, os desconfortos associados à menstruação devem ser controláveis o suficiente para que possa continuar com a sua vida normal. No entanto, para algumas mulheres, os sintomas são tão graves que se torna difícil realizar as tarefas normais do dia-a-dia.

Alguns sintomas da menstruação incluem:

Sintomas dolorosos, como cólicas abdominais, dores nas costas e sensibilidade mamária, geralmente podem ser aliviados com a toma de analgésicos e anti-inflamatórios, como o ibuprofeno ou o naproxeno.

A obstipação pode tornar as cólicas muito mais intensas, e os níveis hormonais na segunda metade do ciclo menstrual predispõem para um aumento da probabilidade de obstipação. Assim, a ingestão adequada de líquidos e uma alimentação rica em fibras podem ser úteis para atenuar os sintomas. O uso de laxantes poderá também estar indicado.

SÍNDROME PRÉ-MENSTRUAL (TPM)


colicas menstruais

A Tensão Pré-Menstrual engloba uma série de sintomas emocionais e físicos nos dias que antecedem o início da menstruação.

O aparecimento periódico é o que distingue a tensão pré-menstrual de outras alterações mais graves. As mulheres que sofrem desta síndrome, têm-na de forma cíclica, antes da menstruação. Os sintomas pré-menstruais surgem 1 a 14 dias antes do início do período e desaparecem com a vinda da menstruação ou pouco tempo depois.

A tensão pré-menstrual afeta muitas mulheres. Algumas mulheres têm uma TPM muito suave, e apenas durante 1 ou 2 dias. Noutras, em contrapartida, as dores pré-menstruais podem ser mais intensas.

Quando esses sintomas interferem no bem-estar da mulher, como por exemplo, com dores pré-menstruais é recomendável consultar o médico. Pode encontrar-se uma solução numa dieta saudável, tomando suplementos vitaminicos, praticando exercício de forma regular ou qualquer outra recomendação que o médico considere oportuna.

Os sintomas da menstruação que surgem no período pré-menstrual são habitualmente os seguintes:

  • Alterações físicas: tensão mamária, inchaço, dores de cabeça, alteração do apetite, obstipação ou diarreia, alterações do padrão do sono e palpitações, entre outras.
  • Alterações psicológicas: sentimento de tristeza, cansaço e fadiga, dificuldade de concentração, ansiedade e irritabilidade, entre outras possíveis.

 

SINTOMAS DA MENSTRUAÇÃO E QUALIDADE DE VIDA


paciente queixa se ao medico

Os sintomas da menstruação podem de facto afetar a qualidade de vida. É importante conversar com o seu médico caso a menstruação cause o seguinte:

  • Faltar ao trabalho ou à escola;
  • Não poder participar em atividades que normalmente gosta;
  • Ter dificuldade no relacionamento com a família e amigos;
  • Ter dores severas;
  • Falta de energia extrema que interfira nas atividades diárias.

Veja também:

Farmacêutica Cátia Rocha Farmacêutica Cátia Rocha

Cátia Rocha é farmacêutica. Como apaixonada pela profissão, acredita na importância da educação para a saúde e num papel interventivo dos profissionais de modo a transmitir conhecimentos que considera importantes e fundamentais para o bem-estar da população. É Mestre em Ciências Farmacêuticas pelo Instituto Superior de Ciências da Saúde do Norte e exerce atualmente o cargo de farmacêutica na Farmácia Agra.