Sintomas da depressão infantil a que deve estar atento

Os sintomas da depressão infantil podem apresentar uma grande variedade. A identificação precoce deste problema aumenta a probabilidade do tratamento ter sucesso.

Sintomas da depressão infantil a que deve estar atento
Saiba identificar os principais sintomas.

A depressão é uma perturbação mental que afeta não só os adultos mas também crianças de várias idades.

Os sintomas da depressão infantil passam pela tristeza constante, irritabilidade e falta de prazer em brincar, estar com os amigos e fazer outro tipo de atividades. As crianças que sofrem deste problema, geralmente, são tímidas, não se riem e não têm muita autoconfiança.

De vez em quando, todas as crianças passam por momentos de tristeza e por períodos de alguma depressão. No entanto é necessário perceber se estes momentos se devem a desilusões normais e próprias da infância ou se fazem parte de situações de perda, divórcio dos pais, nascimento de um irmão, perda de um amigo, entre outros.

Sintomas da depressão infantil


A sintomatologia depressiva na criança difere muito dos sinais e sintomas observados no adulto. Este problema pode ser de difícil reconhecimento, dado que se pode manifestar de várias maneiras.

Os sintomas da depressão infantil manifestam-se em vários componentes:

Plano de Saúde Grátis
Cuide da sua saúde. Obtenha consultas de clínica geral, medicina dentária e especialidade médicas gratuitas.Peça aqui o seu plano grátis.

  • Emocionais;
  • Físicos;
  • Comportamentais;
  • Cognitivos;
  • Emocionais.

Sintomas emocionais

sintomas emocionais

  • Tristeza persistente – olhar ausente, expressão facial séria, choro fácil ou auto-depreciação;
  • Medos –  medo intenso e exagerado de alguém, de algo, ou mesmo de que poderá acontecer alguma coisa de mal;
  • Culpa;
  • Ansiedade.

Sintomas físicos

sintomas fisicos

  • Perturbações psicossomáticas – dores sem causa aparente, dificuldades respiratórias, alergias da pele ou eczema, infeções generalizadas, vómitos, tonturas, etc;
  • Alterações no sono – dificuldade em adormecer (insónia), dormir demais (hipersónia), sono agitado e pouco reparador. As alterações no sono provocam fadiga fazendo com que a criança tenha dificuldade em acordar e se levantar de manhã. Durante o dia, prejudica o rendimento escolar e afeta a sua capacidade de raciocínio e atenção;
  • Perda de energia, lentificação dos movimentos, procrastinação.

Sintomas comportamentais

sintomas comportamentais

  • Regressão – sobretudo nas crianças mais novas. A criança volta a ter comportamentos desadequados à sua idade que já havia ultrapassado. Pode voltar a agarrar-se demasiado à mãe na presença de pessoas estranhas, falar de forma mais infantil ou “à bebé. Pode também voltar a urinar na cama, ou voltar a ter brincadeiras que já não tinha e a brincar com brinquedos que já não se adequam à sua idade;
  • Comportamentos estranhos, de isolamento ou agressivos – a tristeza é exprimida através de comportamentos ou de palavras, principalmente em crianças mais velhas;
  • Dificuldades escolares – défice de concentração,diminuição da confiança em si própria e sentimentos de inferioridade. Perda de interesse e de prazer em atividades de que gostava;
  • Comportamentos instáveis – pode realizar várias atividades sem conseguir prestar atenção em nenhuma. Pode também ter atitudes incorretas e agressivas em relação a outras crianças ou adultos; Para além disto, pode ainda adotar comportamentos repetitivos e obsessivos;
  • Comportamentos de auto-mutilação – Várias vezes os jovens recorrem à auto-mutilação como uma maneira de diminuir o seu desconforto interno, aliviando a dor emocional infligindo dor física visível aos seus olhos. Isto deve-se em grande parte ao fato de muitas vezes os jovens terem dificuldade em compreender e expressar-se verbal e emocionalmente.

Sintomas cognitivos

sintomas cognitivos

  • Pessimismo em relação à vida e ao futuro – muitas crianças e adolescentes não têm a capacidade de se ver no futuro, construir planos e comunicar sonhos. Frequentemente, para estas crianças, a vida não é suficientemente boa e como tal não existe esperança numa mudança.
  • Autocrítica e Autoacusação – grande parte das crianças e adolescentes pensa que não tem valor, sentem-se inferiores aos outros, sentem que não prestam, sentem que são falhados, não têm amor por si próprios, acreditam que as outras pessoas não gostam deles, pensam que não são bons o suficiente para que os seus pais ou a sua família se orgulhem deles, a imagem que têm de si mesmos, ou autoimagem, é muito negativa.

Cuide da sua saúde. Consiga aqui consultas de clínica geral, medicina dentária e especialidade médica gratuitas!

Veja também: