Sintomas da candidíase: aprenda a identificá-los

Dependendo da origem, os sintomas da candidíase podem ser diferentes e isso vai orientar a linha de tratamento. Descubra quais são.

Sintomas da candidíase: aprenda a identificá-los
Diagnosticar para curar rapidamente

A evolução e os sintomas da candidíase dependem da localização da infeção.

Os fungos podem estabelecer-se e multiplicar-se em praticamente qualquer parte da superfície cutânea e numa grande variedade de mucosas.

Todavia, como o fazem quase sempre em determinadas áreas concretas, originam uma série de tipos ou infeções específicas. Descubra quais e como se manifestam.

Sintomas da candidíase


1. Candidíase oral

candidiase oral
Este tipo de candidíase manifesta-se através do aparecimento de pequenas placas vermelhas no interior da cavidade oral, nomeadamente nas bochechas, gengivas, abóbada palatina, língua ou zona sublingual.

Plano de Saúde Grátis
Cuide da sua saúde. Obtenha consultas de clínica geral, medicina dentária e especialidade médicas gratuitas.Peça aqui o seu plano grátis.
À medida que as placas vão crescendo, vão-se unindo entre si e formando lesões mais extensas, que adquirem uma consistência cremosa e revestem-se de uma camada branca que, caso se desuna, evidencia uma superfície subjacente de cor vermelha brilhante, que sangra com facilidade.

Estas lesões originam:

  • ardor, ou até mesmo dor, sobretudo quando são muito extensas e entram em contacto com alimentos ácidos, picantes ou muito salgados.

Esta forma de candidíase costuma curar-se, na maioria dos casos, de forma espontânea ou ao fim de uma semana, com o tratamento adequado. Este tipo de candidíase é particularmente frequente nos bebés.

> Saiba mais aqui sobre este tipo de candidiase

2. Candidíase genital

A candidíase genital evidencia-se na mulher sob a forma uma inflamação localizada nos genitais externos e na vagina.

Os principais sintomas da candidíase nos órgãos genitais femininos são:

  • vermelhidão das mucosas dos órgãos e a formação de uma camada superficial branca, acompanhada pela secreção de um espesso fluxo esbranquiçado e um intenso ardor.

Caso não seja devidamente tratada, a candidíase vulvovaginal costuma tornar-se crónica.

Nos homens, a candidíase genital manifesta-se como uma balanite:

  • uma infeção da pele que reveste a base do pénis, embora os microorganismos também se possam disseminar e afetar o prepúcio, a glande e a pele que reveste os testículos.

Os homens costumam contrair esta infeção por contato sexual com outras pessoas infetadas, já que em condições normais estes fungos não se encontram nestes tecidos.

Os sintomas costumam manifestar-se um dia depois do contágio e consistem basicamente na vermelhidão e ardor da zona afetada, onde se formam pequenas elevações que se descamam ou sobre a qual crescem vesículas e pústulas características.

Em ambos os casos, as lesões apresentam uma típica camada superficial branca. Tal como acontece no sexo feminino, caso não seja devidamente tratada, a doença pode tornar-se crónica.

> Saiba mais aqui sobre a candidíase feminina e peniana

3. Queilite angular

quelite angular
Este tipo de candidíase manifesta-se através do aparecimento de uma área vermelha e de fendas nas comissuras dos lábios, sendo muito comum na infância e nos adultos com próteses dentárias mal ajustadas.

Caso os sintomas da candidíase não sejam devidamente tratadas, podem persistir durante longos períodos de tempo.

4. Candidíase anal

A candidíase anal manifesta-se através de:

  • vermelhidão e ardor da mucosa anal e o posterior aparecimento de vesículas e pústulas e uma eventual formação de fendas ou fissuras anais.

Caso não seja devidamente tratado, o problema tem tendência para se tornar crónico.

5. Intertrigo

intertrigo
Este é o tipo de candidíase que surge quando as pregas da pele são afetadas. E isto acontece porque é onde o suor se acumula, um fenómeno que ocorre em particular nas axilas, virilhas, no interior das nádegas, por baixo dos seios e, nas pessoas obesas, nas pregas abdominais.

Neste caso específico, os sintomas da candidíase são:

  • ardor e vermelhidão na zona afetada, que se reveste de pequenas vesículas e pústulas que acabam por se romper e se unir entre si, provocando a formação de placas vermelhas e brilhantes, na maioria dos casos com fissuras dolorosas.

Caso o problema não seja oportunamente tratado, as lesões têm a tendência para se disseminarem à periferia destas placas, formando vesículas e pústulas que iniciam um novo ciclo de expansão da infecção.
Apesar de haver inúmeras pomadas e comprimidos disponíveis numa farmácia para curar os sintomas da candidíase, recomenda-se a visita médica, para um maior e melhor cuidado e prevenção futura.

Cuide da sua saúde. Consiga aqui consultas de clínica geral, medicina dentária e especialidade médica gratuitas!

Veja também:

 

Ler mais