Rosácea: sinais, sintomas e tratamento

A rosácea é uma doença inflamatória crónica da pele. Apesar de ser uma doença sem cura, é possível controlá-la com recurso a alguns tratamentos.

Rosácea: sinais, sintomas e tratamento
Saiba como identificar e tratar este problema.

A rosácea é uma doença inflamatória crónica da pele relativamente comum, que se caracteriza pela dilatação dos vasos sanguíneos do rosto. Esta condição afecta principalmente os adultos entre os 30 e os 50 anos de idade, maioritariamente do sexo feminino. Os indivíduos de pele fina e clara têm maior predisposição, ainda que também possa acometer os indivíduos de pele morena.

A dilatação dos vasos sanguíneos à superfície da pele provoca vermelhidão persistente ou transitória, principalmente nas bochechas, testa, queixo e nariz. Se não for tratada e controlada, tende a agravar-se com o passar do tempo.

Esta doença não é contagiosa. Não existem provas que evidenciem que a mesma se possa transmitir através do contacto com a pele ou objectos usados pelo doente.

O antigo presidente dos EUA, Bill Clinton e a atriz Renée Zellweger são exemplos de pessoas famosas que sofrem de rosácea.

Quais são as causas mais comuns para este aparecimento?


causas do aparecimento de rosacea

Apesar de ainda não ser bem conhecido o mecanismo fisiopatológico que está na origem da rosácea, a combinação de certos fatores estão relacionados com a mesma. Nesta condição a primeira linha de defesa do nosso organismo, o sistema imunitário inato, tem uma reação exarcebada quando exposta a alguns fatores.

Fatores desencadeadores e exarcebantes da rosácea:

Plano de Saúde Grátis
Cuide da sua saúde. Obtenha consultas de clínica geral, medicina dentária e especialidade médicas gratuitas.Peça aqui o seu plano grátis.

  • Mudanças bruscas de temperatura;
  • Consumo de bebidas alcoólicas;
  • Ambientes demasiado quentes;
  • Exposição excessiva ao sol;
  • Consumo de alimentos picantes e especiarias;
  • Consumo de cafeína;
  • Exercício físico intenso;
  • Cosméticos irritantes;
  • Fármacos vasodilatadores;
  • Alterações hormonais;
  • Stress.

 

Como se manifesta esta doença?


Existem 4 tipos diferentes subtipos de rosácea. Comummente há sobreposição de mais do que um subtipo de rosácea. De acordo com os sinais e sintomas apresentados, classifica-se em:

  • Rosácea eritemato-telangiectásica;
  • Rosácea pápulo-pustulosa;
  • Rosácea ocular;
  • Rosácea fimatosa.

 

Eritemato-telangiectásica

Erirosacea temato telangiectásica

Nesta variante há uma tendência para a face corar e apresenta-se sob a forma de vermelhidão persistente no nariz, bochechas e queixo.

Normalmente ocorrem ondas de calor e rubor facial, que podem ser acompanhadas de suor (flushing). Nestas zonas, os vasos sanguíneos na face tornam-se mais visíveis, chamados de telangiectasias. Outra característica desta forma da doença é a pele ressequida.

Pápulo-pustulosa

rosacea Papulo pustulosa

Também conhecida como acne rosácea, neste caso a vermelhidão facial é acompanhada de surtos de pápulas (borbulhas avermelhadas) e pústulas(borbulhas com pús) que facilmente são confundidos com acne.

Muito comum em indivíduos do sexo masculino, intercalando períodos de melhoria e exacerbação dos sinais e sintomas.

Ocular

rosacea ocular

Como o próprio nome indica, neste tipo os olhos são afectados apresentando vermelhidão, irritação, sensação de ardor, sensação de corpo estranho, secura ocular, visão turva, prurido ocular e lacrimejamento alterado. Este subtipo pode anteceder, preceder ou suceder simultaneamente com as lesões cutâneas.

A rosácea ocular ocorre em cerca de 50% dos indivíduos afectados por esta doença.

Fimatosa

rosacea fimatosa

Alguns indivíduos podem apresentar hipertrofia e espessamento da pele, com aumento de volume de determinadas regiões da face, tornando-a irregular.

Este subtipo é predominante em adultos do sexo masculino. Afecta principalmente a área do nariz, embora se possa manifestar no queixo, bochechas ou testa.

Qual o tratamento mais eficaz para a rosácea?


tratamento rosacea

Esta condição exige aconselhamento médico podendo ser necessário o uso de medicamentos, de acordo com os sintomas apresentados e a fase em que se encontra. Apesar de não existir cura definitiva, existem vários tratamentos que promovem o alivio e melhoria dos sintomas.

Em primeiro lugar é de extrema importância perceber quais são os factores que provocam exarcebação dos sintomas e evitar a exposição aos mesmos. É fundamental aplicar sempre protetor solar para evitar uma maior inflamação cutânea devido à exposição aos raios UV. No caso de sofrer da forma pápulo-postulosa é importante saber distinguir esta da acne comum, uma vez que há tratamentos da acne que podem ser irritantes e agravar as lesões faciais.

Normalmente são usados cosméticos de acção calmante e reparadora da pele e antibióticos de aplicação tópica que podem ajudar a diminuir a inflamação e vermelhidão local. No caso da forma pápulo-postulosa existem alguns comprimidos que aliviam a inflamação da pele.

O recurso a laser, luz pulsada ou escleroterapia têm se demonstrado tratamentos eficazes e satisfatórios para este problema, sendo necessárias algumas sessões para obter resultados satisfatórios.

Cuide da sua saúde. Consiga aqui consultas de clínica geral, medicina dentária e especialidade médica gratuitas!

Veja também:

Ler mais
Isabel Silva Isabel Silva

Isabel Silva é enfermeira por paixão, licenciada pela Escola Superior de Enfermagem do Porto. Sempre quis seguir a área da saúde e acredita que a informação é uma ferramenta essencial para a saúde da população, e que cabe aos profissionais de saúde transmiti-la de forma relevante e fidedigna para que cada indivíduo seja capaz de tomar decisões importantes relativamente à sua saúde e ao seu bem-estar.