Psoríase e Alimentação : de que forma se relacionam?

A relação entre psoríase e alimentação reflete-se de várias formas. Leia o nosso artigo e fique a saber os alimentos que deve preferir e os que deve evitar. 

Psoríase e Alimentação : de que forma se relacionam?
A alimentação pode ser a chave para a prevenção das crises de psoríase.

 A psoríase é uma doença inflamatória sistémica, que, ao contrário do que a maioria das pessoas pensa, não é contagiosa. 

Trata-se de uma patologia genética autoimune, crónica e cíclica, que se caracteriza pelo aparecimento de lesões avermelhadas (por norma em placas), espessas e descamativas, normalmente, nos cotovelos, couro cabeludo, joelhos, região lombar. 

Apesar de não existir uma cura para esta doença, sabe-se que existe uma relação entre psoríase e alimentação, sendo fundamental a adoção de hábitos alimentares saudáveis para atenuar as crises e sintomas da doença.
 

Causas e Incidência de Psoríase


Embora se desconheça a causa exata da psoríase, sabe-se que existe uma ligação entre alterações imunitárias, hereditariedade e fatores ambientais desencadeadores, como o stress, alguns tipos de fármacos, ausência da luz solar e o excesso de peso, que podem agravar ou promover o aparecimento da doença.

Apesar de poder surgir em qualquer idade e afetar ambos os sexos, a psoríase parece surgir com mais frequência em adultos jovens e depois dos 40 anos, afetando cerca de 2-3% da população portuguesa.

Troque uma caipirinha por uma ida ao ginásio
Treine no Solinca por apenas 3,99€ por semana e volte a ficar em forma. Aproveite já!
O aspeto, extensão, evolução e gravidade desta doença são variáveis, podendo existir casos em que a doença se apresenta de forma leve e se trata de forma rápida, até casos mais complicados, que podem levar a incapacidade física.

Como já referido, esta doença não tem cura, sendo que os tratamentos visam apenas melhorar os sintomas e a aparência da pele.
 

Relação entre Psoríase e Alimentação


A alimentação é fundamental para manter uma vida saudável e nos doentes com psoríase esta regra não é exceção.
 

1. Excesso de Peso e Psoríase

obesidade
Com efeito, relação entre psoríase e alimentação é direta, visto que uma alimentação desequilibrada pode conduzir, entre outras coisas, a excesso de peso e obesidade

Sendo a obesidade uma doença inflamatória crónica, promove o agravamento das crises de psoríase. 

Como o corpo tende a produzir mais adipócitos (células armazenadoras de gordura) como resposta ao aumento da inflamação, cria-se um ciclo vicioso que torna ainda mais difícil controlar o peso e a psoríase. 

Por outro lado, a psoríase tende a ser mais resistente aos tratamentos nos doentes com excesso de peso e obesidade.

O excesso de gordura nas zonas das dobras cutâneas, como as axilas, virilhas e por baixo dos seios, podem aumentar o risco de infeções fúngicas e bacterianas. 

Neste sentido, a prática de exercício físico deve ser também incentivada, no sentido de combater o excesso de peso e o stress, que, muitas vezes, é o grande desencadeador das crises de psoríase.

Além da relação da psoríase com o excesso de peso, existe outro elo de ligação entre psoríase e alimentação que é a existência de alimentos que ajudam a controlar a psoríase e de alimentos que a agravam.
 
 

2. Alimentos que ajudam a controlar a psoríase

De facto, e apesar de não existir uma dieta específica para quem sofre de psoríase, sabe-se que alguns alimentos podem ajudar a controlar a inflamação e a atenuar os sintomas e crises característicos da doença.

Neste sentido, os doentes que sofrem desta doença devem optar por alimentos ricos em antioxidantes, vitamina Cbetacaroteno, ácido fólico, vitamina D, ómega-3 e zinco, nutrientes fundamentais para reforçar o sistema imunitário.

Dentro destes alimentos salientam-se:
 
  • Peixes gordos 

    peixe gordo
Peixes como o salmão, sardinha, cavala e óleos de peixe, pela sua riqueza em ómega 3 ajudam a diminuir a inflamação e a atenuar as crises de psoríase.
 
 
 
  • Frutas e os legumes

Os hortofrutícolas são ricos em vitaminas, minerais, compostos antioxidantes e fibra, nutrientes que conferem a estes alimentos propriedades anti-inflamatórias e ajudam a combater o stress oxidativo.

Tanto a fruta como os hortícolas devem ser frescos e consumidos de forma variada.
 
 
 
  • Cereais integrais 

    cereais integrais

Os cerais integrais, nomeadamente o pão, arroz e massa integrais devem ser privilegiados em detrimento da sua versão refinada, visto que possuem mais fibra e minerais que reforçam o sistema imunitário.

Além disso, conferem uma maior sensação de saciedade que ajuda ao controlo do peso.
 
 
 
  • Frutos secos oleaginosos 

Alimentos como nozes, amêndoas, avelãs, pinhões, ajudam no controlo da inflamação e pela sua riqueza em gorduras monoinsaturadas. 

No entanto, é importante que o seu consumo seja moderado, pois são alimentos com elevado valor energético associado.
 
 
 
  • Lacticínios magros

    laticinios magros

Leite, iogurte e queijo magros ajudam não só no controlo do peso mas também a diminuir a ingestão de gordura saturada, um tipo de gordura bastante prejudicial para a inflamação e para a psoríase.
 
 
 
  • Água 

Uma boa hidratação da pele é um fator muito importante, pois ajuda a reduzir a comichão e pode aumentar a eficácia dos outros tratamentos. 

Os sumos de fruta naturais também poderão ser uma opção, embora nunca devam substituir a fruta em natureza nem a água.
 

Alimentos a evitar na Psoríase


Por sua vez, a relação entre psoríase e alimentação também se reflete nos alimentos que devem ser evitados por quem sofre esta doença, alimentos estes que, na sua maioria, promovem a inflamação e, consequentemente, agravam a psoríase.


1. Carnes vermelhas 

carnes vermelhas
Pelo teor em gordura saturada, provocam maior irritação na pele.

 


2. Alimentos condimentados (pimenta e outras especiarias)

Aumentam a sensação de comichão.

 


3. Enchidos e fumados

enchidos e fumados
Pelo teor em gordura saturada e condimentos.

 


4. Alimentos ricos em açúcares simples 

Dificultam o controlo de peso.

 


5. Bebidas alcoólicas

bebidas alcoolicas
O álcool promove a desidratação, pode aumentar o prurido, o risco das crises e torna a condição mais resistente ao tratamento, pois altera o metabolismo de determinados medicamentos, aumentando a sua toxidade.

 


6. Tomate 

Caso o doente apresente sensibilidade ao níquel, o tomate deve ser evitado pois é extremamente rico neste composto.

 


7. Alimentos com glúten

alimentos com gluten
Apesar de ainda não se ter demonstrado uma relação direta e consistente, os doentes que sofrem de psoríase parecem beneficiar da redução do consumo de glúten, uma proteína inflamatória presente em cereais como trigo, centeio, cevada e aveia.

►Conheça aqui mais alimentos com gluten.

Troque uma saída à noite por uma ida ao ginásio. Inscreva-se já no Solinca por apenas 3,99€ por semana!

 

Veja também:

Ler mais
Rita Lima Rita Lima

Rita Lima é nutricionista e trabalha, atualmente, nos ginásios Urban Fit de Ermesinde, Antas Prime Fitness e CulturaFit Club no Porto. Durante 2 anos colaborou no projeto Dragon Force do Futebol Clube do Porto e com o Boavista Futebol Clube. É licenciada em Ciências da Nutrição pela Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto e frequentou o Curso de Nutrição no Desporto na mesma faculdade.