A importância da proteína em atletas

A importância da proteína em atletas

Descubra de que forma a proteína pode influenciar a sua performance desportiva.

Para um ter rendimento desportivo otimizado, é essencial ter uma boa alimentação e a proteína em atletas é dos componentes nutricionais mais importantes. Venha saber porquê.

Desde a antiguidade que é estudada a importância da ingestão de proteína em atletas.

Efetivamente, diz-se que nos jogos de Berlim, em 1936, algumas equipas seguiam uma dieta rica em proteína, especialmente no momento anterior à competição, e que consistia em 1 a 3 bifes por refeição, 2 a 3 ovos, 1,5 L de leite e extratos de sumo de carne.

Para além disso, também se acreditava que a ingestão de músculo de animais conferia mais força ao atleta.

Felizmente, com o passar do tempo, o conhecimento evoluiu, e apesar de ser sabido que a proteína é um componente importante na alimentação de atletas, sabe-se também que esta ingestão deve ser controlada e combinada com outros componentes essenciais para uma alimentação equilibrada.
 

A importância da proteína em atletas


Tudo para manter a forma
Tenha acesso às melhores dicas de nutrição! Receba já conteúdo exclusivo!


Proteína em atletas - Glicogénio muscular

O glicogénio muscular é a principal reserva energética utilizada no exercício e cada vez mais se busca estratégias nutricionais para maximizar a sua síntese num menor período de tempo.

 O exercício físico intenso e prolongado, além de levar a uma depleção das reservas de glicogénio muscular, vai resultar em microlesões tecidulares e em alterações hormonais que, por sua vez, vão contribuir para a continuação (mesmo depois do término do exercício físico) da degradação da proteína muscular.

Deste modo, a ingestão de proteína é essencial para que esta degradação seja compensada e que a massa muscular do corpo não entre num estado de défice proteico.
 


Proteína em atletas - Recuperação e fadiga

Quer receber um plano de treinos?
Obtenha já o seu plano de treinos personalizado e atinja os seus objectivos! Fale com o nosso personal trainer e receba o seu plano de treinos.
Não há dúvidas que a recuperação do atleta é essencial antes de um novo episódio desportivo.

O exercício físico representa um processo de intenso catabolismo, com um estado de inflamação agudo, e é importante que se construa um novo estado anabólico para que a recuperação seja a mais rápida e eficaz possível.

Deste modo, a ingestão proteica é essencial para induzir este estado anabólico, necessário para a recuperação do músculo e diminuição da fadiga no pós-treino.
 


Proteína em atletas - Metabolismo basal 

A prática de exercício físico eleva o metabolismo basal, ou seja, a quantidade de energia que o organismo precisa para desempenhar funções em momentos de inatividade, e, transitoriamente, o consumo de oxigénio pós-exercício.

Este aumento de energia deve ser compensado com a ingestão de proteína, pois esta aumenta o metabolismo basal, no dia após o treino.

Deste modo, se há um maior gasto de energia, significa que o metabolismo está acelerado, e que, por sua vez, há um maior consumo das reservas de gordura.

 

E se o atleta não ingerir proteína suficiente?


proteína batido
A componente genética é decisiva para o sucesso do atleta, mas a performance deste pode ser potenciada ou prejudicada por uma ingestão nutricional adequada ou inadequada, respetivamente.

Assim, a falta de atenção para com a alimentação pode interferir no rendimento durante uma competição e, mais grave ainda, causar problemas de saúde decorrentes da prática desportiva. Efetivamente, treinos constantes e competições podem causar desgaste e stress para os quais o corpo não está preparado.

O acompanhamento por um profissional de nutrição não só vai otimizar a composição corporal e preservar a massa muscular e óssea, como também promover melhores adaptações ao estímulo do treino, diminuir o risco de lesão, ao manter a função imunológica, e modular a disponibilidade de substratos energéticos.



Existe uma dieta ideal para desportistas?


A dieta ideal é aquela que fornece todos os nutrientes necessários para um perfeito funcionamento do organismo e que, quando consumida, proporciona energia necessária para manter as funções vitais, tanto em repouso como em atividade física.

Contudo, esta “dieta ideal” não é algo transversal a toda a população. A alimentação ideal varia conforme a modalidade praticada (tipo, intensidade e duração da atividade) e o próprio indivíduo (composição corporal e necessidades energéticas).

O melhor é sempre contactar realmente um profissional de nutrição para ter o aconselhamento e acompanhamento mais recomendado para a sua situação.


► Conheça aqui alimentos ricos em proteína 
 


Excesso de ingestão de proteína em Portugal


Em Portugal, estudos já demonstraram que a ingestão de proteína parece estar aumentada na alimentação de atletas, sendo por isso que estes sugerem que não se deve recomendar um aumento nessa ingestão.

Na verdade, apenas os atletas que restringem a ingestão energética ou a variedade alimentar, como ginastas e vegetarianos, e os atletas jovens, que se encontram num intenso período de crescimento e desenvolvimento, devem ser aconselhados a ter um aporte proteico superior.


► Excesso de proteína faz mal aos rins?

 
Saiba as melhores dicas para ficar em forma !
 

Veja também: