Pilates pós-parto: uma boa opção!

O pilates pós-parto ajuda na correção postural, fortalecimento abdominal e do soalho pélvico. Veja estes benefícios e muito mais no nosso artigo.

Pilates pós-parto: uma boa opção!
Tenha uma boa recuperação após gravidez com o pilates.

A prática de pilates pós-parto pode ser fundamental para a mãe que, após a gravidez, quer retomar ou iniciar a atividade física.

Após a gravidez surge a necessidade de querer voltar à forma física antiga e de algum trabalho específico a nível postural e reforço da musculatura devido às alterações que o corpo sofreu, principalmente na zona abdominal e do soalho pélvico.

O pilates pós-parto contribui para a reabilitação destas musculaturas, prevenindo por exemplo a incontinência urinária, e para amenizar a dor lombar, tão frequente nesta fase, ajudando na correção postural.

O Pilates no pós-parto


Os benefícios do Pilates vão desde a melhoria da flexibilidade até à correção postural, sempre associado com a respiração.

Troque uma caipirinha por uma ida ao ginásio
Treine no Solinca por apenas 3,99€ por semana e volte a ficar em forma. Aproveite já!

O Pilates faz com que ocorra um aumento da capacidade do movimento e a sua organização, equilibrando a mente e o corpo, ao trabalhar a postura e a força.

O puerpério (período pós-parto) tem, normalmente, uma duração média de 6 a 8 semanas, e é um período em que as modificações que ocorreram no corpo da mãe durante a gestação irão voltar ao estado normal, antes da gravidez.

Este período pode ser dividido em três fases:

  • Pós-parto imediato (do 1º. ao 10º. dia após o parto);
  • Pós-parto tardio (11º ao 45º dia);
  • Pós-parto remoto (além de 45 dias).

Durante a gestação, ocorre o estiramento da musculatura abdominal, a qual é necessária para permitir o crescimento uterino, ocorrendo uma separação dos feixes dos músculos retos abdominais, denominada de mensuração da diástese dos músculos retos abdominais. Esta não provoca desconforto nem dor, apresentando menos incidência em mulheres com bom tônus abdominal antes da gravidez.

Benefícios do pilates no pós-parto


beneficios do pilates

Como já foi referido,  o pilates pós-parto pode trazer inúmeros benefícios para a retoma ao exercício físico e reforço muscular para a recente mãe, nomeadamente:

  • Recuperação do soalho pélvico, abdominal e músculos da coluna vertebral ajudando em movimentos diários;
  • Trabalho do controlo do movimento lombo-pélvico e da coluna, num novo alinhamento do corpo;
  • Melhoria da postura, que sofreu alterações durante a gravidez e continua a sofrer devido à sobrecarga do peso da barriga, má postura, por pegar no bebé, etc.;
  • Diminuição da separação dos músculos dos Abdominais – diástase do reto do abdómen;
  • Prepara a Mãe para as exigências físicas do dia-a-dia como agachar, pegar no bebé etc.;
  • Promove o controlo dos músculos do pavimento pélvico;
  • Promove momentos de descontração e lazer apenas para a mãe que nesta fase são poucos;
  • Ocorre a  libertação de endorfinas – as hormonas da felicidade – através da prática de exercício físico;
  • Ajuda à tonificação do corpo.

Quando iniciar a atividade física?


O American College of Obstetricians and Gynecologists recomenda que as mulheres comecem a praticar exercício físico logo que seja seguro em termos físicos e médicos.

Tratando-se de um parto normal, a nível geral a mãe poderá começar a realizar exercícios pós-parto duas semanas após o nascimento do bebé.

No caso de cesariana, são necessárias cerca de seis semanas para o início da atividade física.

No entanto, em qualquer um dos casos, a mulher deve aconselhar-se previamente com o médico sobre que cuidados deve ter antes de iniciar a prática de exercícios após o parto.

Recomendações de exercícios pós-parto:

pilates e exercicios posturais

  • Realizar exercícios posturais;
  • Verificar a diástese abdominal;
  • Se o parto foi cesariana, o trabalho abdominal só deverá ser feito quando deixar de existir desconforto;
  • Fortalecimento do soalho pélvico;
  • Evitar a produção de ácido láctico se a mãe estiver a amamentar.
  • Evitar a fadiga;
  • Evitar exercícios de alto impacto;
  • Se a grávida se queixar de sangramento vaginal, não deve iniciar o exercício físico e deve consultar o médico;
  • Se a mulher teve um parto normal deve esperar 2 semanas para iniciar o treino;
  • Se o parto de cesariana deve esperar 6semanas;
  • Privilegiar exercício moderado 3 vezes por semana;
  • Prevenir a desidratação para que não haja decréscimo da produção de leite;
  • Intensidade a 60 – 70% Fcmax.

Em suma


O aumento do peso corporal e as adaptações posturais que ocorrem durante a gravidez não se corrigem assim que o bebé nasce, por isso a mãe deve tentar iniciar a atividade física logo que possível e que tenha autorização médica para iniciar a atividade física.

O ganho de peso durante a gravidez provoca maior tensão na coluna e articulações, que sofrem assim instabilidade. Por isso, é muito importante a realização de um trabalho específico de correção postural e reforço muscular sendo o pilates uma ótima opção.

Aconselhe-se com o seu médico e inicie a atividade física o quanto antes!

Troque uma saída à noite por uma ida ao ginásio. Inscreva-se já no Solinca por apenas 3,99€ por semana!

Veja também:

Ler mais
Sara Tomás Sara Tomás

Sara Tomás, Personal Trainer, trabalha atualmente no Health club Welldomus Fitness and Spa. Colabora na Clínica Bússola da Saúde no Marco de Canavezes. Licenciada em Ciências do Desporto na Faculdade de Desporto da Universidade do Porto, pós-graduada em Atividade Física e Saúde pela mesma instituição. Pós graduada em Reabilitação em Medicina do exercício e Desporto pela Faculdade de Medicina da Universidade do Porto.