Revelamos os segredos do orgasmo feminino

Revelamos os segredos do orgasmo feminino

Esclarecemos as suas dúvidas e indicamos as melhores posições

O orgasmo feminino é o culminar do prazer intenso no decorrer da relação sexual. Há várias formas de o alcançar. Descubra tudo.

É um dos principais objetivos da mulher numa relação sexual: o orgasmo feminino consiste num único processo, determinado pelo sistema nervoso central que gera impulsos eléctricos que percorrem o corpo desde o cérebro à espinal medula.

Traduzindo: uma onda de prazer que invade a mulher, neste caso específico, durante alguns segundos. 

O corpo feminino possui diversas áreas com potencial erógeno que, devidamente estimuladas, podem levar ao clímax, isto é, ao auge do prazer na relação consigo mesma ou com um parceiro.

Para isso, ajuda a estimulação por toques, carícias e beijos, dos denominados preliminares. E, neste clima, o orgasmo ocorre naturalmente, na maior parte dos casos.

Sinais de que alcançou o orgasmo feminino


Quando a mulher é estimulada, o seu corpo reage com algumas mudanças que vão progredindo até atingir o orgasmo. Quando alcançado esse patamar, existem alguns sinais:
 
Proteja a sua saúde!
Receba conteúdos exclusivos e habilite-se a um check-up completo. Registe-se já!
  • O mamilo fica endurecido;
  • Automaticamente, a vagina e o útero contraem-se;
  • A vagina fica mais lubrificada;
  • A vagina vai se contraindo até finalmente atingir o orgasmo;
  • Ele não dura mais que alguns segundos, mas é arrebatador e dá para saber que aconteceu;
  • Depois disso, a vagina relaxa e sofre pequenas contrações involuntárias;
  • O corpo fica relaxado, quase que anestesiado.


5 diferentes tipos de orgasmo feminino


diferentes orgasmos femininos
O sexo não tem que ser tabu, quer esteja sozinha ou numa relação. Assim, sem tabus, permita-se a explorar e a que o seu companheiro explore o seu corpo. Só assim conseguirá perceber o que realmente lhe dá prazer e ajudará a alcançar o orgasmo feminino. 


1. Orgasmo clitoriano

O clitóris é o único órgão humano cuja função é gerar prazer. Localiza-se externamente, tem uma localização acessível ao toque, reúne mais de 8.000 terminações nervosas, e é isto que o torna o tipo de orgasmo feminino mais fácil de atingir.

Composto por tecido erétil que incha e se enche de sangue, o clitóris fica rígido ao ser estimulado e excitado pelo toque, fazendo com que o útero e o canal vaginal se expandam e elevem, favorecendo a eventual penetração.

 
 

2. Orgasmo vaginal

Normalmente intenso e prolongado, o orgasmo vaginal, obtido através da estimulação das paredes vaginais é mais raro e, por conseguinte, difícil de testemunhar.

Este pode ser estimulado manualmente ou através de penetração.

 
 

3. Ponto G

Apesar da controvérsia instalada na comunidade científica sobre a real existência do ponto G, e de que já falámos neste artigo, este ponto de prazer localiza-se atrás do osso púbico, perto do canal da uretra, na parede superior interna da vagina, a cerca de cinco centímetros da sua entrada.

Os orgasmos femininos por esta via são tão intensos que podem levar à ejaculação feminina.

 
 

4. Orgasmo anal

O sexo anal ainda carrega o estigma, por exemplo, da sujidade, pela sua relação direta com o ânus. É necessário reabilitar esta imagem para desenvolver a abertura à experiência.

Efetivamente, e apesar de não possuir lubrificação natural, o ânus pode ser mais maleável do que se pensa, sendo possível utilizar um creme para facilitar a penetração, sem irritação para a pele.

A sua prática exige gentileza, paciência e confiança e, sempre que necessário, uma conversa entre o casal para se superar quaisquer temores e preconceitos. 

 
 

5. Orgasmo mamário

Os seios podem ser das partes do corpo feminino mais sensíveis ao toque, sendo que, enquanto glândulas, dilatam quando excitadas.

A sua estimulação pode, por isso, conduzir ao orgasmo, apesar da sua ocorrência ser rara.


Dificuldade em alcançar o orgasmo feminino


Algumas mulheres relatam a dificuldade em atingir o orgasmo e, para isso, contribuem alguns fatores, tais como:
 
  • Período menstrual; 
  • Tabagismo, álcool e dependência química; 
  • Uso de tranquilizantes ou de anticoncepcionais de baixa dosagem por tempo prolongado; 
  • Doenças vasculares; 
  • Diabetes; 
  • Endometriose; 
  • Miomas;
  • Menopausa, caracterizada por sintomas como atrofia genital, menor fluxo sanguíneo, diminuição da produção de estrogênio e ressecamento vaginal.

No entanto, alguns fatores psicológicos poderão também dificultar o orgasmo feminino, nomeadamente:
 
  • Histórico pessoal e familiar – contextos familiares muito rígidos, em que o sexo é assunto tabu ou tido como algo a rejeitar;
  • Falta de diálogo - se para a mulher já é difícil conhecer o próprio corpo, para o homem é mais ainda. Por isso, conversar sobre as preferências é fundamental;
  • Perfil controlador - mulheres que têm o hábito de controlar tudo também podem ter dificuldade durante a relação sexual. 


Posições sexuais para alcançar o orgasmo feminino


diferentes posicoes sexuais


1. Dominadora

Quando está por cima, a mulher consegue controlar a velocidade e a profundidade da penetração, conduzindo o ritmo do sexo. Com essa posição os corpos não ficam colados e o parceiro pode fazer carícias nos seios, coxas e clitóris. 

 


2. Mergulhadora

Nesta posição, a mulher fica deitada e o homem sentado e acaba por ser bastante confortável, já que o corpo da mulher fica livre e sem o peso do parceiro. 

 


3. Oportunistas

Com ela apoiada na vertical, a penetração por trás estimula bastante a mulher na área conhecida como ponto G, na parede da frente da vagina. É uma posição muito associada a fetiches sexuais. 

 


4. 69

O sexo oral é um dos caminhos de sucesso para o orgasmo feminino. E a posição de estímulo mútuo, a famosa "69", é muito íntima e prazerosa para ambos os elementos do casal.


Em suma... 


A intimidade sexual e o orgasmo não se restringem à relação entre a vagina e o pénis.

Na verdade, o sexo não se resume a uma relação coital, sendo que o orgasmo pode ser desencadeado de muitas outras formas, nomeadamente através da masturbação ou do sexo oral.

O nosso conselho é que não faça algo que a deixe desconfortável, mas também não se limite. Permita-se conhecer melhor e saber o que realmente lhe dá prazer. Valerá muito a pena…

Se a saúde é uma prioridade para si, clique aqui.

 

Veja também:

Artigos em destaque