Óleo de cártamo contra indicações

Óleo de cártamo contra indicações

Nem tudo são benefícios.

O óleo de cártamo tem contra indicações que devem ser tidas em conta na hora de decidir inclui-lo na sua alimentação. Saiba quais são.

O óleo de cártamo traz vários benefícios para a saúde que vão desde as suas propriedades antioxidante ao facto de ajudar na perda de peso e passando ainda pela redução do colesterol ou pelo fortalecimento do sistema imunológico.

Mas nem só de vantagens se faz a inclusão deste alimento na rotina diária.

O óleo de cártamo tem contra indicações que deve conhecer antes de tomar qualquer decisão.

Claro que, acima de tudo, é importante compreender que estas consequências negativas só surgem quando o consumo é realmente excessivo.

Além disso, deve ser procurar acompanhamento de um especialista para saber se é um suplemento que faça sentido na sua rotina alimentar e em que quantidades.
 

ÓLEO DE CARTAMO: CONTRA INDICAÇÕES E CUIDADOS A TER


1. PROBLEMAS DIGESTIVOS

problemas digestivos
O óleo de cártamo tem contra indicações a nível do aparelho digestivo uma vez que a sua ingestão diária pode provocar sintomas como dores abdominais, vómitos ou diarreia. 
 
 


2. TENSÃO BAIXA

Os estudos relativos aos efeitos do óleo de cártamo na pressão arterial são ainda complexos por serem muito contraditórios. Alguns apontam que a ingestão de óleo de cártamo pode realmente reduzir a tensão e que, nesse caso, quem tem naturalmente a tensão arterial baixa ou quem toma medicamentos para a hipertensão, deve evitar incluir óleo de cártamo na alimentação diária.

Tudo para manter a forma
Tenha acesso às melhores dicas de nutrição! Receba já conteúdo exclusivo!
Isto porque quando consumido em excesso, pode causar grandes quebras de tensão e, consequentemente, provocar desmaios, enjoos e até vómitos e náuseas.

Contudo, há também há alguns estudos que não apontam quaisquer efeitos do óleo de cártamo a este nível, sendo portanto um benefício ainda muito discutido e sem evidências suficientes para ser considerado totalmente certo.
 
 


3. HEMORRAGIAS


Quem toma medicamentos anticoagulantes e anti-inflamatórios ou quem tenha feito alguma cirurgia recentemente, deve evitar o óleo de cártamo porque o seu consumo elevado pode provocar hemorragias.

O mesmo se indica para quem tenha problemas como úlceras gástricas, úlceras intestinais ou distúrbios de coagulação. Esta precaução deve-se ao facto de o óleo de cártamo retardar a coagulação do sangue, aumentando o risco de hemorragias.
 
 


4. ALERGIAS

alergias
Da mesma família do girassol, do cravo, do crisântemo e da margarida, é fundamental que quem tem alergias a estas plantas, se aconselhe bem com um profissional de forma a garantir que o óleo de cártamo não trará problemas. Só depois disso poderá (ou não) inclui-lo na sua alimentação.

Além disso, embora seja um excelente hidratante, o óleo de cártamo tem contra indicações ao nível de uma aplicação direta sobre a pele por poder causar alergias, manchas, vermelhidão, marcas e até cicatrizes.

 
 

5. GRAVIDEZ E AMAMENTAÇÃO

gravidas
O consumo de óleo de cártamo durante a gravidez é seguro de tomar via oral. Contudo, deve evitar tomar a flor de açafrão porque pode causar contrações e induzir o parto antes do tempo previsto e até causar abortos espontâneos.

Relativamente à amamentação, não existem estudos suficientes que provem a existência de malefícios, mas também não existem os suficientes para garantir que não causará problemas ao bebé. Sendo assim, é aconselhável que opte por não incluir este óleo enquanto estiver a amamentar.

 
Saiba as melhores dicas para ficar em forma !
 

Veja também: