O que é a naturopatia?

O que é a naturopatia?

Saiba mais sobre esta medicina natural.

Descubra como a naturopatia pode prevenir e tratar doenças através do uso de plantas medicinais.

A história da naturopatia não é nova e são vários os benefícios reconhecidos a esta medicina complementar e alternativa (como é designada pela Organização Mundial de Saúde – OMS). A existência da naturopatia remonta ao século XIX, mas foi apenas nos anos 80 que a sua utilização se tornou mais notória em Portugal. Aliás, foi nessa década que surgiu a formação de especialistas desta área no nosso país.  Mais recentemente, em 2003, e juntamente com outras áreas (como a homeopatia, acupuntura ou a fitoterapia) a naturopatia passou a ser reconhecida pelo estado português como medicina natural, desde 2003. 

O que é?

De forma simples, esta medicina natural pretende prevenir e tratar as doenças recorrendo apenas ao uso de substâncias naturais (ou plantas medicinais). De facto, a naturopatia não utiliza produtos de síntese química.  

Calcule já o seu IMC
Antes de experimentar uma nova abordagem é importante garantir que a sua saúde está em primeiro lugar. Fale com o nosso especialista!

Esta medicina alternativa e complementar divide-se em três áreas: 
1. Preventiva 
2. Curativa 
3. Educativa 

Ou seja, na naturopatia a prevenção assume um papel tão importante quanto a cura. A ideia passa muitas vezes por “ensinar” o organismo a curar-se. No fundo, a naturopatia procura encontrar as causas da doença através da compreensão do corpo, mente e espírito do paciente, podendo incluir várias terapias desde a mudança de comportamentos ou a alterações alimentares, por exemplo. 

O que pode tratar? 

São várias as patologias ou sintomas que podem ser tratados através da naturopatia, tais como: 

1. Má circulação 
2. Dores menstruais 
3. Doenças reumáticas
4. Problemas gastrointestinais
5. Excesso de peso
6. Gripes e constipações
7. Problemas de pele (como acne ou psoríase)
8. Anemia 

Que “medicamentos” utiliza?

Como referimos no início, a naturopatia recorre apenas a produtos naturais para prevenir e tratar patologias, como as que listamos no ponto anterior.  
Entre os produtos utilizados incluem-se várias frutas (como a papaia, o abacate ou o ananás), ou plantas aromáticas (tais como: alecrim, hortelã-pimenta, lúcia-lima ou canela). 

Mas não só. Dependendo da patologia pode ser usada uma ampla variedade de produtos. Ginseng, cacau, café, aipo, chá verde, laranja amarga, alho ou açafrão-da-índia são apenas outros dos exemplos de plantas a que recorre a naturopatia. E não será de estranhar esta capacidade “curativa” das plantas medicinais, basta pensar que estes remédios libertam toxinas que podem intervir (ou promover) vários processos metabólicos. 

Ir a um médico naturopata não difere muito de uma visita ao médico de família. Depois de reunidas as informações do paciente – nomeadamente, sobre a dieta alimentar, o estilo de vida ou os níveis de stress a que está sujeito – o naturopata elabora um diagnóstico e aplica a terapêutica mais adequada, seguindo (obviamente) os princípios da naturopatia.  


Veja também: