O perigo dos alimentos processados para a saúde

O perigo dos alimentos processados para a saúde

Saiba o que são alimentos processados e conheça os seus perigos.

Muito saborosos e tentadores, os alimentos processados prejudicam gravemente a sua saúde. O açúcar, sal e gordura, são os causadores de várias patologias.

Os alimentos processados são cada vez mais comuns nas refeições dos portugueses, apesar do seu consumo excessivo estar associado a patologias como: hipertensão, diabetes, alergias alimentares, problemas cardiovasculares e, em situações de consumo excessivo, cancro. 

O que são alimentos processados?


Consulta Gratuita de Nutrição
Perca peso de forma saudável e não o volte a ganhar! Fale já com a nutricionista online!
O próprio nome indica que estamos perante uma opção (pouco) saudável. Alimentos processados são alimentos industrializados, ou seja, não naturais e que sofreram algum tipo de manipulação, alterando assim as suas caraterísticas nutricionais. 

Se falarmos da elevada temperatura a que estão muitas vezes sujeitos durante esse processo, sabemos também que isso vai alterar a sua composição e que perdem alguns dos nutrientes essenciais ao bom funcionamento do nosso organismo. 

Com um perfil nutricional pouco interessante, é devido aos corantes, conservantes, adoçantes e emulsionantes que lhes são acrescentados, que se prolonga o seu tempo de conservação. 

No entanto, no estômago, a sensação de saciedade é reduzida. São mais rapidamente absorvidos pelo nosso organismo, fazendo com que voltemos a sentir fome pouco tempo depois. 
 
 

Os problema dos alimentos processados


1. Patologias associadas

Apesar da satisfação instantânea deste tipo de alimentos, a verdade é que o sabor dos alimentos processados se deve à utilização excessiva de ingredientes que promovem algumas patologias:

  • Colesterol – as gorduras “trans” originadas pelo processamento dos alimentos a temperaturas elevadas, aumentam o nível de colesterol, especialmente do colesterol mau (LDL) que afeta o entupimento das artérias, o que é prejudicial para o desenvolvimento de doenças coronárias. 
  • Diabetes - são alimentos ricos em açúcar e hidratos de carbono refinados e, por isso, potenciadores desta doença. 
  • Hipertensão – estes alimentos têm muito sal para torná-los mais saborosos, o que agrava ou promove um quadro de hipertensão. 


2. Criam adicção

Os alimentos processados tendem a sobrestimular o neurotransmissor responsável pela sensação de satisfação e prazer, chamado dopamina, fazendo com que a vontade de comer este tipo de alimentos seja exacerbada cada vez que os come.

Assim, se a força de vontade para saber quando parar não for suficiente, a elevada ingestão de alimentos processados pode levar ao excesso de peso e obesidade.
 

3. Problemas ósseos

Muitos dos alimentos processados contém na sua constituição fosfatos, cuja ausência nos mesmos faz com que sejam muito menos atrativos sensorialmente. No entanto, quando ingeridos em elevadas quantidades podem prejudicar a saúde óssea. 
 

4. São mais caros que comida saudável

Não, os os alimentos processados não são mais baratos, ao contrário do que muitas pessoas possam pensar. Na verdade, a sua complexa constituição, o facto de terem embalagens (de papel ou plástico) e todo o processo de montagem até ao produto final faz com que este se torne mais caro.

Alimentos simples e frescos não passam por processos com custos elevados, o que os torna, alé de mais saudáveis, mais baratos!

 

Alguns exemplos de alimentos processados 



 
  • Batatas fritas
  • Enchidos
  • Charcutaria 
  • Conservas 
  • Bolachas e biscoitos 
  • Barras de cereais
  • Refrigerantes 
  • Doces (bolos de pastelaria, preparados de bolos, gomas)
  • Nuggets, “douradinhos”
  • Cereais de pequeno-almoço 


A importância da leitura dos rótulos 


Todos sabemos que não é aconselhável ir ao supermercado com fome. Buscamos nas opções rápidas, uma boa escolha para aliviar a fome. Os alimentos processados estão nos pontos mais apelativos e, por isso, é importante termos atenção aos rótulos para reduzirmos o impulso de compra. 

Analisar os rótulos é uma forma consciente de conhecermos o que estamos a comer. Quanto mais ingredientes tiver, mais processado será o produto e, na maioria das vezes, uma escolha prejudicial ao nosso organismo. Fazer esta leitura vai ajudá-lo a conhecer o que coloca no seu carrinho de compras.

 

Boas práticas alimentares


Quanto mais natural for a nossa alimentação - sempre que possível utilizando alimentos frescos e da época na confeção das nossas refeições – mais nutrientes fornecemos ao nosso organismo. Os alimentos são o combustível do nosso dia-a-dia. Fornecem-nos energia. 

O excesso de açúcar, sal e gordura presente nos alimentos processados cria adicção. Ao mesmo tempo, fornecem-nos calorias vazias, que não nos dão a energias suficiente para as rotinas diárias. Cria-se, assim, um ciclo vicioso em que estamos sempre com vontade de “petiscar” qualquer coisa. 

Fazer uma alimentação que respeite os princípios da Roda Alimentar, ingerindo, diariamente, os diferentes grupos em porções adequadas ao nosso dispêndio de energia, levará a uma gestão do peso que nos mantém saudáveis. 

Dedicar tempo à confeção das refeições, tornando-as coloridas e vitaminadas, vai dar-lhe energia para cuidar de si e manter o compromisso de uma alimentação saudável todo o ano, evitando o consumo de alimentos processados.
 

Veja também: