O HPV tem cura?

O HPV tem cura?

As causas, os sintomas e os cuidados.

O HPV é um vírus silencioso que afeta 300 milhões de mulheres mas os homens também estão em risco. Conheça o Papilomavírus Humano.

O HPV não deixa ninguém a salvo, homens e mulheres estão em risco mas são estas as mais afetadas. Cerca de 75% dos homens e mulheres, com uma vida sexual ativa correm riscos de ser infetados pelo HPV.  
 

O que é o HPV?

 
Proteja a sua saúde!
Receba conteúdos exclusivos e habilite-se a um check-up completo. Registe-se já.
O Papilomavírus Humano, ou HPV, afeta as células da pele ou mucosas e tem mais de 200 tipos de vírus diferentes. Na sua maioria representam lesões benignas mas, em casos raros, como o HPV 16, resultam em cancro do colo do útero, do pénis, do ânus, entre outros.
 

Como se transmite? 

 
O HPV é uma das infeções sexualmente transmissíveis mais frequente que pode atingir homens e mulheres de qualquer idade. As zonas genitais são as mais infetadas mas as restantes partes do corpo, como as vias respiratórias, faringe, boca, olhos, uretra, reto e ânus não estão imunes. A infeção surge através do contacto da pele, não sendo necessária a penetração vaginal ou anal.
 
O HPV pode estar no colo do útero durante anos sem resultar em doença. Contudo, uma mulher infetada tem 300 vezes mais hipóteses de ter cancro do colo do útero. Em Portugal, uma em cada cinco mulheres, entre os 18 e os 64 anos, está infetada.
 

Como se manifesta?

 
A grande arma deste vírus é o silêncio. A infeção e as lesões não têm quaisquer sintomas pelo que passam despercebidas. As verrugas, ou condilomas, podem aparecer nas coxas, na vulva, uretra, reto, ânus e no colo do útero e apresentam formas planas ou semelhantes a uma couve-flor.
 

O HPV tem cura?

 
A maioria das verrugas pode ser tratada mas não há cura para o HPV, todavia, o sistema imunitário da maioria das pessoas tem capacidade de eliminar a infeção do organismo. 
 
O tratamento passa pela aplicação de pomadas nas lesões ou através da eletrocoagulação, laser, crioterapia ou mesmo remoção cirúgica. Apesar dos números acima, apenas uma pequena percentagem resulta em cancro.
 

Como prevenir?

 
Existem duas vacinas que protegem contra os vírus 16 e 18, os responsáveis por cerca de 70% dos casos de cancro do colo do útero e para os tipos 6 e 11, responsáveis por cerca de 90% das verrugas anogenitais.
 
A vacinação universal de rotina do HPV destina-se às meninas com 13 anos. Meninas que tenham após 1995 mas não tenham sido vacinadas na idade recomendada, podem iniciar a vacinação até aos 18 anos.
 
É crucial que, todas as mulheres, façam com regularidade o teste citológico, também conhecido como Papanicolau, por ser a única forma de detetar esta e outras doenças de modo a tratar, vigiar e evitar problemas mais graves, nomeadamente, cancro.
 
Para além disso, uma vida sexual segura, com um número reduzido de parceiros e o uso, em todas as circunstâncias, de preservativo, ajudam a prevenir esta e outras doenças sexualmente transmissíveis.
 

Veja também: