A realidade e os mitos da dieta detox: esclareça as suas dúvidas

Conheça os mitos da dieta detox, uma das dietas mais seguidas atualmente, mas que não consegue cumprir tudo aquilo que promete.

A realidade e os mitos da dieta detox: esclareça as suas dúvidas
Será que uma dieta detox será realmente útil quando o organismo já possui mecanismos próprios de desintoxicação?

Certamente já ouviu falar da dieta detox e dos resultados fantásticos que esta promete. Mas será que deve acreditar em tudo o que se diz sobre esta dieta? Talvez não. Conheça, neste artigo, alguns dos principais mitos da dieta detox.

O que é uma dieta Detox?


mitos da dieta detox

Antes de avançarmos para os mitos da dieta detox, importa esclarecer este conceito.

Uma dieta de desintoxicação ou dieta detox, como são comumente designadas, são geralmente intervenções dietéticas de curto prazo, que têm como objetivo eliminar as toxinas e outras substâncias prejudiciais à saúde presentes no organismo.

De facto, os maus hábitos alimentares, o stress, a exposição a poluentes ambientais, entre outros, fazem com que o organismo acumule toxinas, alterando o equilíbrio interno do mesmo. Esta situação pode resultar no aparecimento de doenças do foro físico e/ou psicológico ou, simplesmente, contribuir para o excesso de peso e de massa gorda, retenção de líquidos e inchaço abdominal.

A típica dieta detox pretende colmatar este problema, envolvendo, por norma, períodos de mais ou menos curtos de jejum e uma dieta rigorosa à base de frutas, legumes, sumos de frutas, água, ervas, chás, com a eliminação da lactose (laticínios) e do glúten (pão, tostas, massas, bolachas).

OS PRINCIPAIS MITOS DA DIETA DETOX


desmistifcar a dieta detox

Edzard Ernst, investigador da Universidade de Exeter (no Reino Unido) foi o primeiro a alertar para os mitos da dieta detox. Segundo este investigador, nem tudo o que se diz sobre este tipo de dieta corresponde à verdade e o conceito não passa de um “conceito pseudomédico”.

Com efeito, o investigador fala da existência de dois tipos de dieta detox: “um que é aceitável, utilizado como tratamento médico de pessoas com vícios de drogas e que estão a correr risco de morte, e o outro tipo que está a ser usado para vender um tratamento falso para limpar o organismo de toxinas acumuladas”.

Ora vejamos, então, os principais mitos da dieta detox.

1. Os resultados são eficazes a longo prazo

Qualquer dieta restritiva obtém resultados, é certo, mas serão pouco duradouros, visto que não é viável a sua manutenção a longo prazo. Após a retoma da rotina alimentar habitual, tudo volta ao que era habitual ou fica até pior.

Por outro lado, a eficácia deste tipo de dietas na perda de peso e na promoção de benefícios para a saúde são ainda pouco consistentes.

Além disso, sendo este tipo de dietas demasiado restritas, nomeadamente em hidratos de carbono e algumas fontes de proteína (como os lacticínios) podem acarretar alguns riscos para a saúde e ainda perdas significativas de massa muscular.

2. A dieta detox é saudável

Durante os três a sete dias que dura esta dieta vai alimentar-se essencialmente de frutas e legumes, mas não pense que só por isso esta dieta já é saudável.

Qualquer dieta demasiado radical não é saudável, visto que está a privar o seu organismo de outros nutrientes importantes.

Se quer ser saudável, o melhor é fazer uma alimentação equilibrada e fazer exercício físico com regularidade.

3. O nosso corpo precisa de eliminar toxinas

Por si só, o organismo humano, através de mecanismos internos e de órgãos como os rins e o fígado consegue, de forma bastante eficaz, eliminar as toxinas que se vão acumulando diariamente.

De facto, o fígado desempenha um papel primordial na maioria dos processos metabólicos, particularmente na inativação de moléculas e toxinas e na eliminação de metabolitos tóxicos, tanto endógenos como exógenos através da secreção biliar. Já os rins, excretam diretamente toxinas hidrossolúveis, nomeadamente produtos finais do metabolismo, compostos químicos e metais pesados.

Se quiser dar “uma ajudinha extra” basta optar por um estilo de vida saudável, com uma alimentação equilibrada, prática regular de exercício físico, descanso adequado, ausência de álcool e tabaco.

4. A dieta detox é das melhores para perder peso

No que toca à perda de peso, o grau de evidência é muito baixo. Logicamente que qualquer estratégia que passe por uma restrição energética / calórica severa vai promover a perda de peso.

E como já referido, sendo a restrição proteica associada à maior parte dos programas muito acentuada, é de esperar que muito desse peso seja músculo, o que não permite considerar esta dieta eficaz no emagrecimento (perda de peso com perda de massa gorda).

Além disso, os efeitos secundários deste tipo de dietas, como cansaço, dores de cabeça, náuseas, insónia, ou ansiedade são consequência do défice energético, da acumulação toxinas lipossolúveis a nível cerebral, e da sobrecarga hepática que a libertação das toxinas provoca à medida que perde peso. Este último efeito dificulta, por si só, o normal processo de desintoxicação do organismo por parte do fígado.

Em suma…


Para concluir, não existe evidência na literatura científica de que as dietas detox possam ter um benefício acrescido na eliminação das toxinas a que estamos expostos nem no processo de emagrecimento.

Claro que uma ligeira restrição calórica, a introdução de alguns alimentos funcionais e o aumento da hidratação, são estratégias que pode adotar para o seu quotidiano e que certamente lhe trarão benefícios.

Veja também:

Ler mais
Rita Lima Rita Lima

Rita Lima é nutricionista e trabalha, atualmente, nos ginásios Urban Fit de Ermesinde, Antas Prime Fitness e CulturaFit Club no Porto. Durante 2 anos colaborou no projeto Dragon Force do Futebol Clube do Porto e com o Boavista Futebol Clube. É licenciada em Ciências da Nutrição pela Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto e frequentou o Curso de Nutrição no Desporto na mesma faculdade.