Malária: sintomas, tratamento e prevenção

A malária é uma das doenças tropicais mais perigosas e por vezes fatal. É uma doença de risco para as pessoas que viajam para algumas zonas de África, Ásia, América Central e América do sul.

Malária: sintomas, tratamento e prevenção
Aprenda sobre a transmissão desta doença e os métodos mais eficazes de prevenção.

A Malária é uma doença grave que é causada pela picada de um mosquito Anopheles fêmea infetado com um parasita.

Existem 4 tipos de parasitas que geralmente infetam humanos: Plasmodium falciparu, P. vivax, P. ovale e P. malariae. Estes parasitas infectam as glândulas salivares dos mosquitos, facilitando, assim, a sua propagação aquando das picadas.

Existem entre 300 e 500 milhões de pessoas, em todo o mundo infectadas com malária e a cada ano há 1 a 2 milhões de mortes.

QUAIS OS SINTOMAS DA MALÁRIA?


dores de cabeca e malaria

Após a transmissão da malária ter ocorrido, os sintomas não surgem imediatamente.

Plano de Saúde Grátis
Cuide da sua saúde. Obtenha consultas de clínica geral, medicina dentária e especialidade médicas gratuitas.Peça aqui o seu plano grátis.

O mais provável é aparecerem sintomas alguns dias ou semanas após a transmissão da malária ter decorrido, apesar de estes períodos poderem ser ainda mais extensos.

Entre as espécies de parasitas da malária que infetam os humanos, P. vivax e P. ovale, podem passar por fases dormentes que podem ser reativadas após longos períodos assintomáticos de até 2 anos no caso do P. vivax e de 4 anos para P.ovale.

Os sintomas da malária são, no entanto inespecíficos e muitas vezes confundidos com sintomas gripais.

Em países em que a doença é frequente, a sua população reconhece os sintomas como malária, procurando um diagnóstico médico. Nos restantes países esta semelhança poderá atrasar o diagnóstico e respetiva cura.

Os sinais e sintomas podem incluir:

  • Febre alta;
  • Suores;
  • Arrepios;
  • Dores musculares e de cabeça;
  • Vómitos e diarreia;
  • Mal-estar geral.

É, assim, de extrema importância procurar um cuidado médico especializado quando se apresenta alguns destes sintomas num país com elevado risco de malária.

COMO SE TRANSMITE A MALÁRIA?


transmissao da malaria

Quando a transmissão da malária ocorre, o parasita entra na corrente sanguínea e, no fígado, amadurece e invade os glóbulos vermelhos, onde se multiplica. Os glóbulos vermelhos rebentam, libertando vários parasitas no organismo. Isto ocorre geralmente em ciclos de 48-72 horas.

Quando um mosquito não infetado pica uma pessoa infectada, contrai o parasita e transmite-o à pessoa que picar posteriormente, o que faz com que o ciclo de transmissão continue e dificilmente termine.

Como o parasita da malária atinge os glóbulos vermelhos de uma pessoa infectada, a malária também pode ser transmitida através de transfusão de sangue, transplante de órgãos ou o uso de agulhas ou seringas contaminadas.

A malária também pode ser transmitida de uma mãe para o feto antes ou durante o parto (malária congénita).

EM QUE CONSISTE O TRATAMENTO?


tratamento malaria

Em geral, os medicamentos utilizados para prevenir a malária são os mesmos a que se recorrem para efetivamente tratar a doença.

O tratamento ideal tem de ser começado o mais cedo possível após experenciar os primeiros sintomas de malária. Alguns casos podem ser tratados sem a necessidade de hospitalização, mas infeções mais graves podem requerer o internamento para garantir tratamento eficaz.

O aparecimento de febre entre 7 dias e três meses no local onde exista possibilidade de ocorrer a contaminação deve ser encarado como uma emergência médica.

A PREVENÇÃO É O MELHOR TRATAMENTO


Tal como acontece com muitas outras doenças, é melhor prevenir do que tratá-las, isto é particularmente verdade no caso da malária.

Se vai viajar para uma zona onde as infeções de malária são prevalentes, a ameaça de infecção é real e por isso a profilaxia (para prevenção da doença) da malária deve ser seriamente tida em conta antes de viajar.

Se uma pessoa seguir tratamentos preventivos e em geral tentar evitar as picadas, é pouco provável que a transmissão da malária ocorra, porém, é importante perceber os riscos envolvidos.

Com base na avaliação de risco, intervenções específicas de prevenção da malária devem ser utilizadas pelo viajante.

Exemplos de medicamentos usados na prevenção: Cloridrato de mefloquina (Mephaquine®), Atovaquona+Cloridrato de proguanilo (Malarone®), Doxiciclina, Cloroquina, entre outros.

4 Medidas estratégicas para evitar picadas de mosquito


repelente

  1. Usar repelente de insetos: Mesmo um curto período de tempo ao ar livre pode ser longo o suficiente para sofrer uma picada de mosquito. Pulverizar a pele e as roupas com produto próprio.
  2. Pulverizar a casa com um repelente: Para ajudar a matar mosquitos adultos presentes.
  3. Utilizar uma rede mosquiteira de cama: Especialmente recomendada para mulheres grávidas e crianças pequenas.
  4. Cobrir a pele: Principalmente nas horas de maior atividade dos mosquitos (do anoitecer ao amanhecer).

Cuide da sua saúde. Consiga aqui consultas de clínica geral, medicina dentária e especialidade médica gratuitas!

Veja também:

Ler mais
Cátia Rocha Cátia Rocha

Cátia Rocha é farmacêutica. Como apaixonada pela profissão, acredita na importância da educação para a saúde e num papel interventivo dos profissionais de modo a transmitir conhecimentos que considera importantes e fundamentais para o bem-estar da população. É Mestre em Ciências Farmacêuticas pelo Instituto Superior de Ciências da Saúde do Norte e exerce atualmente o cargo de farmacêutica na Farmácia Agra.