Linha de apoio aos cuidadores de idosos: um serviço útil!

A Unidade Psiquiátrica Privada de Coimbra junta-se à associação Alzheimer Portugal para providenciar mais uma linha de apoio aos cuidadores de idosos, que funciona como linha para aqueles que necessitam de ajuda bem como para esclarecer quaisquer dúvidas sobre patologias do foro psiquiátrico, que assolam a população idosa.

Linha de apoio aos cuidadores de idosos: um serviço útil!
Apoio a cuidadores à distância de uma chamada.

Fixe bem estes números: 939 324 289 e 213 610 465! Estas são as duas linhas de apoio aos cuidadores de idosos em Portugal. Um serviço que já existia apenas como linha fixa e que pertencia à associação Alzheimer Portugal (só em 2017 foram recebidas mais de 2800 chamadas), vê assim mais uma entidade a disponibilizar um apoio fundamental para quem cuida de idosos, principalmente sendo os cuidadores os próprios familiares.

Joaquim Cerejeira é o diretor clínico da Unidade Psiquiátrica Privada de Coimbra e revelou a alguns meios de comunicação, aquando do lançamento recente desta nova valência do departamento, que “nos doentes idosos, em situações de défice cognitivo, surgem muitas vezes episódios agudos inesperados e os cuidadores ficam sem saber o que fazer.” Situação provocada dado que a maior parte dos cuidadores de idosos não são profissionais, mas trata-se sim de um papel assumido por algum familiar próximo, pelo que, em situação de desconhecimento ou urgência, “a resposta tradicional é levar a pessoa às urgências ou chamar o INEM. Nós pretendemos ajudar a resolver a situação evitando que o doente vá ao hospital”.

Desta forma, pretende-se minimizar a sensação de solidão e isolamento sentida pelos cuidadores, pois apenas à distância de uma chamada poderá ter as respostas para as suas dúvidas e evitar, assim, maior transtorno, quer para o idoso, quer para o próprio cuidador.

O que esperar da linha de apoio aos cuidadores de idosos?


assistente de linha de apoio

Se é um cuidador, saiba que ao contactar este serviço, terá à sua disposição profissionais de saúde habilitados, nomeadamente enfermeiros especializados em saúde mental, que poderão responder a dúvidas relacionadas com os efeitos secundários da medicação, duração de algum tipo de tratamento ou mesmo sobre como lidar com o doente nalguma situação específica.

O objetivo é proporcionar uma resposta direta, fácil e eficaz, para ajudar tanto o idoso como o cuidador.

Apoios do Estado para os cuidadores de idosos


Dado que os cuidadores de idosos se dedicam a esta tarefa 24 horas por dia, sete dias por semana, torna-se difícil encontrar uma fonte de rendimentos para sustentar a família, pelo que, para essas situações, o Estado disponibiliza dois tipos de apoio que poderão ser fundamentais:

1. Complemento por dependência

Trata-se de uma prestação em dinheiro atribuída aos cidadãos que se encontrem em situação de dependência e que precisam da ajuda de outra pessoa para satisfazer as necessidades básicas da vida quotidiana, nomeadamente, para a realização de serviços domésticos, apoio na alimentação, apoio à locomoção e apoio nos cuidados de higiene.

2. Subsídio por assistência de 3ª pessoa

Trata-se de uma prestação mensal em dinheiro que se destina a compensar as famílias que tenha a seu cargo crianças ou adultos com deficiência que necessitem de acompanhamento permanente de uma terceira pessoa.

Ser cuidador: um trabalho sem folgas


Linha de apoio aos cuidadores de idosos

À medida que aumenta a longevidade e a qualidade de vida, vai também aumentando o número de pessoas da terceira idade que precisam de algum cuidado especial, e é aqui que entram os cuidadores de idosos. A sua missão tem uma grande importância na sociedade e pode ser uma função desempenhada por alguém com ou sem vínculo familiar em relação ao idoso.

O importante é que seja alguém capacitada para o auxílio das necessidades e atividades da vida quotidiana, onde de incluem:

  • Fazer companhia;
  • Ser responsável por dar os remédios de acordo com a prescrição médica;
  • Auxiliar o idoso em tarefas domésticas;
  • Auxiliar o idoso durante a higiene pessoal;
  • Preparar e servir as refeições;
  • Oferecer apoio emocional;
  • Remover todos os perigos da casa, para evitar quedas e acidentes;
  • Reconhecer as perdas e mudanças de personalidade na pessoa idosa;
  • Saber identificar os pontos fortes do idoso e trabalhá-los de modo a incentivar a autonomia e a independência.

Veja também: