Implantes dentários: a solução ideal para a falta de dentes

Os implantes dentários são a forma mais eficaz e confortável para substituir a falha dentária. Saiba porquê!

Implantes dentários: a solução ideal para a falta de dentes
O que é o implante dentário? Saiba mais aqui!

implante dentário permite substituir a falha de um ou vários dentes, sendo colocado no osso alveolar maxilar ou mandibular, sendo já possível realizar a colocação no osso zigomático.

Esta solução permite suportar as forças de mastigação, e permite um maior conforto para o paciente, tal como acontece com os dentes naturais.

A perda de dentes pode ser originada principalmente pela cárie dentária, doenças gengivais e periodontais, por traumatismos nos dentes ou a agenesias congénitas de peças dentárias.

A falta de dentes provoca aos dentes antagonistas (dentes do maxilar oposto que ficavam em contacto com os dentes em falta) e os que estão ao lado, o deslocamento para o espaço livre.

Plano de Saúde Grátis
Cuide da sua saúde. Obtenha consultas de clínica geral, medicina dentária e especialidade médicas gratuitas.Peça aqui o seu plano grátis.

Este deslocamento leva a uma má oclusão dentária podendo provocar perda de mais peças dentárias, devido ao desequilíbrio das forças durante a mastigação, dores na nossa ATM (articulação temporo-mandibular) e perda do osso alveolar na zona de perda do dente.

Os implantes dentários permite restituir as funções dos dentes naturais (mastigatória, fonética e estética), sendo esta, a solução mais avançada para a substituição dos dentes perdidos.

Como é constituído um implante dentário?


implante dentário

Na medicina dentária a tecnologia dos implantes dentários tem vindo a evoluir nos últimos anos, para aumentar significativamente a sua qualidade e durabilidade.

Os implantes dentários têm a forma de um cilindro, normalmente cónico e construído em titânio, parecido com um parafuso e que tem como objetivo substituir a raiz de um dente natural ficando dentro do osso alveolar.

Uma segunda porção do implante é a coroa que pode ser feita em cerâmica ou zircónica sendo esta a que fica á superfície. Esta pode ser em coroa nos implantes unitários (um elemento), em ponte fixa em implantes de três ou mais elementos contíguos ou em forma de prótese sobre implantes, em casos de desdentados totais.

Que dentes podem ser substituídos por implantes dentários?


Os implantes dentários podem ser utilizados para substituir qualquer um dos dentes (incisivos, caninos, pré-molares ou molares), desde que haja sustentação óssea.

Para além dessa característica os implantes dentários podem ser utilizados apenas para a substituição de um só dente ou, então, para substituir vários dentes ou mesmo para a substituição de uma dentadura completa.

> Veja aqui mais sobre anatomia das peças dentárias.

Cirurgia de implante dentário


cirurgia de implantes dentários

A cirurgia de implante dentário é o procedimento cirúrgico (operação) que nos permite a colocação dos implantes. Esta cirurgia veio melhorar significativamente a qualidade da reabilitação oral nos casos de falta de dentes.

Esta cirurgia é realizada após estudo radiográfico, onde os implantes dentários são colocados em locais com osso suficiente e saudável, sendo contra-indicados se não existirem as condições mínimas de quantidade e qualidade de osso ou se o paciente apresentar alguma limitação ao nível da sua saúde em geral.

Caso não existam essas condições (osso suficiente e saudável) e sempre que possível,  podem colocar-se enxertos ósseos para que o implante dentário possa ter a sustentação óssea necessária para a sua fixação, função e durabilidade.

Felizmente, na maioria dos doentes existe osso suficiente e saudável que permite efetuar a implantação com segurança, sendo a necessidade de enxerto de osso pouco frequente.

A colocação de um implante dentário, habitualmente, não provoca dor, pois o paciente é previamente anestesiado.

A operação de implantes dentários é quase sempre efetuada mediante anestesia local, salvo nos casos dos Implantes zigomáticos onde é efetuada sob anestesia geral.

Tipos de implantes dentários


tipos de implantes dentários

1. Implantes dentários convencionais

São os mais utilizados e colocados nos pacientes com condições ósseas consideradas normais ou suficientes;

2. Implantes curtos

São colocados em locais onde existe pouca profundidade de osso, e quando não se considera recorrer a enxertos ou substitutos ósseos para compensar essa limitação;

3. Implante zigomático

É colocado ou fixado no osso zigomático ou malar (conhecido popularmente por “maçã do rosto”) e, por isso, são apenas utilizados no maxilar superior.

Os implantes zigomáticos são indicados nos pacientes onde se verifica uma perda ou reabsorção óssea já muito extensa e avançada, impossibilitando a colocação de outro tipo de implantes na normal estrutura óssea da maxila.

4. Micro ou mini implante dentário

Apesar do nome, não são um tipo de implantes utilizados para compensar dentes ausentes, mas sim utilizados noutra especialidade: a Ortodontia, pois são elementos que servem de ancoragem nos movimentos de correção dentária.

Implantes dentários vs Próteses dentárias


Os implantes dentários possuem algumas vantagens quando comparadas com as próteses dentárias, nomeadamente a maior preservação do osso (reduzindo a sua reabsorção), preservar os dentes adjacentes de desgastes (comparativamente às pontes fixas sobre dentes naturais), e por serem estruturas independentes reduzem a força ou pressão exercida sobre os dentes ou restantes estruturas orais.

Já quanto às suas desvantagens, para além de serem mais caros do que as próteses, implicam um procedimento cirúrgico e consequente espera de cicatrização levando a um maior período de reabilitação oral.

A possibilidade de fractura mecânica de algum dos seus componentes (parafuso de aperto, por exemplo) também poderá ser considerada uma desvantagem, mas que raramente ocorre.

Implante dentário: riscos e complicações


À semelhança de qualquer cirurgia, a operação para a colocação do implante dentário possui alguns riscos e complicações que não devem ser descurados, sendo, no entanto, um procedimento bastante seguro na atualidade.

A dor ligeira e o edema (inchaço) são alguns sinais e sintomas normais e fáceis de contornar com adequada medicação (analgésicos, anti-inflamatórios).

Contudo, algumas complicações importantes podem ocorrer, como a infecção ou mesmo a lesão indesejável de estruturas anatómicas importantes. As infeções podem ser prevenidas através da prescrição de antibióticos como uma medida profilática.

A rejeição de implante dentário (perda do implante) pode ser também uma complicação ou a consequência dessas possíveis complicações, caso não se verifique a normal osteointegração dos implantes (união do dente ao osso).

Pós-operatório de implante dentário


gelo

Regra geral, na recuperação da cirurgia do implante dentário nada de preocupante ocorre e não obriga propriamente a qualquer repouso no pós-operatório, nem a suspensão laboral.

Ou seja, a recuperação após a cirurgia é quase imediata, podendo o doente levar uma vida perfeitamente normal durante todo o tempo de recuperação, desde que siga as recomendações fornecidas pelo seu médico dentista.

Cuidados pós-operatório:

  • Tomar a medicação prescrita a horas;
  • Aplicar gelo (indiretamente) sobre a zona intervencionada;
  • Evitar movimentos bruscos com a cabeça e qualquer atividade física mais intensa;
  • Evitar exposição ao sol e fontes de calor;
  • Reforçar os cuidados de higiene oral;
  • Optar por uma alimentação mais mole ou pastosa durante a 1ª semana após a cirurgia.

Reabilitação protética

Ao contrário que acontece normalmente em toda a boca onde os tratamentos de reabilitação oral desde a confecção até serem finalizados acontecem num curto espaço de tempo, os implantes dentários demoram até cerca de 3 meses a serem finalizados.

Isto acontece devido à osteointegração do implante dentário ao osso alveolar estar finalizada, só assim se pode realizar definitivamente a reabilitação protética.

Em algumas situações mais específicas é possível realizar a colocação imediata das coroas principalmente em zonas estéticas, cabendo ao seu médico dentista avaliar se existe ou não essa possibilidade.

Visite o seu médico dentista para saber mais pormenores sobre este tema e tudo o que é possível para o seu caso!

Cuide da sua saúde. Consiga aqui consultas de clínica geral, medicina dentária e especialidade médica gratuitas!

Veja também:

Ler mais
Catarina Mota Catarina Mota

Catarina Mota é Mestre em Medicina Dentária pelo Instituto Superior de Ciências da Saúde do Norte, tendo ainda frequentado a Universidad Ciencias Medicas de Villa Clara em Cuba. Apaixonada pela profissão, dedica-se, sobretudo, às áreas de Ortodontia, Cirurgia Oral e Reabilitação Oral. Atualmente, a par da gerência da Clínica Médica e Dentária Dra. Catarina Mota, desempenha também funções no grupo Labmed Saúde.