Herpes labial: o que é, como prevenir e curar

O herpes labial é uma infeção comum, provocada pelo vírus Herpes simplex, que se manifesta em bolhas cheias de líquido em redor dos lábios, nariz ou queixo.

Herpes labial: o que é, como prevenir e curar
Este vírus pode afetar qualquer pessoa, independentemente da faixa etária.

A primeira infeção pelo herpes labial é normalmente adquirida entre a infância e o final da adolescência. Permanece em estado de latência no nosso organismo, até ser ativado por uma série de fatores.

Os sintomas surgem 1 a 3 semanas após o contágio e, se devidamente tratados, desaparecem ao fim de 7 a 10 dias.

Aproximadamente 80% das pessoas está infetada pelo vírus, sendo que 20% sofre de surtos regulares de herpes labial, tendo 2 a 3 surtos por ano. Mulheres e Homens têm a mesma probabilidade de sofrer de herpes labial, em qualquer idade.

Mesmo sendo comum, o herpes labial pode ser muito desconfortável.

Quais são os sintomas do herpes labial?


formigueiro e picadas no labio

Apesar da facilidade de contágio por parte do vírus os sintomas do herpes labial podem demorar alguns dias a aparecer. Esta fase é chamada de período de incubação.

Esta infeção manifesta-se através de um formigueiro e/ou pequena comiçhão. É também habitual sentir uma espécie de picadas muito leves na zona onde vai surgir a lesão. Pode também sentir febre, cansaço e dores musculares.

Após essa fase, a infeção aparece sob a forma de vesículas, à volta da zona infetada, que acabam por romper e dar origem a pequenas ulcerações. Tudo isto acaba por retomar a normalidade habitualmente após cerca de 5 a 7 dias.

Nesta fase final pós-infeção, é importante o uso de cremes hidratantes, para ajudarem a pele a retomar a sua normalidade.

Herpes labial: 5 fases


manifestacoes do herpes labial

Fase 1: Formigueiro

Sensação desconfortável de formigueiro, ardor e prurido (comichão) à volta da área afetada pelo vírus. É vivida apenas em 40 a 60% das recorrências.

Fase 2: Vesícula

Manifesta-se por pequenas vesículas (ou uma única vesícula grande) cheias de líquido e rodeadas por uma zona avermelhada.

Fase 3: Úlcera

As vesículas dilatam e rebentam, deixando uma úlcera superficial avermelhada. Esta é a fase mais dolorosa e contagiosa do ciclo.

Fase 4: Crosta

Assim que as vesículas secam forma-se uma crosta.

Fase 5: Cicatrização

O vírus transmite-se desde a fase inicial, até à fase da cicatrização, quando a crosta desaparece.

Após estas 5 fases, verifica-se a latência do vírus, ou seja, o vírus encontra-se adormecido, podendo ser reativado por fatores como:

  • Exposição solar ou frio intenso;
  • Stress emocional e a fadiga;
  • Defesas imunitárias enfraquecidas, como na constipação ou gripe;
  • Período menstrual;
  • Gravidez;
  • Traumatismos na área dos lábios, como queimaduras ou cortes.

 

Como é feita a transmissão do herpes labial?


A transmissão deste vírus é feita através do contacto direto com pele infetada ou através de objetos que tenham estado em contacto com pele infetada, nos quais o vírus fica depositado.

Como é a recorrência do herpes labial?


mulher com frio e constipacao

Tal como indicado anteriormente, este vírus é altamente contagioso, motivo pelo qual a maioria das pessoas ja foram infetadas. Como o organismo nunca elimina definitivamente o vírus, este ficam “adormecido”, em estado de latência, nas raízes dorsais dos nervos periféricos.

Sempre que o corpo, mais propriamente o sistema imunitário, tem uma quebra, o vírus pode reactivar-se, voltando a reproduzir-se e dando origem a um novo surto. Esta quebra pode ocorrer por diversos motivos:

  • Exposição solar;
  • Tempo frio;
  • Menstruação;
  • Alterações hormonais;
  • Febre;
  • Constipação ou gripe;
  • Fadiga;
  • Sistema imunitário enfraquecido.

A frequência com a qual o vírus se manifesta varia muito de indivíduo para indivíduo. Em alguns casos não reaparece (só aparece a 1ª vez), noutros manifesta-se 1 a 2 vezes por ano, e noutros entre 3 a 6 vezes por ano.

Apostar na prevenção do herpes labial


mulher a lavar bem as maos

Para evitar que o vírus de propague entre pessoas ou outras zonas do corpo, existem gestos do nosso dia-a-dia que podem ajudar, tais como:

  • Evite o contato direto, sempre que as lesões estejam presentes (sobretudo com crianças e pessoas com as defesas imunitárias debilitadas).
  • Não partilhe objetos pessoais, como toalhas, escova de dentes, lâminas de barbear, batons, talheres, entre outros.
  • Lave as mãos, várias vezes durante o dia, de forma a evitar o alastramento a outras zonas do corpo (sobretudo olhos e genitais).
  • Cuidado nas férias! Use protetor solar e bálsamo protetor dos lábios (para os hidratar e resguardar contra a radiação UV).

 

Como curar o herpes labial quando ele aparece


pomada para herpes labial

É importante atuar logo que apareçam os primeiros sintomas, quando presentes. Muitos doentes com herpes labial conseguem reconhecer quando estão prestes a ter herpes labial, isto é, sentem uma picada, comichão ou formigueiro. Recomenda-se iniciar o tratamento tão cedo quanto possível, por exemplo, na fase de formigueiro. No entanto, pode começar a tratar-se o herpes labial já na fase de vesícula.

Existem medicamentos de aplicação tópica (local) sob a forma de creme ou pomada, que aliviam os sintomas e aceleram a cicatrização. Os cremes são por norma compostos por uma substância com poder antivírico (aciclovir). Esta aplicação deve ser efetuada logo nos primeiros sinais de aparecimento do herpes labial para tratar o vírus e diminuir o tempo de cicatrização. Estes devem ser aplicados de 4 em 4 horas, não necessitando aplicar durante a noite até desaparecerem os sintomas.

A sua ação pode ser complementada com outros produtos, como pensos que disfarçam a lesão, protegem e auxiliam no processo de cicatrização e podem prevenir o aparecimento de crostas. Além disso, como funciona como um escudo frente ao vírus, o penso reduz bastante o risco de contágio.

Vitamina C

alimentos com vitamina C

Tomar vitamina C no decurso do desenvolvimento do herpes labial, acelera muito o processo de cura. Na dosagem de 1000mg por dia, irá fortalecer o sistema imunitário e reduzir o número de dias até ao desaparecimento da lesão.

Veja também:

Cátia Rocha Cátia Rocha

Cátia Rocha é farmacêutica. Como apaixonada pela profissão, acredita na importância da educação para a saúde e num papel interventivo dos profissionais de modo a transmitir conhecimentos que considera importantes e fundamentais para o bem-estar da população. É Mestre em Ciências Farmacêuticas pelo Instituto Superior de Ciências da Saúde do Norte e exerce atualmente o cargo de farmacêutica na Farmácia Agra.