Escarlatina: esteja atento aos principais sintomas

A escarlatina é uma infeção comum que afeta principalmente as crianças. Apesar de ser benigna, é importante ser tratada adequadamente para prevenir possíveis complicações.

Escarlatina: esteja atento aos principais sintomas
Esta doença é comum durante a infância.

A escarlatina é uma infeção bacteriana que surge muito frequentemente durante a infância. Na maior parte dos casos, esta infeção surge em idade escolar, após os 2 anos de idade. A sua incidência é maior nos meses de inverno e início da primavera e surge, várias vezes, associada a uma amigdalite ou faringite.

Esta infeção é provocada pela bactéria streptococcus pyogenes, que apresenta um período de incubação de cerca de 2 a 3 dias, podendo ascender até aos 7 dias. Uma vez que a criança seja infetada, ela desenvolve imunidade à mesma. Também pode afetar os indivíduos adultos que nunca tenham tido contacto com esta bactéria.

Quais são as causas de escarlatina?


escarlatina e bacteria streptococcus pyogenes

A escarlatina é uma infeção causada por uma série de bactérias da estirpe streptococcus pyogenes. Estas podem ser responsáveis por diversos tipos de infeção, como amigdalite, faringite, pneumonia, infeção na pele, entre outras. O aparecimento desta doença deve-se à libertação de uma toxina pelas bactérias responsáveis, a toxina eritrogénica.

A transmissão da infeção é feita através do contacto com gotículas contaminadas. Estas gotículas são expelidas pelos indivíduos ao falar, espirrar ou tossir.

O contágio pode ainda ser feito de forma indireta, através do contacto com superfícies contaminadas (pratos ou talheres). O contacto com mãos contaminadas com secreções respiratórias também é uma forma comum de contaminação. Por este motivo, a higienização frequente e adequada das mãos é importante para prevenir a transmissão da escarlatina.

O contacto próximo entre indivíduos propicia a transmissão da bactéria e, por este motivo, é frequente que surjam surtos de escarlatina em creches.

Sintomas da escarlatina


febre alta

Normalmente, a escarlatina é uma infeção benigna. Na maior parte dos casos, para além dos sintomas abaixo mencionados, a criança afetada apresenta-se com um bom estado geral. Cerca de uma semana após o início dos sintomas as lesões cutâneas desaparecem e pele começa a descamar.

  • Amigdalite ou faringite;
  • Febre alta;
  • Irritação cutânea por todo o corpo. A pele adquire uma coloração avermelhada (como após uma queimadura solar) e apresenta uma textura rugosa (como lixa). Quando as zonas afetadas são pressionadas a pele perde o tom vermelho escarlate;
  • Marcas vermelhas mais fortes, nas pregas do pescoço, axilas e virilhas;
  • Inflamação dos gânglios linfáticos na região do pescoço;
  • Língua com um aspeto de framboesa.

Em algumas situações, a infeção pode agravar-se provocando mal-estar geral e outros sintomas:

  • Náuseas e vómitos;
  • Dores de cabeça;
  • Fotofobia (sensibilidade à luz);
  • Gânglios da zona do pescoço aumentados;
  • Dificuldade em deglutir.

Nestes casos, a criança afetada deve ser observada o mais brevemente possível por um médico para fazer o despiste da existência de outras doenças mais graves como febre reumática ou meningite.

Tratamento da escarlatina


medicacao para tratamento da doenca

A escarlatina é uma infeção bacteriana que é facilmente diagnosticada. O seu diagnóstico pode ser feito com base apenas na avaliação dos sintomas característicos.

No caso de dúvida pode ser feita uma colheita de uma amostra de exsudado das amígdalas ou faringe com recurso a uma zaragatoa. Esta amostra é posteriormente analisada em laboratório e permite identificar a estirpe da bactéria streptococcus pyogenes responsável pela infeção. Deste modo, é possível saber quais antibióticos são mais eficazes.

O tratamento da escarlatina é feito através do recurso a antibióticos para combater a infeção bacteriana. Para aliviar sintomas como a febre pode ser administrado um antipirético, como o paracetamol.

Esta infeção, normalmente, tende a desaparecer ao fim de cerca de duas semanas. No entanto, o tratamento tem como objetivo aliviar os sintomas e prevenir o contágio, assim como evitar possíveis complicações e a progressão para outros órgãos (rins, pulmões ou ouvido médio).

O risco de contágio da escarlatina desaparece ao final de dois dias após o início da toma do antibiótico. Após este período, a criança pode regressar à escola, desde que se sinta bem e o médico o recomende.

Veja também:

Isabel Silva Isabel Silva

Isabel Silva é enfermeira por paixão, licenciada pela Escola Superior de Enfermagem do Porto. Sempre quis seguir a área da saúde e acredita que a informação é uma ferramenta essencial para a saúde da população, e que cabe aos profissionais de saúde transmiti-la de forma relevante e fidedigna para que cada indivíduo seja capaz de tomar decisões importantes relativamente à sua saúde e ao seu bem-estar.