Dor de garganta: causas, tratamento e prevenção

A dor de garganta pode ser um sintoma e um problema maior como uma infeção de origem vírica ou bacteriana. Na maior parte das vezes aparece associada a outros sintomas.

Dor de garganta: causas, tratamento e prevenção
A dor de garganta é um dos sintomas mais comuns em consultas médicas.

A garganta tem início na parte de trás da boca e estende-se até ao início das vias respiratórias e esófago e é constituída pelas amígdalas, a faringe e a laringe.

A dor de garganta é um dos sintomas mais comuns em consultas médicas, e afeta de igual modo adultos e crianças. Este problema surge quando há inflamação da garganta normalmente devido a faringite ou amigdalite.

A dor de garganta pode ter várias origens. No entanto, mais de metade dos casos são provocados por vírus (gripes, constipações ou mononucleose).

Causas da dor de garganta


causas da dor de garganta

Muitas vezes a dor de garganta é um sintoma de infeção de faringite ou amigdalite. Contudo, existem outros fatores que podem levar ao aparecimento de irritações na garganta, provocando inchaço e vermelhidão.

Na grande maioria dos casos, a dor de garganta é provocada por agentes víricos ou bacterianos, surgindo associada a gripes ou constipações.

  • Tabagismo;
  • Reduzida ingestão de líquidos;
  • Esforço constante da voz;
  • Ingestão regular de bebidas demasiado frias ou quentes, que torna a mucosa da garganta mais vulnerável à contaminação por vírus e bactérias;
  • Refluxo gastroesofágico, uma vez que a subida do ácido do estômago pelo esófago até à garganta provoca dor;
  • Respirar pela boca, permite que bactérias e vírus cheguem facilmente até à garganta;
  • Traumas físicos como corte, por exemplo;
  • Alergias;
  • Tumores da faringe ou orofaringe.

Origem viral

causas da dor de garganta e origem viral

As infeções virais são uma das causas mais frequentes da dor de garganta, representando cerca de 50% dos casos. Entre as causas mais comum estão:

  • Gripe ou constipação (o mais comum);
  • Laringite;
  • Faringite;
  • Amigdalite;
  • Mononucleose;
  • Parotidite infecciosa;
  • Herpangina;
  • Faringoamigdalite.

Neste caso, a dor de garganta manisfesta-se, normalmente, numa forma leve e durante um período de cerca de 5 dias. Isto assumindo que é efetuado um correto diagnótico e acompanhamento.

As infeções virais provocam sensação de secura, ardor e irritação da garganta, assim como possível rouquidão. Para além destes sintomas, podem ainda ser observados espirros, nariz entupido, tosse e conjuntivite.

Origem bacteriana

causas da dor de garganta e e origem bacteriana

As infeções bacterianas podem aparecer por contaminação direta (inalação partículas contaminadas) ou através de contacto com alimentos ou partes do corpo contaminadas (por exemplo, as mãos do próprio indivíduo).

Várias vezes aparecem na sequência de uma infeção vírica sem tratamento adequado. As bactérias do grupo streptococos do grupo A, C e G e haemophilus são os agentes mais habituais.

Este tipo da infeção é mais grave e os sintomas são mais acentuados. A dor de garganta intensifica-se adquirindo uma cor avermelhada, as amígdalas ficam inchadas e com placas de pus. Estes sintomas são acompanhados de febre, calafrios, mal-estar geral, dor ao engolir e perda de apetite.

Tratamento e prevenção


tratamento e prevencao da dor de garganta

Para que o tratamento seja eficaz é fundamental que o diagnóstico seja o correto, identificando se a dor de garganta tem origem viral ou bacteriana.

A cura da dor de garganta passa pelo tratamento da infeção que está na sua origem, seja ela vírica ou bacteriana.

Existem algumas dicas a seguir para o tratamento deste tipo de infeções:

  • Evitar esforço da voz;
  • Tomar rebuçados e pastilhas de acção local que proporcionam alívio da garganta;
  • Aumento da ingestão de líquidos para manter a zona da faringe hidratada. Os líquidos devem estar sempre a temperatura tépida, evitando-se bebidas muito quentes ou muito frias;
  • Evitar o tabaco, o álcool, e a exposição a ambientes poluídos;
  • Evitar locais concentrados com um grande número de pessoas e pouca circulação de ar;
  • Lavar as mãos com frequência, especialmente quando existe contacto com pessoas contaminadas;
  • Não respirar pela boca;
  • Tratar o nariz entupido, mantendo uma boa higiene nasal.

Se a dor de garganta for intensa e persistir durante vários dias, pode ser necessária a administração de anti-inflamatórios e analgésicos.

Veja também:

Ler mais
Isabel Silva Isabel Silva

Isabel Silva é enfermeira por paixão, licenciada pela Escola Superior de Enfermagem do Porto. Sempre quis seguir a área da saúde e acredita que a informação é uma ferramenta essencial para a saúde da população, e que cabe aos profissionais de saúde transmiti-la de forma relevante e fidedigna para que cada indivíduo seja capaz de tomar decisões importantes relativamente à sua saúde e ao seu bem-estar.