DIU de cobre: saiba tudo sobre o seu funcionamento

O DIU de cobre é um método intra-uterino não hormonal em forma de “T”. Confortável e de fácil colocação, é indicado especialmente para mulheres que já tenham filhos.

DIU de cobre: saiba tudo sobre o seu funcionamento
Este método apresenta até 5 anos de eficácia.

O DIU de cobre é um tipo de dispositivo intra-uterino não hormonal.

Apresenta a forma de “T” e normalmente é feito em plástico, com revestimento de cobre. Esta forma facilita a sua colocação ajustada ao formato do útero da mulher, sempre realizada por um profissional de saúde qualificado.

Apresenta uma eficácia de cerca de 99%, sendo que esta é maior nas mulheres que já tiveram filhos e menor nas mulheres mais jovens. A sua eficácia mantém-se durante pelo menos 5 anos.

Este método não protege das infeções sexualmente transmissíveis.

Modo de funcionamento do DIU de cobre


Este tipo de DIU funciona de 3 maneiras:

  • Impede a fecundação;
  • Inviabiliza os espermatozóides através do efeito do cobre;
  • Impede a fixação do ovo à parede uterina.

 

Vantagens e desvantagens deste método de contraceção


Vantagens

vantagens DIU de cobre

Plano de Saúde Grátis
Cuide da sua saúde. Obtenha consultas de clínica geral, medicina dentária e especialidade médicas gratuitas.Peça aqui o seu plano grátis.

  • Não é um método hormonal e por isso não apresenta os efeitos secundários associados aos mesmos);
  • Os ciclos menstruais mantêm-se regulares;
  • Prático e confortável;
  • Longa duração;
  • Impede esquecimentos;
  • Pode ser usado durante a amamentação;
  • Não interfere com a relação sexual;
  • Mulheres de qualquer idade podem utilizá-lo;
  • A fertilida é retomada imediatamente após a sua remoção.

Desvantagens

desvantagens DIU de cobre

Apesar de serem raras as mulheres que apresentem problemas com a utilização do DIU de cobre, podem ser descritas algumas desvantagens deste método:

  • Menstruações mais dolorosas, mais intensas e de maior duração;
  • Cerca de 2% das mulheres podem desenvolver infeção uterina (nos 20 dias subsequentes à sua inserção);
  • Em mulheres que contraiam alguma infeção sexualmente transmissível há a possibilidade de evolução para uma doença inflamatória pélvica;
  • Caso ocorra gravidez durante a sua utilização existe probabilidade que esta seja ectópica;
  • Pode acontecer o expulsamento do DIU, mais frequente nos 3 meses após a sua colocação).

 

Colocação e remoção do DIU de cobre


colocacao e remocao do DIU de cobre

Este dispositivo deve ser colocado preferencialmente durante ou imediatamente a seguir ao período menstrual. Se tal não for possível, pode ser colocado em qualquer altura, desde que não haja probabilidade de gravidez atual.

Também funciona como método de contraceção de emergência caso seja colocado até 120h após a relação sexual de risco.

Em caso de aborto este método pode ser utilizado imediatamente, de preferência antes de completar 13 semanas.

Em mulheres que tenham tido um parto recente, pode ser colocado o DIU de cobre apenas 6 semanas após o mesmo.

Passos para a colocação

O dispositivo intra-uterino é colocado por um profissional de saúde qualificado durante um exame ginecológico.

  1. Introdução de um espéculo na vagina para visualizar e desinfetar o colo do útero;
  2. Medição e verificação do posicionamento e  tamanho da cavidade uterina através de um instrumento especifico;
  3. Inserção do DIU de cobre no útero através de uma cânula chamada tubo de inserção.

Algumas mulheres referem dor tipo cólica menstrual durante e após a sua colocação, pelo que habitualmente é recomendada a administração de um analgésico (mais usualmente o ben-u-ron).

É possível que ocorra um sangramento vaginal durante um pequeno período de tempo.

Remoção

A remoção do DIU de cobre é feita puxando cuidadosamente os fios que permanecem na vagina. Isto pode ser realizado em qualquer altura por um profissional de saúde qualificado, durante um exame ginecológico.

Caso não seja possível a visualização dos fios na vagina, a sua remoção é adiada até à próxima menstruação uma vez que geralmente estes são visíveis imediatamente a seguir às perdas de sangue.

Normalmente este processo não provoca dor à mulher.

Contra-indicações do uso do DIU de cobre


Há algumas situações em que este método não pode ser utilizado:

  • Doença inflamatória pélvica;
  • Suspeita de cancro uterino;
  • Alergia ao cobre;
  • Doença de Wilson (doença do fígado relacionada com o cobre);
  • Anomalia da cavidade uterina.

Cuide da sua saúde. Consiga aqui consultas de clínica geral, medicina dentária e especialidade médica gratuitas!

Veja também:

Isabel Silva Isabel Silva

Isabel Silva é enfermeira por paixão, licenciada pela Escola Superior de Enfermagem do Porto. Sempre quis seguir a área da saúde e acredita que a informação é uma ferramenta essencial para a saúde da população, e que cabe aos profissionais de saúde transmiti-la de forma relevante e fidedigna para que cada indivíduo seja capaz de tomar decisões importantes relativamente à sua saúde e ao seu bem-estar.