Dietas para emagrecer a barriga

Dietas para emagrecer a barriga

Cinco opções de dietas.

As dietas para emagrecer a barriga são várias. Aqui apresentamos cinco para escolher qual delas mais se adequa a si.

Há dietas para todos os gostos e para todos os estilos de vida. 

Por isso, selecionámos cinco dietas para emagrecer a barriga cujos objetivos passam pela perda de gordura abdominal e, acima de tudo, a reeducação alimentar.

Qualquer uma destas dietas pode surgir como forma de começar uma vida mais saudável com a limitação do consumo de alguns alimentos. No final, é importante que se aconselhe com o seu nutricionista relativamente a qual a melhor opção para si, tendo em conta o seu objetivo.
 

5 DIETAS PARA EMAGRECER A BARRIGA 


1. DIETA PALEO

dieta paleo
Aquilo que os nossos antepassados comiam há centenas de anos é a base desta dieta. Basta pensar nos recursos que havia na era do paleolítico e começa a ter uma ideia daquilo em que consiste a dieta paleo. Esqueça os açúcares refinados e os grãos, esqueça os produtos processados e os refrigerantes, esqueça o pão, as bolachas e os cereais, esqueça o sal e os laticínios.

Conclusão: escolha alimentos naturais. Carne, peixe, marisco, ovos, vegetais e frutos secos (nozes, amendoins, amêndoas, avelãs, ...) são opções válidas. Também as raízes e as frutas podem ser incluídas, mas com mais moderação.

Assim a dieta paleo pode ser uma das dietas para emagrecer a barriga essencialmente por duas razões:

Tudo para manter a forma
Tenha acesso às melhores dicas de nutrição! Receba já conteúdo exclusivo!
  • Retira os alimentos processados que contribuem para o aumento da gordura e volume abdominal
  • A redução da de hidratos de carbono simples vai diminuir o volume de água retido no organismo, contribuindo favoravelmente para a retenção de líquidos
  • Em alguns casos, os laticínios podem causar desconforto e aumentar o volume abdominal

No entanto, tenha em atenção que ao praticar exercício físico de forma moderada ou intensa, esta pode ser uma dieta limitada devido à ausência de leguminosas e outras fontes de hidratos de carbono complexos fundamentais no fornecimento de energia.
 
 
 

2. DIETA DUKAN

dieta dukan é uma das dietas para emagrecer a barriga (e não só, claro!) mais conhecidas. Basicamente divide-se em quatro fases (duas para emagrecer e duas para estabilizar o peso):
 
  • Ataque: Esta fase dura entre dois a sete dias e, embora seja a mais dura por ser um choque para o corpo, é motivante porque promove uma perda de peso mais rápida. Aqui todos os hidratos de carbono são excluídos e deve escolher 66 alimentos ricos em proteína para construir a sua alimentação. 
  • Cruzeiro: Esta fase dura até atingir o peso ideal, estando prevista a perda de cerca de 1kg por semana. Às 66 proteínas são acrescentados 34 legumes (crus ou cozidos em água e sal), num total de 100 alimentos que podem ser consumidos à vontade. Os hidratos de carbono continuam fora da alimentação e deve haver uma alternância nos dias de dieta: um dos só proteína, outro dia proteína e legumes.
  • Consolidação: A duração desta fase mede-se através do número de quilos perdidos: por cada quilo, dez dias da fase de consolidação. O objetivo é ganhar novos hábitos alimentares de forma a que não se recupere todo o peso perdido. Assim aos alimentos incluídos anteriormente, juntam-se hidratos de carbono, embora moderadamente. A partir desta fase, e para sempre, um dia por semana deve ser feita a fase de ataque.
  • Estabilização: Esta é a última fase da dieta e portanto o objetivo é que comece a fazer uma alimentação normal, mas sempre tendo noção dos alimentos que devem ser evitados e dos que devem ser consumidos moderadamente. Além disso, uma vez por semana é dia de fase de ataque, deve consumir sempre três colheres de sopa de aveia por dia e o exercício físico tem de ser prática corrente.

Tendo em conta que inicialmente se verifica a retirada total de hidratos de carbono, é normal que veja os números na balança a descer. Dá-se uma redução da retenção de líquidos devido à ausência de açúcares simples e complexos e, por consequência, uma redução de volume e peso mas não de gordura.

No entanto, a introdução faseada de hidratos de carbono até que se atinjam as necessidades nutricionais deste macronutriente e a reeducação alimentar são formas de evitar que o peso perdido seja recuperado. 

 
 
 

3. DIETA DETOX

dieta detox
Há várias dietas para emagrecer a barriga, mas enquanto algumas se podem tornar num estilo de vida, outras não. Isto significa que são "ataques" rápidos ao nosso organismo mas que dão resultados a curto prazo.

dieta detox é um desses exemplos. A ausência de determinados grupos alimentares (hidratos de carbono e algumas fontes proteicas) e a prevalência de outros (como frutas, legumes e grãos) vão fazer com o corpo reaja e perca volume. No entanto, a ideia passa por "limpar" o organismo de excessos que cometeu e voltar a um estilo de vida saudável onde uma alimentação equilibrada e exercício físico são os pilares fundamentais.

A redução do inchaço abdominal é das imediatas mudanças que se fazem sentir com esta dieta. Isto porque vai retirar da alimentação todos os alimentos que contribuem para aumentar o volume abdominal, ao mesmo tempo que vai evitar a retenção de líquidos e ajudar a melhorar o trânsito intestinal.


Mas para isso deve cumprir algumas regras durante 21 dias:

  • Eliminar farinha branca, açúcar, refrigerantes, carnes vermelhas, produtos processados, lacticínios, café, glúten, álcool, hidratos de carbono simples
  • Fruta, legumes, grãos integrais, frutos secos, sementes e ovos são grandes aliados
  • Os dois primeiros dias devem ser feitos à base de líquidos (água, chá, sumos e sopas)
  • A partir do terceiro dia pode incluir alimentos sólidos, dando sempre prioridade aos ricos em fibras e aos antioxidantes
 
 
 

4. DIETA DOS 31 DIAS

Desenvolvida pela nutricionista Ágata Roquette, a dieta dos 31 dias garante não deixar ninguém passar fome nem a sentir falta de todos os alimentos que adora diariamente. Para começar divide-se em quatro fases:
 
  • Fase inicial – Com duração de 15 dias, esta fase faz com que se despeça dos hidratos de carbono. À exceção do pão, que pode comer mas apenas ao pequeno almoço. Já os alimentos ricos em proteína são totalmente permitidos. Carnes magras, peixe, marisco, ovos, fiambre de peru ou de frango, legumes e verduras (menos feijão, grão, ervilhas, favas, lentilhas, cenoura cozida, beterraba e abóbora), gelatina, água, chá e café.
  • Fase intermédia – Supõe-se uma duração também de 15 dias, mas pode prolongar-se até atingir o peso desejado. Os alimentos permitidos e proibidos são os mesmos, mas agora pode incluir sopa (três dias por semana ao jantar) e fruta (uma peça por dia, sendo que a banana é proibida)
  • Fase alternativa – A partir daqui a perda de peso será mais reduzida. A grande diferença para as fases anteriores é que pode incluir três colheres de sopa ao almoço de alimentos como arroz ou massa integral, feijão, favas, abóbora, cenoura, ervilhas ou batata doce.
  • Fase manutenção – Nesta fase já terá atingido o peso ideal. A ideia é voltar a fazer uma alimentação normal e menos restrita, sendo que pode voltar a incluir os alimentos anteriormente proibidos. Mesmo assim deve ser algo controlado, sempre evitando exageros para não recuperar todo o peso perdido.
 


5. DIETA MEDITERRÂNICA

dieta mediterranea
Mais do que uma dieta que tem como objetivo fazer emagrecer, este é um estilo de vida associado aos povos do mediterrâneo resultante das características geográficas da zona. É naturalmente saudável por vários aspetos que tornam esta alimentação equilibrada:
 
  • Consumo elevado de legumes, verduras e fruta
  • Consumo de gorduras saudáveis como o azeite e os frutos secos
  • As carnes brancas são escolhidas em detrimentos das vermelhas
  • Consumo de peixes gordos e proteicos como a sardinha, a cavala ou o carapau
  • Consumo de leguminosas como o feijão, as lentilhas ou grão com alto teor proteico

Estas características trazem benefícios como a saúde cardiovascular, a redução do mau colesterol, a regulação do trânsito intestinal e o efeito antioxidante. Consequentemente esta dieta ajuda a perder peso, mas, acima de tudo, incentiva à adoção de uma alimentação equilibrada e saudável.

Além disso, a dieta meditarrânica caracteriza-se pela prática de atividade física regular e também por um conceito totalmente oposto ao de fast-food: as refeições são tomadas com calma de forma a apreciar bem a comida e os momentos.


Em suma: O fundamental a reter de qualquer dieta é que o objetivo não pode ser só a perda rápida de peso. A ideia é adotar um estilo de vida saudável e equilibrado que garanta que não se recupere o peso perdido e que haja uma reeducação alimentar para que não seja necessário recorrer a dietas constantemente.
 
Saiba as melhores dicas para ficar em forma !



Veja também: