Dieta mediterrânica: a única que deve realmente seguir

Dieta mediterrânica: a única que deve realmente seguir

Saiba o que torna esta dieta única.

Classificada como Património Imaterial da Humanidade, a dieta mediterrânica é uma das melhores aliadas para a sua saúde. 
 

Mais do que uma dieta alimentar, a dieta mediterrânica é um estilo de vida. Esta é uma boa forma de descrever a dieta mediterrânica. Classificada desde 2013 como Património Imaterial da Humanidade pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO), a dieta mediterrânica - de Portugal, Chipre, Croácia, Grécia, Espanha, Itália e Marrocos - é considerada uma das mais saudáveis do mundo. E ainda que seja fácil de ver porquê, há vários estudos científicos que comprovam os benefícios da dieta mediterrânica para a saúde, especialmente no que diz respeito à prevenção de doenças cardiovasculares, alguns tipos de cancro ou diabetes de tipo 2, por exemplo. Mas se precisa de mais argumentos a favor desta dieta, cá vão eles.

Consulta Gratuita de Nutrição
Perca peso de forma saudável e não o volte a ganhar! Fale já com a nutricionista online!

Porque deve seguir a dieta mediterrânica?

Se precisa de (mais) argumentos a favor da dieta mediterrânica é melhor preparar-se, porque a lista é longa.

Saborosa e saudável, a dieta mediterrânica deveria ser a sua dieta de eleição. E nós explicamos porquê. A dieta mediterrânica é muito mais do que um regime alimentar. Aliás, na sua génese o termo grego diaita, do qual deriva a palavra dieta, significa (isso mesmo) estilo de vida equilibrado, o que ilustra bem a dieta mediterrânica, que se assume como mais do que um padrão alimentar.

Mas a melhor forma de entender esta dieta é olhar para a pirâmide da Dieta Mediterrânica, que traduz com precisão aquilo que se tem estado a dizer.



A pirâmide agora em vigor, desenvolvida pela Fundação Dieta Mediterrânica, foi recentemente atualizada para ir ao encontro dos novos ritmos e padrões de vida. A partir daqui é possível compreender a relação perfeita entre os alimentos escolhidos, a forma de os confecionar e as doses recomendadas.

Uma análise rápida à pirâmide alimentar e percebe-se que este "regime alimentar" se rege pelos pressupostos de uma alimentação saudável. Na base da pirâmide estão os alimentos que suportam a alimentação mediterrânica, sendo que nos níveis superiores se encontram os alimentos que devem ser consumidos com moderação.


Os 10 princípios da Dieta Mediterrânica

 
  1. Frugalidade e cozinha simples que tem na sua base preparados que protegem os nutrientes, como as sopas, os cozidos, os ensopados e as caldeiradas

  2. Elevado consumo de produtos vegetais em detrimento do consumo de alimentos de origem animal, nomeadamente de produtos hortícolas, fruta, pão de qualidade e cereais pouco refinados, leguminosas secas e frescas, frutos secos e oleaginosos

  3. Consumo de produtos vegetais produzidos localmente, frescos e da época

  4. Consumo de azeite como principal fonte de gordura

  5. Consumo moderado de laticínios

  6. Utilização de ervas aromáticas para temperar em detrimento do sal

  7. Consumo frequente de pescado e baixo de carnes vermelhas

  8. Consumo baixo a moderado de vinho e apenas nas refeições principais

  9. Água como principal bebida ao longo do dia

  10. Convivialidade à volta da mesa

Em suma, a dieta mediterrânica é uma dieta equilibrada, variada e com nutrientes adequados. Mas a atual dieta mediterrânica não esquece, por exemplo, a prática de exercício físico. Um ótimo complemento a qualquer dieta e, sendo esta considerada uma das mais saudáveis do mundo, a prática desportiva não podia ficar de fora.

Se procura uma dieta saudável, não procure mais, porque já a encontrou. Esta dieta inclui todos os grupos alimentares, nas doses mais indicadas para uma alimentação saudável.

O princípio central desta dieta é a moderação. Variada e equilibrada, a dieta mediterrânica não exclui nada. Há espaço para tudo (até doces), desde que nas quantidades certas. 



Veja também: