Creatina: benefícios e precauções

Creatina: benefícios e precauções

Descubra de que forma a creatina pode melhorar a sua saúde.

Os benefícios da creatina são conhecidos essencialmente entre praticantes de exercicio, mas será que conhece os mais importantes e na totalidade? Veja connosco.

Produzida naturalmente no nosso corpo (fígado, rim e pâncreas), a creatina é uma combinação de aminácidos que ajuda a fornecer energia ás células do nosso corpo, particularmente as do cérebro e músculos, ambos tecidos que têm elevadas exigências de energia.

Ao longo deste artigo vamos referir os principais usos e benefícios da creatina e ainda os efeitos colaterais deste componente que tem vindo a ganhar força no entre os desportistas e não só.

Os aminoácidos que a compõem são a arginina, a glicina e a metionina, sendo que faz parte de cerca de 1% do volume total de sangue humano.

Tudo para manter a forma
Tenha acesso às melhores dicas de nutrição! Receba já conteúdo exclusivo!
Encontra-se naturalmente presente em alimentos como a carne vermelha e o frango e ainda em certos peixes, como é o caso do salmão, atum e arenque.

No entanto, a forma mais popular surge sob a forma de suplementos em pó, comprimidos ou cápsulas.


Potenciais benefícios da creatina


performance desportiva
Apesar de ser muito associada aos atletas, a creatina não é consumida só por este grupo de pessoas.

Algumas evidências indicam que também pode ser uma excelente aliada no desenvolvimento cognitivo e no tratamento de patologias neurodegenerativas.
 

1. Osteoartrite

É uma doença degenerativa nas articulações que resulta na degradação da cartilagem. A suplementação com creatina ajuda a melhorar os sintomas da rigidez própria desta doença, ao contribuir para o aumento da força e ainda promove uma melhor qualidade de vida.
 
 


2. Parkinson

A doença de Parkinson é uma doença que afeta os movimentos corporais, levando a tremores e rigidez, lentificação dos movimentos e tremores.

A creatina parece ser benéfica sobre esta doença, uma vez que ajuda a melhorar a função muscular e a mobilidade, retardando o avanço da doença.
 
 


3. Depressão

A creatina pode ajudar a aliviar os sintomas da depressão e ansiedade, uma vez que está associada a um aumento dos níveis de fosfocreatina no cérebro, fazendo-o trabalhar mais facilmente.

A suplementação com creatina, principalmente em mulheres, parece melhorar significativamente as condições depressivas.

 


4. Distrofia muscular

A distrofia muscular, caracterizada pela perda de força muscular, também beneficia deste suplemento.

A creatina aumenta a força muscular em pessoas que sofrem desta patologia, e o tratamento a curto e médio prazo parece ser eficaz e bem tolerado pelos pacientes.
 
 


5. Performance desportiva

É do conhecimento da maioria das pessoas que a creatina está relacionada com a melhoria da performance atlética, sendo um dos suplementos mais utilizados quando o objetivo é melhorar a eficácia no treino de alta intensidade.

A creatina ajuda a fornecer energia ao organismo durante a prática de atividade física, sendo mais eficaz em exercícios intensos de curta duração. Além de melhorar a velocidade e força, também reduz a fadiga e favorece o desenvolvimento muscular.

A suplementação com o objetivo de melhorar a performance desportiva poderá ser feito antes ou depois do treino, contudo não existe um consenso sobre a melhor altura de fazer esta suplementação.

O ideal será saber qual o método que melhor se adapta a cada individuo, considerando as rotinas diárias e as especificidades de cada um.


Que precauções?


Apesar de a creatina não ser um medicamento, é aconselhável procurar um profissional de saúde antes de iniciar qualquer tipo de suplementação de modo a saber se existem interações com medicamentos e que efeitos colaterais poderão surgir.

A creatina não é nenhum "veneno", mas existem doses recomendadas e doses que não devem ser ultrapassadas.

Alguns dos efeitos colaterais da suplementação de creatina são:
  • Ganho de peso;
  • Cãibras musculares;
  • Tensão arterial elevada;
  • Dores no estômago;
  • Diarreia;
  • Tonturas;
  • Disfunção hepática;
  • Insuficiência renal.
 
Nota: Indivíduos com problemas de fígado ou problemas nos rins não devem tomar este tipo de suplementos, uma vez que poderão surgir interações com medicamentos específicos dessas doenças, além de aumentarem o risco de dano nestes órgãos. 

Saiba as melhores dicas para ficar em forma !

 

Veja também: