Conheça as 11 principais consequências do jet lag

Muitas pessoas desenvolvem os sintomas característicos do jet lag como resultado de horários de trabalho irregulares e transições rápidas entre diferentes zonas horárias. Neste artigo fique a conhecer quais as consequências do jet lag, quais os seus sintomas mais comuns e aprenda algumas dicas para a sua próxima grande viagem.

Conheça as 11 principais consequências do jet lag
Sente-se completamente exausto após um voo de longo curso? Então leia!

O jet lag é uma desregulação dos ritmos circadianos e as suas consequências variam consoante a duração e a direção do voo, o seu horário e as diferenças individuais. As consequências do jet lag, quer físicas, quer psicológicas, têm sido sobejamente estudadas.

Compreender o jetlag


consequencias do jet lag e familia a viajar

As horas a nível mundial são reguladas pelo Tempo Universal Coordenado. É a partir desta referência que são calculadas todas as outras zonas horárias no mundo. Assim sendo, diferentes regiões geográficas dispõem de distintas horas.

Quer seja por lazer ou por motivos profissionais, o número de viajantes que fazem longas distâncias em viagem aumentou claramente nos últimos anos e, portanto, mais pessoas têm vindo a sentir os diversos sintomas negativos típicos do jet lag.

O nosso organismo desenvolve naturalmente um ciclo de sono-vigília relacionado com os padrões de luminosidade e de escuridão do nosso meio ambiente. As viagens entre diferentes fusos horários alteram os padrões de luminosidade-escuridão, perturbando o ritmo habitual do nosso organismo.

O termo jet lag é então utilizado para descrever esses sintomas que são consequência da desregulação do ritmo habitual do nosso organismo. De forma simples, é a fadiga e o cansaço que surgem quando uma pessoa viaja por diferentes zonas horárias.

Grau de gravidade e as consequências do jet lag

O grau de gravidade e as consequências do jet lag dependem do número de zonas horárias atravessadas, da duração da viagem, da idade, do historial médico e de outros problemas de ordem mental que a pessoa apresente previamente.

Os sintomas associados ao jet lag aumentam em gravidade e frequência sempre que há uma viagem entre hemisférios: não só o fuso horário é diferente, mas ocorre também uma alteração imediata dos ritmos circadianos da pessoa, que pode vir a sofrer de uma maior desorientação devido às mudanças de clima, condições naturais e até iluminação.

Os sintomas do jet lag são também mais intensos após a realização de um voo com destino ao Oriente. Isto deve-se ao facto do nosso “relógio biológico” tender a adaptar-se melhor a ritmos de duração superior a 24 horas. Assim sendo, imaginando um voo de Este para Oeste (como por exemplo da França para os Estados Unidos da América), o dia torna-se mais longo, o que se adapta melhor ao ritmo biológico. O nosso corpo adapta-se à nova zona horária mais rapidamente que após um voo de Oeste para Este, uma vez que viajar para o Oriente significa a “perda” de várias horas.

11 principais consequências do jet lag


homem cansado da viagem

Para diagnosticar a presença de jet lag é importante que a pessoa apresente alguns dos seguintes sintomas:

1 – Dificuldades em adormecer;

2 – Alteração do ritmo circadiano e alimentar, com refeições ausentes;

3 – Perda de sono durante a noite pela dificuldade em regular o relógio biológico, aumentando os períodos de sono e fadiga durante o dia;

4 – Dificuldades de concentração e de memória;

5 – Menor rapidez dos reflexos;

6 – Desorientação;

7 – Irritabilidade;

8 – Dificuldades na gestão do tempo: o que dificulta a prática de exercício físico e uma alimentação saudável;

9 – Aumento dos níveis de stress e ansiedade;

10 – Dores de cabeça;

11 – Sensação de náusea.

Em conclusão…


O jet lag é um tipo de perturbação do sono que constitui uma reação às viagens entre fusos horários. Contudo, não podemos nem devemos considerar que o jet lag está apenas associado a viagens de avião ou entre hemisférios. Os sintomas típicos deste fenómeno podem também surgir em viagens de autocarro ou até de carro, por exemplo.

Como vimos, as consequências do jet lag são várias mas, de forma geral, a fadiga e o cansaço típicos do jet lag desaparecem quando chegamos ao nosso destino, descansamos e reajustamos o nosso relógio biológico.

Assim, se já sabe à partida que na sua próxima viagem irá passar por diferentes fusos horários, tenha em consideração alguns aspetos que podem ajudar:

a – Tenha atenção à sua alimentação antes e após do voo: evite alimentos pesados e de difícil digestão;

b – Opte por uma alimentação equilibrada e, dentro do possível, semelhante ao que costuma ser o seu habitual;

c – Movimente-se durante o voo;

d – Se fizer escala, aproveite para se movimentar mais ainda;

e – Beba bastante água;

f – Evite o consumo de bebidas alcoólicas;

g – Realizar alguns alongamentos à chegada pode também ajudar;

h – Tente adaptar-se ao horário do país de destino logo após a chegada.

Embora não exista nada que permita prevenir totalmente o jet lag, se adotar algumas destas medidas vai certamente limitar os seus efeitos negativos.

Boas viagens!

Veja também:

Psicóloga Ana Graça Psicóloga Ana Graça

Mestre em Psicologia, pela Universidade do Minho, com a dissertação “A experiência de cuidar, estratégias de coping e autorrelato de saúde”. Especialização (Pós-Graduada) em Neuropsicologia Clínica, Intervenção Neuropsicológica e Neuropsicologia Geriátrica. Membro efetivo da Ordem dos Psicólogos Portugueses, com especialidade em Psicologia Clínica e da Saúde e Neuropsicologia. Para além da Psicologia é apaixonada por viagens, leitura, boa música, caminhadas ao ar livre e tudo o que proporcione felicidade!