Comer saudável fica caro?

Comer saudável fica caro?

Os truques para conseguir gastar menos e comer melhor

Continua a justificar as suas idas aos restaurantes de fast food como sendo as opções mais amigas da carteira? Engane-se, pois comer saudável fica-lhe bem mais barato!

Muitos são aqueles que se queixam que a falta de alimentação saudável nas suas vidas se deve ao facto da comida dita saudável, ser cara. Mas será que comer saudável fica, verdadeiramente, mais caro?

A própria DECO - Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor, fez as contas, e a verdade é que é possível poupar centenas de euros mensais, através de simples mudanças para uma alimentação mais saudável. 

Comer de forma saudável fica mais barato

De acordo com o estudo da DECO, levar comida de casa para o trabalho, mesmo que só para as pequenas refeições, como o pequeno-almoço e lanches, da manhã e da tarde, ajuda-o a poupar cerca de 100 euros mensais. 

No que ao almoço diz respeito, caso tenha frigorífico e microondas no escritório e optar por levar comida de casa, consegue poupar outros 100 euros. 

São pequenas mudanças que pode começar a fazer já e que vão fazer a diferença, não só na sua saúde, como na carteira! 


Dê preferência a refeições caseiras


O primeiro passo é simples: trocar as refeições de rua pelas refeições caseiras independentemente de se tratar do pequeno-almoço, almoço, lanche ou jantar. 

De acordo com a DECO, o simples hábito de tomar o pequeno almoço em casa e “preparar um galão ou meia de leite e sandes de fiambre em casa”, faz com que consiga “poupar até € 1,71 por dia (ou € 8,55 nos 5 dias úteis da semana)”. Uma poupança significativa, não acha? 

Se ao lanche da manhã optar por uma maçã ou qualquer outra fruta da época, em vez dos habituais café e bolo na pastelaria, além de melhorar a sua saúde ingerindo alimentos mais nutritivos, consegue poupar cerca de 6 euros mensais. 

Caso opte por um iogurte líquido e uma sandes de queijo feita em casa, ainda de acordo com a DECO, essa mudança diária representa uma poupança de 1,83€ por dia, cerca de 9 euros semanais, em vez de “mais uma dose de cafeína e do aporte em gordura de um croissant (custam € 2,75 na pastelaria)”.

Em relação ao almoço, pode começar por reduzir as refeições no restaurante, optando por levar a “marmita da moda” para o trabalho! Segundo dados da DECO, “optar por um hambúrguer com arroz e salada, por exemplo, e juntar uma clementina no final da refeição, poupa € 4,84 (ou € 24,20 por semana) face ao preço médio de um menu no restaurante (€ 5,95 sem a fruta)”. Ainda está com dúvidas?

A DECO apresenta ainda outros exemplos de refeições económicas e fáceis de preparar em casa. Consulte-as aqui
 


Planeie as suas refeições

Uma dica muito útil para conseguir, efetivamente, poupanças significativas passa por planear as suas refeições. Se tiver um plano do que irá comer durante a semana e a respetiva lista de ingredientes, é muito mais fácil fazer as suas compras no supermercado evitando gastar dinheiro desnecessário em alimentos que não irá consumir. 


Dê preferência às marcas brancas

Por norma, a qualidade de produtos de marca branca é idêntica (visto serem baseados nos produtos concorrentes de marca) e são muito mais baratos. Por isso, leia os rótulos e compare os produtos alimentares semelhantes. Vai perceber que, na maioria das vezes, vai preferir optar por produtos de marca branca. 


Evite comida pré-feita

Evite a comida pré-feita a todo o custo. Para além de mais cara, é menos saudável. O truque para economizar no tempo é preparar as suas refeições habituais em maior quantidade e congelar as sobras. Conseguirá poupar tempo, dinheiro, e comer de forma saudável. 


Faça a sua própria horta

Não é obrigatório, mas é uma forma muito amiga do ambiente e que o vai ajudar a comer de forma saudável, poupando dinheiro. Ao cultivar não só legumes como frutas e vegetais, pode conseguir economizar boas quantias, ingerindo produtos frescos e de maior qualidade nutricional. 



Veja também: